terça-feira, março 10, 2009

Em defesa do
companheiro
Mauro Naves

Muita coisa equivocada tem sido dita por aí em virtude de Ronaldo Fenômeno dar entrevistas para o Mauro Naves e para a Globo. Muitas críticas injustas e ataques covardes têm sido feitos ao Mauro, um excelente profissional, um ótimo repórter, que está apenas fazendo seu trabalho.

A coisa é mais simples do que parece. Ronaldo fala pro Mauro e pra Globo por uma questão de preferência dele e apenas isso. Existe uma relação de confiança e o entrevistado tem direito de escolher para quem fala com exclusividade e não em entrevista coletiva. Quando Ronaldo foi ao programa do Milton Neves não se fez a metade do barulho.

16 comentários:

Lucas disse...

Também não vejo nada demais nisso. Todo jornalista tem suas fontes que, quando querem falar alguma coisa, procuram esses jornalistas. É mais ou menos o caso do Ronaldo/Mauro Naves

Prestes disse...

Quem tem que ser criticado nesse caso é o Ronaldo. Como é que o sujeito está brabo, não vai dar entrevistas pra ninguém e, de repente, começa a sorri??

O nome disso é falsidade.

Vitor Saigg/Brasília disse...

A crítica neste caso não é o fato de seder a entrevista para o Mauro Naves,mas sim o fato da Globo entrevista-lo de forma confortável,sem levantar pontos desagradáveis e constrangedores da carreira do R9.Porém existem fãs e admiradores da bola que gostariam de obter algumas explicações,como o peso dele na Copa e seu compromisso com a seleção brasileira na mesma ocasião,cabe ao Ronaldo responder tais perguntas,e no caso de não querer responder é mais fácil atender quem não pergunta.

Gilson Junior disse...

Olha Nori. Cê vai me desculpar.

Primeiro porque não acho que o Mauro precise de defesa, segundo porque eu acho que o Fenômeno tem sim preferências de acordo com uma lógica de jornalismo menos jornalismo e mais entretenimento, que é a linha da Tv Globo e do Mauro Naves.

Esta preferência cria distorções na cobertura como uma priorizada na cessão de entrevisdtas a um conglomerado e á entrevistas coletivas no mínimo mau conduzidas de forma a abrir espaço para esta ampliação de cobertura feita por este conglomerado.

É perceptíviel uma certa má vontade do fofinho com outros veículos de fora das organizações Globo. Até porque tradicionalmente a Globo cria uma relação quase que pessoal com os entrevistados interessantes (Kaká, Ronaldo, Ronaldinho, Robinho)tratando-os como celebridades. É um modus operandi que acompanhado das relações carnais desta organização com a CBF, por exemplo, cria distorções de cobertura, de espaço para outros veículos e principalmente com relação à percepção dos atletas de seu papel no esporte, muito além de seu papel no espetáculo.

A Globo é co-participante da criação de uma mentalidade primadona nos atletas que passampela seleção do Brasil. E isto se reflete na lógica d eentrevista que estas primadonas preferem, e por isos sóa Globo os satisfaz. Um jornalismo crítico é jogado pra escanteio com isso.

É claro que os maus jornalistas são punidos assim como os bons, os Milton Neves são punidos, mas os Trajanos idem.

E a crítica fica em segundo plano.E muitas vezes personalizadas, tornadas pessoais, quando no máximo são críticas, análises frias, como as suas, as do Lédio, as do Milton Leite,etc..

O que eu vi e li forma críticas não ao Mauro Naves, mas ao Fenômeno e sua preferência por um jornalismo manso. E a distorção que isso causa na cobertura dele.

Anônimo disse...

O Ronaldo é o cara...
Acho que a pessoa deve ter a liberdade de escolher para quem e quando dar entrevistas...
A impressão que tenho é que a Globo combina as perguntas com o entrevistado, daí o porquê de sua preferência, não visa polemizar nada...
Em outros canais muito provavelmente ficariam falando do peso do Ronaldo, das baladas, do travesti e etc., na Globo isso não acontece...
Parabéns pro Ronaldo e pra Globo...

Kao disse...

O pior é que ninguém se toca que na vida inteira do Ronaldo a Globo (da qual eu não gosto) foi o único meio de comunicação que nunca sacaneou com o Ronaldo, colocando sua vida pessoal acima da sua história.

Ronaldo Schiavone disse...

O jornalismo esportivo da Globo sempre apoiou o Ronaldo, mesmo nos momentos mais difíceis. Na Copa de 2006 isso ficou claro. Enquanto o restante da imprensa detonava o jogador, a Globo valorizava a chance dele se tornar o maior artilheiro da história das copas, o que acabou acontecendo. Portanto, nada mais justo do que ele priorizar quem torceu por ele. Quando ele esteve recentemente no Terceiro Tempo da TV Bandeirantes, comentou que assistia ao programa esportivo diário da emissora e sabia das críticas que eram feitas a ele. Todo mundo que estava lá começou a gaguejar. Tiveram que engolir seco e ninguém teve coragem de criticá-lo ali, naquele momento. É mais fácil para pelas costas... A Folha online desta quarta conta que a Record vai boicotá-lo. Prejuízo no Ibope para a própria emissora...
Abraços
Ronaldo Schiavone
Bauru-SP

Joao Luis Amaral disse...

O Mauro não devia ser criticado por isso... devia, sim, ser ELOGIADO por ter essa 'entrada' com o cara. Vão-se aí alguns bons anos de janela profissional para chegar a um patamar desses...
O nome dessa críticas, lá na minha terra, chama-se DOR DE COTOVELO!
Abraço, Nori.
Joao Luis Amaral

Nori disse...

Oi, Vítor. Veja bem, no SporTV o Ronaldo foi alvo de muitas críticas antes, durante e depois da Copa. Só que as notícias são dadas sem misturar a opinião das pessoas. E reforço minha tese de que o entrevistado fala para quem ele quiser. Eu já fui a muita entrevista do falecido Ayrton Senna e ele só falava para a Globo. E eu ficava lá com cara de tonto também quando trabalhava em jornal. É chato, mas é um direito do entrevistado. Nas coletivas eles falam pra todos.
Abs

Nori disse...

Olá, Gílson! Claro que existem estilos de cobertura. Em algumas emissoras existem, inclusive, perseguições pessoais a algumas figuras do esporte e pouca gente critica. No caso do Ronaldo, é opção dele falar com exclusividade para quem ele quiser falar, eu simplesmente penso assim. E mesmo ele foi muito criticado em programas da Globo e do SporTV após a Copa de 2006.
Abs

Dalla Valle disse...

Prefiro ver nele o atleta do que o personagem. Este último nunca demonstrou responsabilidade com sua imagem, transmitindo aos jovens que o admiram péssimos exemplos.
Como atleta ele dá uma ótima contribuição ao futebol quando serve de parâmetro para medirmos o nível/qualidade do futebol brasileiro. Se ele realmente encantar, saberemos que o "futebol brasileiro" chegou ao fundo do poço! Prefiro acreditar que a zaga do palmeiras + o vento em prudente contribuíram para seu sucesso naquele dia!

Anônimo disse...

Pessoas públicas e com o peso (sem maldade) de um Ronaldo não deveriam privilegiar alguns órgãos de impresa em detrimento de outros.

André Antunes
São Paulo

NauriJr disse...

Caro Nori,

Sei da sua qualidade, assim como a do Mauro Naves e do Milton Leite. Agora está ficando chata essa história do Ronaldo e Mauro Naves. Que ele dê exclusiva para quem ele preferir tudo bem, estou de acordo. Agora o que explica no final do jogo o reporter da band tentar entrevistar-lo e ele dizer que o cara estava empurrando ou coisa do tipo? E quando nada mais, nada menos que Mauro Naves chega , o Ronaldo simplesmente para e resolve falar? Quem mais fez perguntas: Mauro Naves e Alexandre(Sportv). Creio que deveria se fazer um rodízio como acontece em coletivas, até porque a Band estava Ao Vivo, assim como Globo, Sportv.

Até o Mauro Naves deve está achando estranho a situação que pediu para não está no jogo de hoje contra o São Caetano.

Nori parabéns pelo ótimo comentaristas que você é. E fazendo dupla com o Milton Leite são insuperáveis.

Abraço,

José Nauri

Prestes disse...

Caro Noriega, o problema não é a preferência do Ronaldo por um repórter e/ou emissora, mas a forma hipócrita com que fez isso neste caso específico. Fosse ele transparente - como o Senna pelo visto era - diria: "só dou entrevista para o Mauro Naves, ou para a Globo".

gustavosaoroque disse...

Caro Noriega,

Em assunto de jornalista um advogado como eu não costumo me meter, até porque vocês entendem as vicissitudes da profissão.

Ocorre que é inegável o fato de que escolhendo um veiculo de comunicação, e pior um jornalista, o Ronaldo esta privando parcela significativa da opinião pública e do proprio torcedor.

Aliás, o fenômeno realmente deve suas explicações sobre o episódio lastimável de bebedeira e zorra total da Copa da Alemanha. Ele não é o unico responsável pela campanha desastrosa do Brasil, mas deve satisfação a nossa torcida.

É o que me parece.
Um abraço.
Dr. Gustavo
Itu - São Paulo

sfk disse...

Dentro dessa linha, tenho muito descontentamento com jornalistas como Renato M Prado e Flavio Prado.
Eles são muito corajosos a emitirem criticas pesadissimas a certos profissionais do Futebol. Só que qunado estão frente a frente com os caras, eles pipocam como mocinhas "