quinta-feira, novembro 19, 2009

Termômetro da arquibancada


Lançado com pompa e projeções ambiciosas, o programa de sócio-torcedor do Palmeiras patina como o time. Apenas 1.245 palmeirenses aderiram, segundo o contador da própria página do programa na internet.

Moral da história: o torcedor de bobo não tem nada e seu comportamento na arquibancada reflete o que faz em campo o time.

3 comentários:

vinaxavier disse...

Fala Nori, beleza??? Como explicar então os 20 mil sócios do Atletico Paranaense??? Melhor estádio??? Melhor atendimento??? um abraço

Robert Alvarez Fernández disse...

Maurício, muito oportuna a questão proposta, sobretudo ela entra no aspecto sobre como mercadorizamos o futebol, no sentido melhor da palavra.

Essa questão me foi feita em um workshop para imprensa esportiva que fizemos na Escola de 10 a 19 de Novembro e que foi ótimo, com excelente participação de vários colegas seus, com público tão legal, ficou fácil dar aula.

Minha resposta foi a de que, claramente, o programa foi lançado no momento errado, não só pelo desempenho do time, mas por ser final de temporada, quando a overdose de futebol faz efeito.

Esse tipo de produto é pra ser lançado em começo de temporada, a meu ver, tempo de esperanças renovadas, contratações, etc. e com o público com "saudade" de ver seu time, é uma opinião simplista, talvez, mas é, dentre outras ações, o que eu faria.

Abraços,

Robert

Denis Dias de Lima disse...

vinaxavier, você está comparando um programa de quase dois anos de idade (o do Atlético) com outro lançado há apenas 10 dias (o do Palmeiras). Vale lembrar que a principal vantagem ao torcedor (compra online de ingressos com desconto) só começa a valer em 2010, então o volume de adesões deve melhorar no início do Paulistão 2010.