domingo, junho 07, 2009

A Dunga o que é de Dunga


Antes de mais nada, continuo achando que Dunga não deveria ter sido chamado para ser o técnico da Seleção. Mas esse é um velho vício brasileiro, deixar a meritocracia, a experiência, o resultado, a carreira construída de lado, para apostar - literalmente - em certas situações. Como sempre digo, não se pode dar o comando de um jato comercial para um piloto recém-saído do aeroclube.

Isso posto, é preciso reconhecer os méritos de Dunga no comando da Seleção onde eles existem. Os resultados das Eliminatórias são cristalinos. A Seleção Brasileira tem 18 gols de saldo, um luxo se comparada aos grandes rivais do continente.

Mas vejo o seguinte para acrescentar à lista de acertos de Dunga:

- essa Seleção é uma calmaria, sem escândalos, sem problemas internos, sem picuinhas.

- o discurso é uniforme e os jogadores compraram a idéia de Dunga.

- goste-se ou não das escolhas de Dunga, há uma coerência e essa coerência é compartilhada pelos jogadores.

- Dunga não joga, jamais, a conta na mesa dos jogadores. Isso aumenta a confiança que eles têm no treinador.

- ótima a entrevista de Dunga sobre o Uruguai e a pancadaria. Enaltece o bom trabalho dos jogadores e praticamente anula, em termos de mídia, os pontos fracos do Brasil. Nessa foi inteligente.

O Brasil vai de novo a um Mundial, o que todos já sabiam. A essa altura do campeonato, mesmo que tenha sido uma invenção, Dunga merece ir à Copa. Seu desempenho à frente do mais importante time do futebol mundial abre espaço para uma reflexão. Será que os treinadores são assim tão importantes como alguns pensam ser?

5 comentários:

Corival disse...

Noriega, os técnicos, especialmente no caso da seleção brasileira são muito menos importante do que pensam. a principal responsabilidade do técnico da seleção é fazer a convocação, e é aí que o Dunga peca, ele tem mais idiossincrasias que os outros técnicos. E para piorar essas idiossincrasias ficam ainda mais claras na escalação. então quando não dá sorte de fazer gol logo, o jogo fica chato, truncado.

João Salvatori disse...

Ao que parece a disciplina voltou.
Acabaram as baladas ( comandadas por Ronaldo e Adriano ).

abs

pedros disse...

em seleçao nao é tao importante pois a pouco espaço para treinos.Em clube é fundamental.Queria ver o Dunga pegar o Atletico MG por exemplo.Iria ser rebaixado no começo do 2 turno.

Anônimo disse...

Caro Nori,

Permita-me discordar de você (raras vezes isso acontece), mas acho que o maior mérito do Dunga foi ter apostado no Julio Cesar quando ainda não era a unanimidade que é hoje. Nos últimos jogos de nossa seleção, nunca fomos tão bombardeados pelo ataque das equipes adversárias, principalmente nos jogos contra o Equador e o Uruguai. Foram vários os milagres do nosso goleiro. Não gosto como o Brasil sob o comando do Dunga. Joga como time pequeno, aceitando pacivamente os ataques e depois, com méritos é verdade, matando o jogo nos contra-golpes.
Mesmo jogando em casa, contra Bolivia e Colombia, não passou do 0x 0, equipes que não ofereceram perigo.

Abração

André Antunes

Ronaldo disse...

Olá Maurício,

Concordo plenamente com a sua análise. No ritmo em que as coisas vão, se houver um bom planejamento para a Copa esse time tem boas chances de fazer um papel bem melhor do que a badalada seleção de 2006, que era melhor tecnicamente.
Abraços,
Ronaldo - Bauru/SP