sexta-feira, maio 21, 2010

Colorado na raça.



Mengão na trave





Haja, coração! Os jogos de quinta-feira pela Libertadores foram espetáculos maravilhosos de futebol, entrega, emoção e suspense. Abençoado seja o meu querido mata-mata, uma vez mais.



O Inter conseguiu uma classificação sensacional, com um gol do talentoso garoto Giuliano que já era para ter saído antes, tal o volume do jogo colorado em Quilmes. O time gaúcho fez uma grande partida diante de um adversário excelente, que marca forte e joga de maneira eficiente. No final, a equipe do Estudiantes não suportou o ritmo pesado do jogo e das frequentes decisões e, cansado, deu espaço para o Inter jogar - e bem.



Em Santiago, o Flamengo também fez um grande jogo e acabou sendo punido pelo jogo ruim do Maracanã, a falta de equilíbrio pesou. Adriano deu uma aula de posicionamento e toques de primeira, jogando com técnica refinada. Todo o time esteve ligado, pilhado, jogando uma final de Copa do Mundo.



Acontece que a Universidad de Chile tem uma grande equipe, que joga e deixa jogar, apresentando como único defeito a fragilidade de marcação de seus volantes à frente da zaga. No mais, um time técnico, habilidoso, com um Montillo genial, que fez o grande gol da Libertadores até agora, uma pintura.



O único senão da atuação rubro-negra, em que pese a eliminação, pode ser uma falha muito bem apontada pelo sempre excelente Lédio Carmona em seu comentário no SporTV. Williams é quem deveria ter sido substituído por Rogério, já que tinha cartão amarelo e, pelo jeitão do jogo, não seria absurdo supor que tomaria o segundo (ainda que bastante discutível, já que atingiu o atleta chileno sem intenção, por puro acaso).



Mas o Flamengo provou que quando há compromisso de seus jogadores é um time fortíssimo, candidato a tudo que disputar.



Como Inter e São Paulo, que farão uma semifinal de arrepiar, reunindo as equipes brasileiras mais vencedoras em âmbito internacional nesta década. Duelo sem favoritos, que por culpa do calendário será adiado em um mês quando seria ótimo se fosse já na quarta-feira, com os times pulsando em ritmo acelerado. O jogo pelo Brasileirão nem de aperitivo servirá. Fica mesmo para 28 de julho.





E agora, dona Conmebol?



O que fazer com as cenas de selvageria do Santa Laura, em Santiago? Jogadores sendo alvejados por toda sorte de objetos vindos das arquibancadas. Juan foi atingido em cheio, Angelim também. Haverá interdição do estádio? Isso acontece sempre em jogos na Colômbia, no Chile, em toda parte. E nada muda.



E em Quilmes, onde o goleiro reserva Lauro, do Inter, agrediu covardemente De Sábato e saiu correndo, para ser encurralado depois por Orion e tomar uns sopapos. E De Sábato, que covardemente deu uma cabeçada em Abondanzieri pelas costas? E quem agrediu Alecssandro em pleno banco de reservas? Algum integrante da delegação colocarada foi pisoteado em plena entrada do túnel (não deu para ver pelas imagens). Lauro e De Sábato serão punidos como devem ser?



A Conmebol fará algo? Não se sabe, já que a entidade está mais preocupada em evitar uma final entre brasileiros e encobrir o fato de que nosso futebol sobra, nada de braçada no continente nos dias de hoje. Ou então a sul-americana pensa apenas na grande arrecadação de impostos que é a Libertadores, onde o cartão amarelo serve apenas para encher os cofres e não traz benefício disciplinar algum.

3 comentários:

Anônimo disse...

Libertadores é mesmo uma delícia...

Só é uma pena ver três seminifinalistas leões em campo, jogando com a garra e o coração que a competição pede...

... e lamentar a presença de um time que em 180 minutos não faz gol num time peruano e depois ainda é ajudado com gol anulado na casa do adversário e jogador expulso no primeiro minuto no jogo de volta. Um time que tem em seu maior ídolo uma pessoa que nunca admite nenhum de seus erros.

Na probabilidade matemática, temos três chances de termos um campeão guerreiro... e uma chance de ver coroada mais uma vez as meninas retranqueiras com o apito.

Mas, como futebol não é "quem joga melhor" e nem "quem merece mais" (muito menos isso !!!) e o mundo está cheio de exemplos que deixam os torcedores desgostosos, resta torcer... torcer muito. Pelo bem do futebol.

Vai, Inter !
Vai, Chivas !
Vai, LaU !

E sorte pro meu Leão na série B !

Abraços,

A. Laura - Recife/PE

André disse...

Mas o Flamengo provou que quando há compromisso de seus jogadores é um time fortíssimo, candidato a tudo que disputar.
_____________

Disse tudo, Noriega.

Perder é do jogo. O que me deixa puto, às vezes, é como se perde. E o Flamengo perdeu, jogando bola. A lamentar a atuação de KLEBERSON e MICHAEL. Destoaram... como sempre. Obrigado, Dunga, por ter convocado essa mala chupa-sangue indolente.

claudinho disse...

primeiro gostaria de dizer Nori que sou seu fã, segundo o rapaz ai do comentário tem razão o kleberson até na bola tropeçou, e olhe que sou Santista mas não pude deixar de assistir aos jogos,,e quanto aos jogadores do inter serem agredidos,,,vou dizer infelizmente nada vai acontecer,,mas vou dizer uma coisa ,tá na hora de alguns jogadores virarem homens e descer o braço nesses argentinos que sempre querem ser mais machos que todos,,e vcs virão como os torcedores e jogadores e até alguns jornalistas simpatizantes do grêmio são iguais aos argentinos, até na hora de torcer lá no sul,,ou eles acharam que iriam segurar meu peixe na vila,, fica um abraço pra vc Nori pois te considero um dos melhores reporter esportivo da tv e mande um abraço para o Milton Leite que por causa dele minha bêbê falou quase que primeiro,,a frase dele " QUE BELEZA" abraços.