segunda-feira, outubro 11, 2010

Corinthians se complica sozinho


Pior que a derrota para o Atlético Goianiense foi o que o Corinthians aprontou após o jogo. Não dá para acreditar que Adílson Batista pediu demissão. Alguns dirigentes corintianos mais bocudos não demoraram a confirmar para vários interlocutores o que era evidente: Adílson teve a cabeça cortada e entregue numa bandeja para os torcedores que atualmente apitam alto no Timão.

Aquela reunião de líderes de uma torcida com os líderes do elenco foi emblemática. Para não dizer nojenta. A armadilha estava preparada.

Claro que Adílson cometeu alguns erros, mas sem contar com Elias, Jorge Henrique e Ralf, ainda que escalasse Chicão e Paulo André, o Corinthians dificilmente seria o mesmo time que deu pinta de que conquistaria o título nacional.

Ainda pode conquistá-lo, mas aos poucos vai dando mostras de que nem tudo que o competente marketing corintiano pinta tem as cores da verdade.

Jogar a culpa de alguns maus resultados em Thiago Heleno e Moacir é reduzir a discussão. Afinal, quem é o substituto de Ronaldo, que quase nunca joga? Souza, que não resolve como deveria. Danilo não rende o que rendia no São Paulo, Edu voltou mas não voltou. Enfim, há uma série de equívocos que, como sempre, são ignorados por quem os comete. Na hora do aperto, sobra para o eterno burro de plantão no futebol: o técnico.

Quando ganhou, Adílson foi saudado como uma brisa de agressividade no time do Corinthians. Muita gente chamava Mano de retranqueiro, defensivista etc. Adílson, sim, sabia colocar o time para a frente, jogando em velocidade. Quantos não foram os jogadores que enalteceram isso? Quandoa  fase é boa, tudo fica mais fácil, as palavras soam firmes, embora possam ser falsas.

Resta saber os rumos do futebol corintiano. Quem assumirá a responsabilidade agora? Quem, efetivamente, manda no futebol do clube?

6 comentários:

Christian disse...

Nori, o que vc disse está certo, mas tem algo que não dá pra entender: será que se eu ganhasse muito dinheiro para fazer algo que eu gosto e fizesse só isso da vida, eu não conseguiria enxergar o óbvio? Será que eu não veria que com Ronaldo e Dentinho no DM e Souza performando mal, não pensaria em testar Dodô ou William Morais para uma contingência, como a contusão do JH, por exemplo?? E para que eu testaria a inversão de posicionamento do Thiago Heleno com o William se o contrário (o capitão na zaga esquerda) estava funcionando? Olha, sinceramente, eu acho que a demissão foi uma decisão intempestiva. Talvez um "cara, olha a merda q vc tá fazendo" há uns 3 jogos já resolveria. Ou não... Abç

Anônimo disse...

Já foi tarde, um técnico que insiste em Thiago Heleno e Moacir não poderia continuar, isso é não entender nada de bola.

JA FOI TARDE!!!

side disse...

Mas não tem como negar que Thiago Heleno, Moacir e Souza já vinham mal de partidas passadas. Principalmente o Souza que claramente entra em campo sem vontade.

Não gosto de comparar mas, nisso o Mano era coerente. Jogador que ele 'sentia' que a torcida pegava no pé umas duas ou três partidas era rapidamente recolhido. Com excessão de Lulinha que, mesmo com atuações medianas, era mantido no time sob vaias da torcida.

Mano teimou algumas vezes mas acabou saindo por cima. Adilson tentou insistir também mas não teve a mesma sorte.

Cleber disse...

Nori, exatamente isso. Esses dirigentes boca-aberta são os mesmos que omitem o fato que eles pagam um dos mais altos salários do futebol brasileiro pro Souza. O custo benefício disso é como comprar um Gol pelo preço de uma Ferrari. Além disso, contratações mal feitas (pq não deram certo) como ade Tcheco, DVDerico, Edu, entre outros, nunca são citadas por esses diretores. Se o time 'ideal' tivesse sido realmente montado,o Corinthians tinha levado a libertadores e tava com esse brasileirão praticamente garantido, já que é o campeonato com o pior índice de aproveitamento do líder nos últimos anos.

Anônimo disse...

O Corinthians tem uma penca de volantes invejável, nenhum time tem igual e isso vinha segurando o timão lá em cima. O Mano colocava o time de acordo com suas limitações, atrás, saindo rápido. Se o Corinthians quiser continuar a ter pretensões ao título tem que voltar a jogar fechadinho. Muito simples em casa joga Paulinho que chega rápido na frente, fora joga o Ralf, as vezes até com 4 volantes.
Afinal que opções temos em relação ao ataque?


Nori, ... abs
Mozart

Alcides Drummond disse...

Tentei postar a mensagem abaixo à sua coluna no jornal impresso, mas
não consegui. Se for de alguma utilidade, peço-lhe o favor de fazê-lo via seu cpu. Se não for poissível, delete. Agradeço. (AD)
======================
Palmeiras e Corinthias se repetem, constantemente. O maior exemplo foi quando o Palmeiras caiu para a segunda divisão e a torcida alvinegra dizia que seu time era "incaível". Pouco tempo depois o Timão foi para a segundona. O Corinthians dificilmente vai repetir o Palmeiras do ano passado porque tem um elenco muito mais consistente e jogadores reservas de qualidade para quase todas as posições. Anote aí. Tite vai arrumar rapidamente o Corinthians. Se eles vão ganhar o título, é outra convers, mas que têm perspectivas para isso, têm. Enquanto isso o Palmeiras já começa a pensar os nomes dos zagueiros ou dos meio-campistas brancos, preferencialmente destros e enfeitadores que deseja contratar para a próxima temporada, pois acha que está muito bem servido apenas com Kléber e com Valdívia para o ano de 2011. E tome elogios à inútil "escola de goleiros" que formou tantos e tantos profissionais para reforçar equipes do interior ou de outros estados. Marcos é titular há 20 anos e irá voltar em breve. O Palmeiras precisa mesmo é de uma escola de atacantes. Chega de perfumaria! Palaia acertou em acabar com o come e dorme da A2 que não consegue, pela mentalidade arcáica da diretoria e da torcida, aproveitr, sequer, um jogador por ano. (Alcides Drummond)
alcidesdrummond@yahoo.com.br