quarta-feira, maio 13, 2009

Sua santidade Marcos

Perfeito. É a única palavra que pode expressar o que foi a atuação de Marcos contra o Sport. Talvez a maior da carreira desse goleiro de caráter exemplar e carreira tão gloriosa como complicada em virtude das contusões.

Duas defesas chamam a atenção. A primeira, numa cabeçada a queima-roupa, com reflexos de bloqueador de vôlei. E a última, num chute forte do garoto Ciro, no instante final de um jogo eletrizante, literalmente salvando o time. Dizer que ele falhou no gol do Sport é diminuir a beleza da jogada de Luciano Henrique.

Nas penalidades Marcos é um gigante. Seu 1m92 se multiplica diante dos batedores, que se veem diminuídos, acuados.

Dizem que não há vitórias individuais, mas essa do Palmeiras é 99% de Marcos. Ele compensou no braço as dificuldades do time, muito retraído, tímido, diante de um adversário ousado, seguro e decidido. O goleiro também livrou a cara de Luxemburgo, que ao tirar Keirrison e Diego Souza, além de encolher ainda mais o time, se viu sem dois potenciais cobradores de penalidades.

Marcão é desse tipo de jogador que trafega acima do bem e do mal entre os torcedores. Seria bem recebido até no Parque São Jorge, casa do maior rival dos palmeirenses, caso aparecesse para uma visita. Também é um herói com caráter, num universo futebolístico infelizmente recheado de macunaímas.

O azar do Sport foi ter topado com Marcão num dia de santo. Porque a vaga estava ali, tal qual moça indecisa, na dúvida cruel entre sucumbir aos encantos alviverdes ou rubro-negros. Como o Palmeiras poderia ter goleado em São Paulo, o Sport fez por onde massacrar em Recife. Mas no meio do caminho pernambucano havia Marcos.

10 comentários:

Leo Lagden disse...

Realmente o Marcos ontem foi decisivo.
Mas os dois técnicos pareciam querer dar emoção ao jogo.
Tirar um volante e colocar outro, Nelsinho?
Tirar Diego Souza, no momento que ele começou a prender a bola no ataque e diminuir a pressão do time de Recife, Luxemburgo?

O time do Palmeiras entrou muito defensivo e a cada minuto ficava cada vez mais.
Sorte que pode contar com um goleiro extra-classe e que decide quando precisa.

Abraços

Leo Lagden
www.blogdoargonio.blogspot.com

Rádio disse...

Adorei a referência literária !!!

Marcos = sem paavras.

Anônimo disse...

Como São Paulino, sou obrigado a dizer que pintou o campeão da Libertadores!!!

A campanha que o Palmeiras fez na primeira fase, aos trancos e barrancos (muitas vezes jogando bem e não conseguindo um bom resultado), depois uma vitória absoluta sobre o Sport na Ilha do Retiro e, no último jogo, um gol magnifico de Cleiton Xavier, raro de se ver hoje. Ontem, derrota no tempo normal, mas com grande atuação do Marcão, e nas penalidades, todos sabem o que aconteceu.

Sei não, mas acho que esse ano, por todos esses fatores, o Palmeiras esta com algo mais, além da competência de seus atletas, diria que esta com sorte de campeão.

André Antunes
São Paulo

João Salvatori disse...

Já falei disto aqui. O Marcos é do grupo, pequeno, de campeões mundiais. Esta ao lado ( não sei se está certa a grafia dos nomes )de Mayer, Zoffi, Felix, Banks, Gilmar, Tafarel,entre outros.
Agora, mesmo com toda a onda e bajulação, falta alguma ( muita )coisa para o Sport.
Já falei que o Sport teria o mesmo destino do Criciuma, Paulista e Santo Andre, apesar de achar, hoje, que o ele está mais para "Gremio do Nordeste". Time raçudo, valente, mas com muitos jogadores desprezados pelos times grande do Brasil.
O Marcos "encaixou" o penalti do Fumagalli. Espalmar para fora já é dificil, agora encaixar...

abs

Anônimo disse...

Só rezem para não pegarem o Boca... Vcs são fregueses de carteirinha...

João Salvatori disse...

Para quem não sabe, o Palmeiras leva grande vantagem em confrontos contra o Boca Jrs.
Perdeu apenas dois jogos.
Ganhou uns sete ou oito jogos.

abs

Alcides Drummond (OAV) disse...

Quando a estrela de Luxa se apagou, a auréola de Marcos iluminou o Palmeiras no caminho da classificação
Uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa.
Uma coisa é o jogo que o Palmeiras perdeu sem jogar bem.
Outra coisa é a disputa de penaltis em que o Palmeiras foi, simplesmente, Marcos, o rei do penalti.
Enalteça-se, porém, a humildade tática do Palmeiras, pouco peculiar ao "Luxa way style" mas o time jogou mal e o técnico esteve ainda pior.
Deixar um semi-morto como Keirrison para marcar os beques e puxar contrataques é querer um "milagre de Lázaro".
Retirar k9 era necessário, mas retirar Diego foi uma atitude indesculpável da parte de nosso treinador.
Retirar Souza para colocar Mozart
é inaceitável, não pela substituição em sí, mas pelas circunstâncias do jogo.
Luxa sabia que Wendel estava com indisposição estomacal e torcendo para o jogo acabar.
O Sport,a essa altura, concentrava os seus ataques em seu lado esquerdo com Luciano Henrique, Dutra e Ciro triangulando frequentemente pelo setor, justamente às costas de Wendel.
Quando Souza, o homem da cobertura e do primeiro combate deixou o campo, o setor ficou desguarnecido.
Mozart começou embolando no meio até que recebeu ordem para ocupar o espaço de Souza e ajudar Wendel.
Mas, ajudar como, se ele é canhoto
daqueles que precisam entortar o corpo se bola vem pela direita ?
A falta de visão de Luxa, custou-nos o gol de empate em jogada feita nas costas de Wendel.
Custou-nos, depois, a expulsão de Wendel e a sua ausência do próximo compromisso pela Libertadores. Segundos depois da expulsão, Ciro, posicionado pelo mesmo setor e sem marcação forte, quase fez o gol da vitória em defesa parcial antológica de Marcos. A essa altura um Palmeiras apavorado pedia a Deus e a todos os Santos que o tempo passasse logo a fim de que a Loteria Penal decidisse o jogo.
Atrevo-me a dizer que naquelas circunstâncias envolvidos aspectos táticos e psicológicas, com um homem a menos,o Palmeiras dificilmente resistiria sem levar gol se o jogo tivesse mais quatro ou cinco minutos.
Como a história é sempre contada pelos vencedores, ninguém se lembrará, passados alguns meses que o Palmeiras perdeu o jogo de 90 minutos e que Luxa teve a noite mais infeliz ao longo de sua vitoriosa carreira.

João Salvatori disse...

O Luxemburgo está em seus dias de Felipão.

abs

Anônimo disse...

O Keirrison eu ahei que deveria sair! Ortigoza tem mais garra, movimentação, finaliza melhor e acerta ao menos dois passes efetivos! Keirrison só devolve bola quadrada!
.
Afinal, Nori, o Keirrison não tem nada de interessante senão o oportunismo! Atualmente, com o de individualismo do Diego S. e falta de criação no meio campo não sobrou mais nada para o K9! Se for esperto, acerta com os EUROtários espanhóis! É visível sua insatisfação com o esquema tático!

Pedro disse...

Vários times tem bons goleiros.
Porem somente um tem um santo embaixo das traves. Sorte dos palmeirenses.