sexta-feira, março 06, 2009

Tricolor vence com
base em eficiência e
usando a inteligência


Não é fácil voltar de Itumbiara a São Paulo. Por isso, até que o sono me vencesse, só consegui ver uma parte do primeiro tempo de América de Cáli x São Paulo. O suficiente para observar que o Tricolor paulista segue sendo um time confiável e inteligente. Faz da eficiência sua maior arma. Não encanta, tem raros momentos de brilho, mas dificilmente perde, o que ratifica a competitividade da equipe.

Para mim, o grande segredo do São Paulo como time, e isso se deve ao treinador Muricy Ramalho, é saber seus limites e explorá-los ao máximo. O São Paulo não tenta jogar como um Porsche sabendo que tem um motor 1.6 eficiente e econômico. Não se deve esperar desse time um jogo técnico, veloz, cheio de toques e evoluções precisas. É uma equipe fria, calculista. Tem poucas armas mas as utiliza de maneira mortal.

Por que consegue isso, certamente será a pergunta? Penso eu que é porque tem muitos atletas que são inteligentes para jogar futebol, entendem o jogo como um todo. Chama-se de inteligência espacial a capacidade de perceber o mundo visual de forma precisa. Boa parte dos jogadores que hoje atuam pelo São Paulo tem essa capacidade. Pode faltar técnica, habilidade, mas há inteligência para perceber como o jogo se desenvolve e responder às orientações do técnico. Óbvio que há grandes jogadores, como Miranda, Rogério, Hernanes, e jogadores muito bons como Jorge Wagner e Washington. Mas todos têm em comum essa capacidade de entender o processo do esporte que praticam.

Basta ver em campo alguns jogadores que são a antítese da inteligência espacial, como Octacílio Neto e Fabinho Capixaba, por exemplo, para saber do que escrevo.

Muricy sabe disso e conhece as limitações de seus jogadores. Espreme essa laranja ao máximo. Pode não ser garantia de conquistas, em algum momento a evidente falta de qualidade técnica de alguns jogadores pode cobrar seu preço. Mas a competitividade e a eficiência estarão lá, intactas.

4 comentários:

Anônimo disse...

Caro Nori,

Penso que além do trabalho do Muricy, é preciso destacar as contratações que o São Paulo faz. Buscam sempre jogadores com perfil diferenciado, comprometidos (a exceção de Carlos Alberto e Adriano) e que estão dispostos a atuar em diferentes funções. O Muricy, por vezes, consegue alterar a forma da equipe jogar com os mesmos jogadores que estão em campo. Poucas pessoas lembram, mas desde de 2005 o São Paulo vence títulos importantes. Em 2005 campeão da Libertadores e do Mundial; 2006, 2007 e 2008 tri campeão brasileiro. Outro detalhe: Nos últimos anos poucos jogadores têm saido do clube, o que ajuda a formar uma base sólida. Acho que o trabalho do Muricy e esse dois fatores fazem do São Paulo essa equipe dificil de ser batida.

André Antunes
São Paulo

Nori disse...

Prezado André, contratação boa é aquela que dá certo. Parece fácil dizer que o São Paulo acerta todas. Em 2008 errou muito mais que acertou. Em 2009, por enquanto, só o Washington dos novos contratados tem mostrado valer o investimento.
Abs

João Henrique disse...

Caro Nori, me diga como eu, telespectador que não vê todo o campo de uma só vez, pode entender o problema de um jogador como o Otacílio Neto?

Dá pra sintetizar como: alguém que está em todos os lugares, logo, muitas vezes onde não deveria?

Um grande abraço e parabéns pelo blog.

Xô parasitas!

By the way... tem palpite pro jogo Palmeiras x Corinthians de domingo?

Já adianto que não vale "empate".

Nori disse...

João, o Octacílio ainda corre mais do que a bola às vezes, mas é esforçado.Sobre o palpite, o meu é empate mesmo.rsrs
Abs