segunda-feira, setembro 28, 2009

O apito acerta e

erra para todos


O que circula de teoria conspiratória entre os torcedores brasileiros é de fazer inveja a qualquer espião. Em comentários de blogs e sites de torcedores aparecem acusações cabeludas, a maioria sem qualquer fundamento, beirando a ficção de quinta categoria. Boa parte das críticas, é claro, ataca a arbitragem e, também, a Imprensa esportiva, a eterna culpada pelos fracassos dos clubes que fracassam e permanente perseguidora dos clubes que triunfam.

Quanta bobagem!

A arbitragem nacional vive um momento ruim, isso é óbvio. Está em curso uma renovação forçada e meio apressada que coincide com o fato de muitos bons árbitros estarem no fim da carreira. Há erros e acertos para todos os lados. A frase mais sensata sobre isso foi proferida pelo técnico do São Paulo, Ricardo Gomes. Segundo ele disse - e concordo - no campeonato de pontos corridos os erros se diluem ao longo da competição e ninguém acaba sendo mais favorecido ou prejudicado.

O Cruzeiro esperneou pelos erros de arbitragem na derrota para o Palmeiras, mas calou quanto ao gol em impedimento de Gilberto contra o Barueri. Assim com o Palmeiras tinha criticado o fraco Evandro Roman pelos erros na derrota para o Goiás. O mesmo Roman que errou na vitória palmeirense sobre o Cruzeiro. Dirigentes do São Paulo reclamaram do pênalti marcado para o Palmeiras contra o Barueri, mas silenciaram quanto ao gol em impedimento de Wasington contra o Corinthians. Assim como os corintianos ignoraram os dois gols em impedimento na vitória sobre o Inter, e os colorados fingiram esquecer os dois gols em impedimento no empate com o São Paulo. É a velha história da cobra que come o próprio rabo.

O que quero dizer é que erro tem pra todo mundo e pra todo gosto. Mas o torcedor, apaixonado e irracional como deve ser um torcedor, acha que é sempre contra o time dele. Que quando erram a favor de sua equipe a gritaria é maior, e contra, há um silêncio cúmplice. E a culpa é sempre da imprensa esportiva, como escreveu um blogueiro chamado Marcelo, que é, segundo ele, "desonesta e tendenciosa". Ele dá a entender que a mídia favorece os times de maior apelo e torcida, como Corinthians e Flamengo. Mas esquece da "gritaria geral" em 2005 quando do escandaloso pênalti de Fábio Costa e Tinga, não marcado por Márcio Rezende de Freitas. 99% afirmaram que era um erro grosseiro.

Todos acusam, nunca provam. Até entre alguns colegas rolam afirmações que carecem de fundamento, sobre favorecimento a este ou aquele Estado por questões políticas e financeiras. O torcedor é sempre assim, respeito demais isso. Acontece que poucos resistem a duas ou três argumentações quando confrontados, seja por técnicos a quem chamam de burros ou por jornalistas a quem acusam de tudo.

Já recebi e-mail de gente me acusando de ter falado coisas terríveis em jogos que eu sequer comentei. O melhor deles eu recebi quando estava na Áustria, trabalhando na Eurocopa, e um cara me espinafrou dizendo que eu tinha falado bobagem no jogo do time dele no Brasileiro. Como, se eu estava a milhares de quilômetros do jogo? Ah, a paixão! Faz o sujeito ouvir até o que você não disse. Normal, faz parte.

A única coisa que posso afirmar, em mais de 20 anos de carreira, é que existe, sim, influência dos bastidores, como em qualquer modalidade de disputa, seja ela esportiva ou não. E que sempre o time campeão, além de ser bom na bola, também é bom nos bastidores. Faz parte do jogo, de uma certa sujeira que acompanha o mundo e a humanidade.

Com diz o grande Rubens Francisco Minelli, "se fosse dado o direito ao torcedor de saber o que acontece no dia-a-dia de um time de futebol, ele não seria mais torcedor".

6 comentários:

Anônimo disse...

Caro Nori,

Ah que bom se todos aqueles envolvidos no esporte tivessem a visão clara e sensata que você possui. Isso independe de paixão ao clube. Nada mais saudável do que brincar com o colega após uma vitória da sua equipe em cima daquela pela qual ele torce, e só!!! É triste ver pessoas pessoas que criam sites e blogs para "comentar" única e exclusivamente a atuação de sua equipe, como se fossem perseguidas por um regime nazista, e pior, "analisar" a atuação dos profissionais de imprensa, como se estes fossem responsáveis pela má administração de seu presidentes e diretores. Quanto absurdo (pessoas inclusive que chegaram a comantar aqui no blog)!! Parece que querem ocupar o lugar daqueles que dignamente excercem sua profissão. São "jornalistas" frustados!!!!!!!!!!!!
E não são só os torcedores, os dirigentes também são mestres em tais atitudes, com exemplo mais recente do Sr. Andres Sanches e o técnico Mano Menezes, que afirmaram ontem que o São Paulo é "expert" em pressionar a arbitragem, como se o timão nunca tivesse sido favorecido em lances capitais.
Que as pessoas tenham um pouco mais de razão e sensibilidade, para que não tornem o futebol uma arena de gladiadores!!

André Antunes
São Paulo

Tati disse...

Olá Noriega,

Sempre acompanho seu blog e, para variar, concordo com você em gênero, número e grau.

Sua imparcialidade, suas análises precisas e a forma como você se expressa me levam a elegê-lo como o melhor (disparado) comentarista de futebol!

nopiquedabola disse...

Nori, de fato esses erros e, principalmente, as discussões que envolvem a arbitragem nunca vão terminar. Pode-se importar árbitros, pode-se profissionalizar o cargo, pode-se usar o recurso da tecnologia. Seja lá o qeu for usado, as dúvidas vão continuar existindo e as acusações mais ainda.

É isso que você disse: "os bastidores fazem a diferença". Infelizmente.

Vamos convivendo, não é mesmo?

Acabei de postar um texto sobre a perseguição de grande parte da imprensa à seleção brasileira.

Dá uma passada lá: http://nopiquedabola.wordpress.com/

Abs!

Marcelo disse...

Maurício Noriega. Prometo não escrever mais sobre o assunto já que respeito este blog como valoroso espaço para se falar de futebol. Concordo que fui tendencioso em minhas colocações já que foi simplesmente um desabafo de um torcedor. Discordo apenas de me ter atribuído a criação de teorias conspiratórias e de mania de perseguição quando na verdade escrevi justamente para rebatê-las: não fui eu que disse que o Cruzeiro é vítima de um complô dos times paulistas; não fui eu que disse que há um esquema de favorecimento para o Palmeiras se manter na liderança (entre outros exemplos você pode conferir esta manchete em destaque no UOL Esportes de hoje 29/09); não fui eu que veiculei insinuações de armação ao noticiar o fato de Belluzzo enviar um e-mail à comissão de arbitragem na véspera do jogo mesmo sabendo que desde o jogo contra o Goiás havia um protesto da diretoria palmeirense à escalação deste árbitro; não fui eu que inventei o tal “Esquema Parmalat”; não sou eu quem insinua existir o tal “Esquema Traffic”; não sou dirigente de clube que vive dizendo que existe um complô para derrubar o São Paulo. Eu disse apenas (exageros de torcedor à parte) que os erros de arbitragem estão prejudicando todos os times sim e não só aquele que vem se fazendo de vítima de um complô desde o ano passado, o São Paulo F.C.. Eu não disse que só meu time está sendo prejudicado. E também, perdoe-me se não fui claro, não disse que a mídia favorece Corinthians ou Flamengo, clubes de tradição pelos quais tenho o maior respeito, apesar de rivais. Disse apenas que a mídia é tendenciosa sim enquanto dá voz desproporcional à choradeira dos sãopaulinos, estes sim, com suas teorias conspiratórias e manias de perseguição. Agradeço pela publicação daquilo que escrevi mesmo com sua discordância, reiterando que não partiu de mim a existência de esquemas e complôs, e acredito que a mídia é sim tendenciosa a partir do momento em que ela dá vazão (e até provoca) esses tipos de “teorias”.

Jean Fernandes disse...

Noriega, vamos olhar a coisa pelo lado da competitividade. Imagine um Brao equilibrado como está sendo, onde está muito difícil ter claras chances de gol, do cara receber uma bola limpa, etc..

Os caras treinam esperando a semana inteira por uma ou duas chances (as vezes nem isso), em uma hora e meia de jogo.

Bom, com este cenário, junta torcida, posiçao na tabela, jogo do adversário e o cara tem que se manter frio, para acertar aquela "umazinha". Olhe agora toda a infraestutura e logística que é feita por uma bola boa pra chutar e quem sabe marcar.

Reveja tudo pelo lado do defensor, só muda o objetivo.

Agora pega 3 camaradas, humanos, com limitação de recursos (hoje o futebol é em décimos de segundo, nos lances decisivos), e dão aquelas pixotadas (aquela falta no cara do cruzeiro por exemplo, contra o palmeiras..só para citar um absurdo, ou mesmo aquela do simon que deu um penalti cafajeste, quando o cara caiu a 800 metros da jogada)...

Bom, pensa ae, por mais profissional que o jogador seja, frio e calculista (tira o romário desta eheeheh), uma hora colega, o cara perde a concentração. Lamentar e por o juiz na geladeira depois, não diminui em nada toda uma semana de trabalho, e toda uma remada extra (imagina se for para recuperar os pontos fora ?).

Eu nem falo dos comentários de tv (para mim, é facil ver na telinha e comentar, isso é coisa para amador). Falo sim, de coisas que 10 a 20 mil pessoas presentes, vivenciam lá, na hora em que acontece. Tem que ter rigor e critério dentro, e rigor de pré avaliação dos árbitros. São fracos para o nível de futebol (a grande maioria).

O problema não é índole, é qualidade. E como a cada dia que passa, os caras de preto, se acham parte do "show da mídia", querem aparecer, ou ficar de conversa com os jogadores. Para isto servem os cartões. Todos que estão ali dentro sabem das regras (ou deveriam saber).

Tirando a malandragem, e essa conversa fiada de jogar a torcida contra o juiz (coisa mais besta de falar na tv), os caras deveriam fazer o básico e realmente punir os malas e apitar simples. Nada contra os impedimentos de 25 cm poruqe também é impossível, mas as faltas, os agarrões e as caneladas sim,...

Vai precisar um juiz macho marcar uns 8 penaltis numa partida, e por uns 4 no chuveiro, pelo simples fato de estarem infringindo as regras e todos começarem a prestar atenção ???

Difícil ter bom senso dentro de campo, quando 22 querem a mesma coisa e fazem de tudo para tal.
Mas é necessário.

É preciso dar autonomia a entidade gerente e profissionalizar. Só fica quem sabe. Essa onda de sorteio é uma tremenda palhaçada.

PS: esses ex-árbitros que comentam com VT, fala sério, não são melhores dos que estão no top. Talvem tivessem mais condições de impor respeito, mas faziam cagadas históricas....

E porque não fazer um intercâmbio de árbitros para melhorar a qualidade. Fazer isto uma vez por ano é pouco.

Emanuel disse...

Caro Maurício Noriega,

Seu texto é sempre equilibrado e sensato. Por isso volto aqui sempre. Sobre a perseguição que jornalistas sofrem dos torcedores "injustiçados", um outro texto muito bom sobre o assunto foi escrito pelo André Kfouri, que você acha aqui http://blogs.lancenet.com.br/andrekfouri/2009/08/30/coluna-dominical-36/

Não sei se você conhece, mas fica a sugestão.