segunda-feira, junho 22, 2009

Se não fosse a arbitragem,
a rodada teria sido ótima


De novo os árbitros ruins atrapalharam a rodada. Resta saber porque um cara como o Djalma Beltrami ainda apita jogos do Brasileirão na Série A. Não se trata de azar quando a coisa se repete tantas vezes assim. Toda hora tem encrenca num jogo apitado por ele. Então, o problema só pode ser ele.

Detalhe: não se tire o mérito do bom jogo feito pelo Atlético Mineiro, que foi mais equilibrado que o Santos. Mas por mais que se veja o lance do gol anulado da equipe santista, não se observa irregularidade. Sem contar o termina, não termina do jogo. Patético. O Santos precisa arrumar a defesa de novo, enquanto o Galo vem provando que Celso Roth continua trabalhando bem e que Diego Tardelli também sabe jogar sem ter o Leão no banco. Golaço do Evandro.

Em Curitiba a mancada foi do auxiliar Guilherme Camillo, que anulou um gol legal de Obina para o Palmeiras contra o Atlético Paranaense. O segundo tempo palmeirense foi bom, de raça, mostrando que a equipe reagiu rápido à eliminação na Libertadores. O Furacão com Waldemar Lemos também progrediu.

Foi uma bela rodada, pena que os erros da arbitragem ganhem espaço quando não deveriam recebê-lo, isso se não acontecessem.

Trabalhei no clássico entre Corinthians e São Paulo. Bom primeiro tempo do Tricolor, mas não fez gol. Cristian marcou 1 a 0 e no segundo tempo o Timão mandou no jogo e se deu ao luxo até de brincar. Se joga sério o tempo todo teria feito mais.

Seguro, equilibrado e consistente, o Corinthians é um time pronto. O São Paulo desmoronou, mas mostrou que mesmo em crise, tem jogadores suficientes para buscar uma recuperação. Resta saber se o clima político permitirá.

E o Inter, o que aconteceu com o time do Tite? E o Flamengo, o que houve com o time do Cuca?

E o Barueri, que pôs fim a uma sequência de 27 jogos e 9 meses sem derrota do Cruzeiro?

E o Pedrão, que á artilheiro do Brasileirão?

3 comentários:

Thaís Poggio disse...

Oi Nori! Tudo bem?

Também acho que a diretoria do São Paulo fez a maior besteira do mundo ao demitir o Muricy, afinal 3 brasileiros seguidos não é qualquer coisa né?

E quanto as arbitragens, elas falahram muito nessa rodada. coitado do Obina!! rsrsrss

Adorei o blog!!

Eu estou ajudando a produzir um blog, de uma olhada! veja o que vc acha!!
www.ligadonabola.com.br

Beijos

Lasagna disse...

A arbitragem no Brasil sempre foi péssima...

O mais engraçado é ver suíno reclamando de arbitragem do jogo passado, sendo que já foi ajudado por várias vezes esse ano... Pq o Sr. Cipullo não veio na imprensa dizer que é um absurdo dar um gol que a bola não entrou, a favor do time dele? Ou anular um gol que a bola ENTROU contra o time dele?

Ele só vem fazer discurso quando erram contra ele e quando beneficiam ele é todo elogios à arbitragem?

Isso me parece deficit de carater.

advcustodio disse...

NORIEGA,

A QUESTÃO DO ERRO DO BELTRAMI É MAIS PROFUNDA DO QUE SE IMAGINA.

Nem vou entrar no mérito se havia ou não impedimento.

Nem tampouco do 3º gol do Santos, em que imagens da Espn Brasil e da TV Alterosa, afiliada SBT em Minas Gerais, mostra sim falta.


O fato é que sou advogado e participo de uma lista (Cevleis) que trata especificamente de Direito Desportivo.

Sobre a questão do erro do Beltrami, transcrevo pra ti, opinião técnica do Dr. Marcilio Krieger, um dos papas do Direito Desportivo brasileiro, a saber:

a) os minutos de acréscimo a cada tempo são da estrita atribuição do árbitro, que deve sopejar, para essa concessão, quanto foi gasto em substituições, em atendimento médico, em “jogar-tempo-fora”.

b) A ESTRITA OBSERVANCIA DESSE TEMPO É UM DOS ATRIBUTOS DO ÁRBITRO : ele não precisa ( repita, NÃO PRECISA!) esperar o esgotamento desses acréscimos para encerrar o primeiro ou o segundo tempo da partida;

c) A observação necessária é: tempo perdido no primeiro tempo, nele se recupera ( já que o do segu ndo tempo não pode ser recuperado no primeiro tempo…);

d) Se entender (o critério é únicamente seu) o árbitro pode encerrar a partida ANTES de esgotados os acréscimos, PORÉM JAMAIS ANTES DE ESGOTADO O CHAMADO TEMPO REGULAMENTAR. Claro está que me refiro aos casos normais;

e) PORÉM, APÓS HAVER DADA A PARTIDA POR ENCERRADA, NÃO PODE ELE SOB QUALQUER PRETEXTO REINICIAR A PARTIDA A FIM DE SEREM ESGOTADOS OS MINUTOS FALTANTES…..
(veja-se o dito acima letras “b” e “d”).

f) Se o árbitro encerrar a partida antes de esgotados os 45 minutos do segundo tempo, NÃO TEM ELE O PODER DE VOLTAR A REINICIÁ-LA.

Deverá relatar os fatos na súmula/relatório que será encaminhado à JD para processamento e julgamento.

TENHAMOS CLARO: ENCERRADA A PARTIDA, NÃO PODE SER ELE REINICIADA POR INICIATIVA DO ÁRBITRO.

POR CONSEQUENCIA, TUDO O QUE ACONTECEU APÓS A PARTIDA SER REINICIADA, NÃO TEM VALIDADE JUS-DESPORTIVA.

REFIRO-ME A GOL, CARTÃO AMARELO, CARTÃO VERMELHO.

Estas foram as palvras dele.

Ou seja, a expulsão do zagueiro do Santos pode ser cancelada, se pedida pelo Santos.

E, fosse dado o resultado final como 3 x 3, o GALO, na justiça desportiva, poderia alegar ERRO DE DIREITO para modificá-lo, apesar de que, no Brasil, nem sempre e lei é regra.

Abraços