sexta-feira, outubro 29, 2010

Se liga andreihauser


Otário é vc, que não faz justiça ao grande estado em que vive. Leia e se informe antes de falar bobagem: http://blogdonori.blogspot.com/2010/09/candidatura-colorada-da-gosto-ver-jogar.html
Conca La Conca


Não era à toa que Muricy tentava insistentemente contratar Conca quando era técnico do São Paulo e, também, do Palmeiras. O gringo joga muito e decide. Aliás, os gringos estão entre os melhores jogadores do Brasileirão. Conca, Montillo e Valdívia são três dos melhores e sem eles seus times perdem muita qualidade.

É nos pés de Conca que reside a esperança dos tricolores cariocas de comemorar mais um Brasileiro.

quinta-feira, outubro 28, 2010

Gaciba deixa arbitragem

para virar comentarista


Exclusivo!!!!!!

O bom árbitro gaúcho Leonardo Gaciba decidiu encerrar a carreira para ser comentarista. Ele foi contratado pelo grupo RBS e deve estrear no Mundial de Clubes, em Abu Dabi. Sua atuação deve ser dividida entre a RBS TV e a Rádio Gaúcha.
O estranho caso

do pênalti anulado


Confesso que não me lembro de muitas ocasiões em que juízes voltaram atrás em suas marcações. Lembro de Holanda x Rússia na Euro 2008, quando o juiz marcou falta, mostrou cartão vermelho para um zagueiro russo e depois voltou atrás, anulando o cartão porque o lance tinha ocorrido fora de campo e, fora de campo não se pode marcar falta.

Em Atlético Mineiro e Palmeiras aconteceu algo muito estranho. Marcelo de Lima Henrique marcou pênalti, acertadamente, em Lincoln. Mas quando o Palmeiras ia bater, voltou atrás, sinalizando impedimento, que houve. Acontece que o auxiliar Erich Bandeira não marcou impedimento em momento algum, as imagens do SporTV são claras. Ele corre para a lnha de fundo com a bandeira abaixada.

Felipão falou besteira na entrevista coletiva ao supor que alguém tinha avisado o bandeira. Impossível. A imagem só foi ao ar depois do pênalti ter sido anulado. Mas é mais fácil culpar a arbitragem do que explicar como um time com 11 titulares não consegue ganhar de outro com 8 reservas na maior parte do tempo.

É preciso explicar como o auxiliar mudou de idéia. Já tem gente dizendo que um repórter mineiro avisou. Tem pinta de mentira, poque não tinha repórter nenhum perto do bandeirinha naquela hora e, repito, ninguém viu a imagem, porque a mesma só foi ao ar DEPOIS  de o penal ter sido anulado.

Torcedores sempre inventam teorias da conspiração, acham que tem esquema em tudo e em todos. O que houve foi uma situação que não foi explicada. Se anulou a marcação do pênalti, o auxiliar deveria ter deixado claro o por que. Se ele disse que marcou impedimento, a imagem o desmente.

Sigo achando que Márcio Araújo fez um pênalti bobo em Obina. Concorda e discorda quem quiser, não ligo a mínima. Não ligo para elogio e nem para crítica de torcedor. Um dia você é gênio só porque elogiou o time dele, no outro é um idiota porque falou algo que ele não gostou. Fanáticos não torcem, distorcem. Muita gente achou que não foi pênalti e muita gente achou que foi. Como disse antes, e daí? Cada um acha o que quiser. E NÃO TENHO MEDO de palavrão nem de bravata.

Também não ligo a mínima para trouxas anônimos que fazem ameaças e xingam. A maioria usa a covardia do anonimato para compensar suas frustrações. São os mesmos que ameaçam bater em jogadores, que fiscalizam atletas nas supostas baladas. Os que se identificam, que criticam, sem palavrões, e com bons argumentos, serão publicados. Os demais irão para a vala comum dos otários de plantão. Quem escrever palavrão será bloqueado e acabou.


Nunca tive problema em rever opiniões, mas para mim foi pênalti e pronto. Vi, revi, vi de novo. Repito: concorda quem quiser, discorda quem quiser e a vida segue. Engraçado é ver as mudanças de atitude. Uma vez, num clássico Palmeiras e Corinthians, eu disse que o Tevez tinha feito falta no zagueiro do Palmeiras, num lance em que ele marcou um gol depois anulado. Fui chamado de tudo quanto é coisa. Aí uma imagem da TV Record mostrou o empurrão, sutil, de leve, mas suficiente para desclocar o Leonardo Silva, e a Ana Paula Oliveira confirmou que ela tinha marcado a falta. Tenho certeza que os mesmos que me detonam hoje me elogiaram naquela hora.

Ou seja, torcedor fanático quer que seu time ganhe, não importa como. O mesmo lance a favor e contra seu time ele interpreta de duas maneiras diferentes.

quarta-feira, outubro 27, 2010

A vida de Analy Alvarez.

Por Nicolau Radamés Cretti



Um dos mais brilhantes repórteres do jornalismo esportivo brasileiro, meu colega Nicolau Radamés Cretti, lança amanhã seu terceiro livro. Autor de dois grandes sucessos, Vitória, contando a história da medalha de ouro do vôlei em Barcelona, e a biografia de Giovanni Gavio, Nicolau desta vez empresta seu talento de repórter para contar a vida de uma grande atriz brasileira, Analy Alvarez.

O lançamento será nesta quinta-feira, dia 28 de outubro, a partir das 19hs, no Centro de Convenções Frei Caneca, no Shopping Frei Caneca, em São Paulo.

domingo, outubro 24, 2010

Rodada perfeita para


alvinegros e um tricolor


Na teoria, a rodada era perfeita para o Santos e complicada para todos os outros postulantes ao título. Na prática, terminou sendo péssima para o Santos, ruim para o Cruzeiro, e excelente para Fluminense, Corinthians e Atlético Mineiro.

O Fluminense saiu de uma derrota para um empate que lhe valeu o retorno à liderança de um campeonato absolutamente embolado. Recuperar um ponto diante do Furacão, na Arena, é coisa para poucos times. Numa disputa assim tão acirrada, o Flu buscou a ponta no saldo de gols, já que tem as mesmas 15 vitórias de Cruzeiro e Corinthians.

O Flu pega o Grêmio, que empatou por 2 a 2 com o Inter, no Engenhão, numa rodada em que Corinthians e Cruzeiro jogarão fora de casa. O Cruzeiro contra o Grêmio Prudente, que aplicou inacreditáveis 3 a 2 no Santos, na Vila, após estar perdendo por 2 a 0. E o Corinthians, que venceu o Palmeiras, pega o Flamengo, que empatou com o Vasco.

Cruzeiro que trombou de frente com Obina e se deu mal. O injustiçado centroavante fez 3 nos 4 a 3 do Galo sobre o rival. A defesa cruzeirense errou em quatro bolas cruzadas para a área, e Obina não perdoou em três, com Réver aproveitando a quarta. O Cruzeiro correu, lutou, criou muitas chances e perdeu a maioria, mesmo diminuindo para 4 a 3 após estar perdendo por 4 a 1 e com Montillo desperdiçando um pênalti.

De novo na teoria, a p´roxima rodada pode ser boa para o Cruzeiro, dada a fragilidade do Prudente, que mesmo heróico contra o Santos, é muito mais fraco que a Raposa.

A vitória corintiana sobre o Palmeiras foi construída nos 30 primeiros minutos de jogo, quando o time do estreante Tite sobrou em campo diante da equipe de seu mestre Felipão. Mas bastou fazer 1 a 0 com Bruno César para o Corinthians parar em campo, recuar demais e convidar o Palmeiras, que até então só assistia, para entrar no jogo. No segundo tempo, o Palmeiras pressionava com Valdívia, que saiu machucado. Ainda pressionou, mas sem muita qualidade, e esbarrou numa tarde inspiradíssima do jovem goleiro Júlio César, que fez defesa magistral em falta cobrada por ele, sempre ele, Marcos Assunção.

Resultado para reestabelecer a confiança entre os corintianos e posicionar os palmeirenses defintivamente para a Copa Sul-americana, contra um Galo embalado na quarta-feira, em Sete Lagoas.

O Inter empatou com o Grêmio após estar perdendo duas vezes e explorando bem o recuo excessivo dos comandados de Renato Gaúcho na etapa final. Santos e Inter somam 48 pontos, assim como o Botafogo, que é o atual proprietário da quarta vaga na Libertadores, já que venceu (aleluia!) o Vitória, que trocou de lugar com o Galo e está na zona de rebaixamento. Mesmo em sexto lugar, o Fogão se beneficia do fato de Santos e Inter já estarem na Libertadores. Por isso mesmo, Furacão e Grêmio e até mesmo São Paulo e Palmeiras sonham com essa vaga.

São Paulo que foi derrotado sem contra-argumentação pelo Ceará, que é danado mesmo em Fortaleza. E Palmeiras que mostrou que precisa mesmo de todos os seus titulares para manter um bom nível de rendimento. Resta saber se terá Valdívia contra o Galo, no belo jogo pela Sul-americana.

A lição que fica desta rodada é que não se vacila diante de adversários teoricamente mais fracos. Santos e Fluminense que o digam. O Santos poderia ser o grande vencedor da rodada se vencesse o Prudente, pois teria ficado a três pontos dos líderes, mesmo com um time modificado dentro da temporada e já saciado por duas taças. Assim como o Fluminense deve lamentar a cada segundo os quatro pontos que deixou pelo caminho diante do mesmo Prudente, que poderiam dar uma vantagem de 58 a 54 sobre o Cruzeiro, um jogo de folga.

Bom mesmo é saber que até 5 de dezembro tudo pode acontecer.

sexta-feira, outubro 22, 2010



O País dos clássicos

Que outra nação da bola pode se orgulhar de ter um final de semana como este do Brasileirão?

Desfilarão pelos gramados certamente os maiores clássicos do futebol nacional em termos de rivalidade e, consequentemente, alguns dos maiores do mundo.

Um domingo que pode reunir Corinthians x Palmeiras, Vasco x Flamengo, Gre-Nal e Cruzeiro x Atlético-MG é um domingo santo do futebol.

Se lembrarmos que ainda temos outros clássicos gigantescos na mistura desses todos envolvidos quando se enfrentam, e mais Fla-Flu, San-São, dérbis, Clássico Vovô, chega a ser covardia.

Que dizer do trio pernambucano Náutico, Sport e o judiado mas sempre enorme Santa Cruz?

Vou mais longe e ainda cito outros jogos espetaculares que por circunstância acabam um pouco esquecidos, com um time na Série B, outro na A, alguns na C. Temos o Ba-Vi, que é lindo. Que dizer de Remo x Paysandyu, sempre entupindo o Mangueirão? O tradicionalíssimo Atletiba, Avaí x Figueira, Mixto x Operário, o Caju da Serra Gaúcha, o dérbi campineiro, vixe! É muito jogão.

Como profissional do jornalismo esportivo ainda tenho o sonho de ver in loco muitos desses jogos que ainda não tive a oportunidade.

Deve ser duro morar em países que têm um, dois grandes clássicos apenas.

quinta-feira, outubro 21, 2010

Paulistas não têm


estádio para fazer


a abertura da Copa


O tema é espinhoso, gera debates e picuinhas tontas como essa dos atuais mandatários de Tricolor e Timão. Mas não fujo a ele e deixo minha afirmação. Hoje a cidade e o estado de São Paulo não possuem um estádio que seja que reúna condições de receber a abertura da Copa do Mundo. Nenhum estádio.

Vamos por partes para explicar.

O Morumbi é o melhor estádio do estado, não se discute. Só não reconhece isso quem não pensa um pouco. Mas para receber uma abertura de Copa ele não reúne condições. Não tem estacionamento, não tem ainda acesso de metrô ou trem, não tem espaço externo que possa receber as exigências de uma grande partida de Copa do Mundo. Mas poderia perfeitamente receber um jogo de fase classificatória, de oitavas ou de quartas e até a decisão de terceiro lugar.

O Ellis Park tinha muitos dos problemas enfrentados hoje pelo Morumbi e recebeu jogos do Brasil na Copa da África.

No Soccer City, por exemplo, pouca gente cita ou recorda, mas havia uma estação de trem e um terminal de ônibus na área do estádio, a pouco mais de 400 metros das entradas. Sem contar a gigantesca área externa que abrigava centenas de caminhões e um centro de imprensa dedicado à mídia escrita, montado numa tenda moderna e climatizada. A uma distância de dez minutos caminhando estava o IBC, centro de transmissão internacional, com rádios e TVs.

O Morumbi dá na calçada da avenida Giovanni Gronchi de um lado e no clube social do SPFC do outro. Esse é o maior problema, o fato de o estádio ter sido engolido pela cidade e não oferecer espaço externo para receber um jogo desse porte e a estrutura cavalar da qual necessita.

No Green Point, da Cidade do Cabo, também havia uma enorme área externa, livre para receber carros de mídia, de patrocinadores e as tendas com os centros de imprensa. Além de um terminal exclusivo de ônibus a poucos metros do estádio. Situação que se repetia no Moses Mabhida, em Durban.

O Pacaembu é o estádio mais bem localizado e charmoso da cidade, mas está velho e é tombado pelo Patrimônio Histórico. Reformá-lo daria um trabalho incrível e geraria custos absurdos. Sem contar a pressão de mexer numa área da cidade para adequar as questões de estacionamento, acessos, áreas externas e trânsito.

O Palestra Itália reformado como Arena prevista para 45 mil pessoas não suporta a abertura e, assim como o Morumbi, poderia receber jogos de fase, oitavas e quartas se estiver pronto a tempo. Para abertura e semifinal também teria problemas pela falta de espaço externo, embora o projeto preveja um amplo estacionamento na reforma. Os acessos são mais fáceis pelo fato de o metrô já estar próximo, assim como um grande terminal de ônibus, mas o trânsito deve continuar sendo complicado na região.

Por fim, o mais difícil, falar sobre algo que ainda não existe, está em projeto: o novo estádio do Corinthians, citado como provável abertura da Copa. Espaço há de sobra para abrigar as necessidades externas de uma abertura de Copa, porque é mais fácil pensar em tudo para um local que ainda não existe, onde há apenas área aberta. O problema é a adequação do projeto de 48 mil para 65, 70 mil lugares, o custo e o tempo da execução. Há metrô perto do estádio, que está longe do centro e das principais regiões hoteleiras da cidade, mas relativamente próximo ao aeroporto internacional.

Resta saber quem arcará com os custos da obra, o impacto na região e outros problemas.

O pior de tudo é saber que depois de anos sabendo que a Copa vai ser realizada no Brasil, a principal cidade do principal estado da Nação não ter feito nada para superar o fato de não ter uma arena esportiva em condição de receber a abertura do Mundial. Isso faltando menos de quatro anos.

quarta-feira, outubro 20, 2010

Foi mal, Andres!

Ainda na linha das oportunidades que os cartolas pedem para ficar calados, também foi mal o presidente do Corinthians, Andres Sanches.

Ao rebater o que falou o Juvenal Juvêncio, ele também foi algo preconceituoso ao citar Jardim Leonor, o nome do bairro onde está o estádio do São Paulo.

Veladamente ele tenta passar a idéia de que na região é elitista, o que não é. E morar bem, ter dinheiro, por incrível que possa parecer, também se consegue com trabalho. E tem um monte de corintiano no Morumbi ou no Jardim Leonor.

Enfim, Juvenal e Andres perdem tempo com picuinhas inúteis. O São Paulo deveria ser esperto e ganhar dinheiro com o Corinthians jogando no Morumbi. E o Corinthians deveria ser esperto e ganhar mais dinheiro do que ganha no Pacaembu jogando no Morumbi.

Mas aí já é pedir demais, né?
Foi mal, Juvenal!!!


Até acho que os dirigentes atuais são muito bobinhos, não sabem promover os jogos como faziam Matheus, Horta e afins.

Agora, o que fez o presidente do São Paulo, Juvenal Juvêncio, foi de uma estupidez sem tamanho.

Há tempos que ele promove uma briguinha ridícula com o Corinthians, que só fez que o Tricolor perdesse seu melhor cliente no Morumbi e, certamente, muito dinheiro.

Agora, para atingir o rival ele utilizou de uma declaração absurdamente preconceituosa contra uma região muito importante de São Paulo.

Falo por ter conhecimento de causa. Moro na região do Morumbi. Adoro meu bairro, mas aqui há um rosário de problemas a serem resolvidos. E fica insuportável em dia de grandes jogos e shows no estádio são-paulino.

Itaquera é uma região de gente trabalhadora, honesta, que concentra milhões de torcedores não só do Corinthians, mas de São Paulo, Palmeiras e Santos. A Zona Leste de São Paulo merece todo o respeito de todo mundo que mora nessa cidade.

Misturar clubismo com bairrismo de quinta categoria não funciona.

Ele até costuma ter boas sacadas, mas nessa foi mal o Juvenal.

Estou com Itaquera nessa parada.

segunda-feira, outubro 18, 2010

Furacão e Grêmio


estão na parada

Rodada de gente grande no Brasileirão.

Trabalhei num jogaço, São Paulo e Santos, uma vitória épica do Tricolor.

Fora isso, os resultados deixaram o torneio ainda mais interessante em termos de disputa. Acho que dois times estão entrando na disputa do título, em termos de pontuação e desempenho: Atlético Paranaense e Grêmio. O Furacão pega o Fluminense, em casa, e o Gre-Nal é o desafio dos tricolores gaúchos.

O Atlético Paranaense não sentiu a saída de Carpegiani, tem um time compacto, forte e que jogando em casa voltou as ser quase intransponível. O Grêmio tem dois dos melhores jogadores do campeonato, Jonas e Vítor, e conta com Douglas recuperando a velha categoria.

Mas as chances principais ainda são do trio formado por Cruzeiro, Fluminense e Corinthians, seguidos do Santos e de um Inter que parece definitivamente voltado para o Mundial de Clubes.

A turma dos 45 e 44 pontos pode sonhar, sim, afinal, são dez pontos para os líderes. Mas ainda está no campo dos devaneios para esse pessoal acreditar na taça. Já a Libertadores não é apenas sonho para Botafogo, São Paulo e Palmeiras. Mas segue sendo uma empreitada com ares de heroísmo se for alcançada.

O apito foi, de novo, atração na rodada.

Cruzeiro e Corinthians (principalmente Ronaldo) têm razão em reclamar de gols mal anulados que poderiam ter alterado a ordem de classificação. Mas foram erros, não acredito em má fé ou esquema. Assim como foram prejudicados, esses e todos os outros times já foram beneficiados por equívocos da arbitragem.

Fica cada vez mais claro que não existe um supertime em atividade no País, uma equipe que seja capaz de ocupar a liderança de forma clara e incontestável. O que é ótimo para o campeonato, embora provoque crises de nervos nos torcedores dessas equipes.

Registro a alegria de ter comentado um jogo como há muito não se via, esse 4 a 3 do clássico San-São. Jogo franco, aberto, ousado, no qual ganhar foi o único objetivo.

No final, com mais pernas, o São Paulo conseguiu a vitória, mesmo atuando mais de meia-hora com um jogador a menos. Com 11 contra 10 o Santos teve problemas para subjugar o adversário, e ainda permitiu que por duas vezes o São Paulo tivesse chances claras, de dentro da área. Danilo, num passe precioso de Neymar, obrigou Rogério a fazer uma intervenção decisiva.

sexta-feira, outubro 15, 2010



Brasil forte na Sul-americana

A primeira rodada da fase internacional da Sul-americana para os brasileiros deixa claro que o produto nacional é muito mais competitivo.

Mesmo derrotado pelo Emelec, o Avaí tem mais time e pode virar na Ressacada. Assim como o Goiás é mais forte que o Peñarol, e o Galo é melhor do que o Santa Fé. Mesmo os times ameaçados pelo rebaixamento no Brasil são melhores do que a maioria dos adversários do continente.

O Palmeiras venceu ontem o Sucre por 1 a 0 e só não fez mais porque o juiz anulou um gol legítimo de Lincoln. O time boliviano é altitude e mais 11. Tecnicamente é ruim a ponto de contaminar o jogo com sua ruindade.

Está pintando um confronto de arrepiar entre Galo e Verdão.

O dilema que fica para Atlético, Avaí e Goiás é saber dosar as forças entre a luta contra o rebaixamento e a sul-americana. O Palmeiras já tem vida mais tranquila nesse aspecto.

quinta-feira, outubro 14, 2010

Corinthians colocou


raposa no galinheiro

A derrota corintiana para o Vasco deu mostras de que não era apenas em Adílson Batista e em sua criticada insistência em escalar Moacir e Thiago Heleno que estava a chave dos problemas do time.

Não se sabe quem determinou a estratégia de jogo por parte do Corinthians, se o interino Fabio Carrile ou o tal comitê gestor formado pelos líderes do grupo, William, Roberto Carlos etc.

O fato é que em termos de proposta de jogo o Corinthians foi um desastre contra o Vasco. Apostou numa marcação em linha de quatro diante de um ataque veloz e de um adversário que tinha um armador astuto e hábil, como Felipe. Tudo isso com um quarteto que se mostrou na recuperação, formado por Alessandro, Chicão, William e Roberto Carlos.

Antes mesmo de fazer seu gol, Zé Roberto já havia recebido uma bola (em impedimento) nas costas do setor esquerdo da defesa corintiana. Minutos depois fez o gol (em impedimento) recebendo uma bola cruzada que pegou toda a defesa paulista desprevenida e mal posicionada, de novo pela esquerda.

No segundo gol, Felipe enfiou uma bola preciosa para Éder Luís marcar, superando Alessandro na velocidade. O que quase se repetiu muitas vezes.

O Brasileirão sabe que o Vasco joga em velocidade no ataque e que Felipe não pode jogar sozinho. O Corinthians colocou a raposa no galinheiro ao permitir que o meia abastecesse os velozes atacantes vascaínos.

Além disso, o ataque mostrou a inoperância de sempre, Elias, estava perdido em campo, e o aspecto emocional mostrou-se falho.

O Vasco foi mais consistente e venceu o jogo no primeiro tempo. Não deve sofrer com ameaças de rebaixamento.

O Corinthians precisa de um novo rumo. Há mais problemas do que mudar de técnico. Ronaldo anunciou sua volta. Vejam bem, não foi o técnico, nem um diretor, nada disso. Foi o jogador que disse quando volta. Retrato de um clube que perdeu o comando de seu futebol.

Um olho no Peixe....

É outro o Santos do segundo semestre. Menos esfuziante, mais competitivo, brigador, compenetrado. A defesa está mais ligada, o meio-campo é mais pegador. Perdeu em beleza, ganhou em briga, entrega.

Em cada setor o Santos tem um jogador acima da média atual. Edu Dracena na defesa, Arouca no meio, Neymar na frente. Há bons coadjuvantes e a tranquilidade de jogar sem pressão ou cobrança. É bom não tirar o olho do Peixe na reta de chegada.

O Inter parece que vai mesmo cuidar do Mundial de Clubes, o que não deixa de ser prudente, tal a situação física de jogadores fundamentais. Ninguém no Beira-Rio deve reclamar de tal medida.

segunda-feira, outubro 11, 2010

Corinthians se complica sozinho


Pior que a derrota para o Atlético Goianiense foi o que o Corinthians aprontou após o jogo. Não dá para acreditar que Adílson Batista pediu demissão. Alguns dirigentes corintianos mais bocudos não demoraram a confirmar para vários interlocutores o que era evidente: Adílson teve a cabeça cortada e entregue numa bandeja para os torcedores que atualmente apitam alto no Timão.

Aquela reunião de líderes de uma torcida com os líderes do elenco foi emblemática. Para não dizer nojenta. A armadilha estava preparada.

Claro que Adílson cometeu alguns erros, mas sem contar com Elias, Jorge Henrique e Ralf, ainda que escalasse Chicão e Paulo André, o Corinthians dificilmente seria o mesmo time que deu pinta de que conquistaria o título nacional.

Ainda pode conquistá-lo, mas aos poucos vai dando mostras de que nem tudo que o competente marketing corintiano pinta tem as cores da verdade.

Jogar a culpa de alguns maus resultados em Thiago Heleno e Moacir é reduzir a discussão. Afinal, quem é o substituto de Ronaldo, que quase nunca joga? Souza, que não resolve como deveria. Danilo não rende o que rendia no São Paulo, Edu voltou mas não voltou. Enfim, há uma série de equívocos que, como sempre, são ignorados por quem os comete. Na hora do aperto, sobra para o eterno burro de plantão no futebol: o técnico.

Quando ganhou, Adílson foi saudado como uma brisa de agressividade no time do Corinthians. Muita gente chamava Mano de retranqueiro, defensivista etc. Adílson, sim, sabia colocar o time para a frente, jogando em velocidade. Quantos não foram os jogadores que enalteceram isso? Quandoa  fase é boa, tudo fica mais fácil, as palavras soam firmes, embora possam ser falsas.

Resta saber os rumos do futebol corintiano. Quem assumirá a responsabilidade agora? Quem, efetivamente, manda no futebol do clube?

sexta-feira, outubro 08, 2010


Cruzeiro, Mago e Luxa

Um time e dois nomes brilharam no complemento da rodada. O Cruzeiro brilhou por ter aproveitado os vacilos de Flu e Corinthians e chegado definitivamente para disputar o campeonato.

Valdívia teve uma noite de Mago nos 4 a 1 do Palmeiras sobre o Avaí, e Luxembrugo mostrou a fome que parecia ter sumido em sua reestréia pelo Flamengo.

A vitória cruzeirense transcende as análises sobre o futebol. Era jogo para ganhar e aproveitar a conjunção astral proporcionada pelos rivais.

O Cruzeiro conseguiu e ainda terá a chance de tomar a liderança do Fluminense, a quem desafia no grande jogo da próxima rodada, em Minas.

Valdívia justificou o apelido Mago com uma grande atuação na goleada palmeirense sobre o Avaí. Fez dois gols, um de cabeça e outro primoroso, num chute certeiro. Driblou, esperneou, marcou, roubou bolas. Em forma, é o jogador diferente da equipe palmeirense.

Os 4 a 1 deram tranquilidade ao Palmeiras, mas foram duros de serem conseguidos. O Avaí teve sérios problemas defensivos, mas se mostrou um time brigador e com bons momentos no jogo. Começou melhor, mandou bola na trave e fez Deola trabalhar. Mas o fantasma da segundona tirou do prumo alguns de seus jogadores, em especial o goleiro Zé Carlos.

Ele pegou um pênalti marcado equivocadamente, inexistente, e em vez de partir para o jogo, foi fazer uma provocação boboca em Kléber (lembrando muito Leão em Careca na final do Brasileiro de 1978) e complicou de vez a vida do time.

Luxemburgo estreou no Flamengo mostrando estar mais ligado no jogo, dando sorte nas mexidas e conseguindo uma vitória essencial para o clube. A rodada também ajudou, e o time abriu 5 pontos da zona de rebaixamento. Com fome, Luxa ainda é um baita treinador. Resta saber até onde irá seu apetite.

quinta-feira, outubro 07, 2010



Procura-se um 
campeão para
o Brasileirão


"Campeonato tradicional, um dos mais importantes do mundo, procura um candidato a conquistá-lo com firmeza, segurança e bom futebol. Oferece ótimo pacote de benefícios, bônus em dinheiro e acesso ao principal campeonato de âmbito continental.

Tratar com a Confederação Brasileira de Futebol."
Se você topasse com um anúncio destes nas páginas dos maiores jornais do País, não seria nenhuma maluquice.

O Brasileirão 2010 é disputado por 20 clubes na Série A, mas parece que nenhum preenche todos os requisitos necessários para levar a taça.

Há bons candidatos, é verdade. Os que chegaram mais perto de atender a todas as exigências foram Fluminense, Corinthians e Cruzeiro.

O Flu deu pinta de que deixaria para trás a concorrência. Mas sofre algumas derrotas que devem povoar de dúvidas a sua torcida e até mesmo seus jogadores e o técnico Muricy Ramalho. A de ontem para o Santos foi uma dessas. Era noite de aproveitar o desenho favorável da rodada, mas o Flu foi atropelado pelo Santos de um Zé Love iluminado.

De nada serviu para os tricolores das Laranjeiras outro vacilo incrível, o do Corinthians diante do Atlético Mineiro. Não se trata de analisar história, importância e tamanho do clube, mas apenas falar de momento. Era um candidato ao título contra um time que luta para não cair. Como defendo em minha tese, esse é o tipo de jogo que o time que quer ser campeão não pode perder.

O Corinthians saiu na frente, mas tomou uma virada que também povoa de dúvidas a cabeça de seus torcedores. Onde foram parar a eficiência e o equilíbrio de rodadas anteriores? Os desfalques de Elias e Jorge Henrique serão supridos? E Ronaldo, sai do marketing e volta ao campo para fazer os gols que o ataque tanto perde?

De olho nisso tudo está o Cruzeiro. Que também pisa na bola quando se espera que finalmente vá dar o bote e encostar na ponta. Time para isso tem. Pernas já não se sabe. Thiago Ribeiro e Montillo quase pediram balão de oxigênio ao final do empate com o Atlético Paranaense.

Hoje contra o Goiás, o tipo de adversário contra quem o Corinthians perdeu pontos importantes ontem, o Cruzeiro tem a chance de pular de posição e se candidatar ao preenchimento da vaga do anúncio lá de cima.

Santos e Inter são candidatos que estão numa boa. Têm lugar garantido na Libertadores e podem até esnobar a proposta do Brasileirão. Mas têm disposição para acumular duas funções.

A turma lá de baixo, no final, é que pode resolver o campeonato enquanto luta para sair do sufoco. Como fez o Galo ontem, jogando com coração, longe ainda de um bom time, mas suando cada gota em nome da torcida. E ainda veremos muitos confrontos entre sonhadores e desesperados.

Arena Palestra

Finalmente o Palmeiras deve começar a construir sua nova Arena. Uma notícia importante nesse momento em que os estádios para a Copa caminham devagar. O estádio palmeirense deve ser alternativa para o Mundial de 2014.

O Palmeiras alega não ter feito o estádio para a Copa, mas sonha, sim, em receber um jogo da Itália em 2014, ano de seu centenário. O alvará obtido junto à Prefeitura de São Paulo é o primeiro passo nesse sentido. Também pode ajudar o clube a equacionar seus problemas financeiros, já que com o estádio em construção fica mais fácil vender camarotes, cadeiras cativas e faturar algum.

terça-feira, outubro 05, 2010



Carpe Diem

Tricolor é

para 2011

E mais: Arena Palestra, bonecos de Ganso e Neymar, preocupação corintiana e ética no esporte.

Leia na coluna desta terça-feira no Diário de S.Paulo:

domingo, outubro 03, 2010


Embolou na urna

e dentro de campo


O final de semana eleitoral e futebolístico tem cara de empate. A perspectiva de segundo turno na eleição presidencial é facilmente refletida na indefinição sobre o título brasileiro de futebol.

A série de empates envolvendo Fluminense, Corinthians e Cruzeiro mudou pouca coisa na disputa interna do trio, mas abriu uma brecha para que o Internacional voltasse a sonha. Como tem um jogo a menos, pode ir até 47 pontos e, teoricamente, encostar em cinco no Flu.

O Corinthians, também na teoria, pode recuperar a liderança se vencer o Vasco por uma improvável goleada, ultrapassando o Flu no saldo de gols.

Dez pontos atrás do líder e com uma bela campanha de recuperação, o Atlético Paranaense se credencia como candidato a grande surpresa.

Dele pra baixo, até mesmo Botafogo e Santos estão mais para zebras se conquistarem a taça, dada a irregularidade mostrada.

A briga pela Libertadores eu diria que vai até quem tem 39 pontos, mas com cara de conquista épica para essa turma caso a vaga aconteça.

Para fugir do rebaixamento é que a coisa deve complicar. E de acordo com minha velha tese, é no confronto entre a turma de cima e a de baixo que o campeonato deve ser resolvido. Não lembram, refresco a memória dos amigos aqui.