segunda-feira, maio 25, 2009

Silêncio pago em cheque. De craque


Uma história corriqueira no trânsito de uma grande cidade brasileira. Batida leve entre dois carros, nada sério. O veículo abalrroado (linguagem policial) era nacional, carro comum. O que o atingiu, um carrão desses importados, imponente.

Do carrão salta um craque. Prontamente saca o talão de cheque e, sem calcular os prejuízos que, diga-se, eram mínimos, preencheu a folha. R$ 80 mil (mais do que o valor do carro atingido) para evitar que alguém visse o que ocorreu e a chegada de algum paparazzo.

E a vida segue, sem problemas para os dois lados.

8 comentários:

Mauricio disse...

conta mais!

Janete disse...

Eu sei quem foi mas sabia de "apenas" uns R$60.000...ai, como eu queria dar uma batidinha dessas!!!

Janete disse...

AH, e tem mais....acho que ele, o craque, ganha tanto, mas tanto dinheiro, que não tem noção de quanto custa uma passadinha na funilaria...é isso que dá viver no 1º mundo!

Anônimo disse...

poh noriega....

o ronaldão bateu no seu carro?????

leticia disse...

nori, comente a contratacao do Obina pelo glorioso Palestra.
Ele chega para brigar por vaga ou so vai mudar o endereço de onde come acarajé?
Luxa fez besteira ou as vezes vale fazer contratacoes assim de super alto risco?


Bjs

Daniel B. Nogaroli disse...

E olha que isso acontece muito.
Muito legal o blog Maurício, juntamente com os seus comentários. Sou um fan seu e aspirantea jornalista.

Joao Luis Amaral disse...

Ô, Nori! Fala pelo menos em quando cruzamento foi... vou parar meu carro lá HOJE mesmo...
Ha ha ha!
Grande abraço,
Joao Luis Amaral

Penha disse...

Eu me divirto com o clube sujo... :)

O pior é que agora não podemos mais passar trotes no Suinódromo, agora eles tem oBina... Hê Hê Hê Hê Hê