segunda-feira, março 22, 2010

Tem problema se a

molecada do Santos

não ganhar nada?


Estava pensando nisso antes de escrever esse post. O sucesso do time de moleques abusados do Santos já provocou esse tipo de comentário nos torcedores rivais. Aquela coisa do "ainda não ganharam nada", "quero ver no mata-mata" etc.

Claro que todo grande time só carimba esse rótulo com conquistas. Assim mesmo, no plural. Mas mesmo sem não vier a ganhar coisa alguma esse Santos já cumpriu um papel relevante na história recente do futebol brasileiro.

Outros times que não ganharam títulos ou, pelo menos, não obtiveram conquistas de grande relevância deixaram suas marcas. Há exemplos nacionais e internacionais. A velha história de o melhor não venceu. Lembro aqui do Atlético Mineiro de 1977, do primeiro time dos Menudos do Morumbi do São Paulo nos ano 80, do Palmeiras dos mais de 100 gols nos anos 90, que só ganhou o título paulista. Temos a Holanda no campo internacional, a Hungria de 54, o Brasil de Telê em 1982.

Equipes que não venceram, mas deixaram gravadas a memória dos torcedores o exemplo do futebol bem jogado, do trabalho bem feito e do compromisso com uma proposta de jogo. Ganhar muitas vezes não representa jogar melhor, e competitividade e espetáculo não andam de mãos dadas em várias ocasiões.

O que fica desse time do Santos, dentro do momento histórico em que ele está inserido, é uma maneira diferente de pensar o futebol. Há uma geração talentosa de jogadores jovens e rápidos com o gene da ofensividade. Há um treinador inteligente e que, felizmente, parece ainda não ter sido picado pela mosca da vaidade e que não interfere no desenrolar do processo apenas por querer aparecer mais do que as verdadeiras estrelas do espetáculo.

Não é só porque faz 10 a 0 e 9 a 1 num curto espaço de tempo que o Santos versão 2010 está na moda. É, também, porque está ganhando de 4 a 1 e quer mais, não perde o apetite. É, também, porque aceita o risco de até perder um jogo mas não corrompe sua filosofia.

Aí podem dizer que ganhou do vento de dez e de nove. Ora, mas o vento perdeu só por 1 a 0 na Copa do Brasil, do mesmo Santos, no jogo de ida. E o vento versão Campeonato Paulista empatou com o Palmeiras no Palestra, perdeu apenas de 1 a 0 do São Paulo.

A verdade é que a cada dia ouço mais torcedores de outros clubes dizerem que vão torcer para o Santos se suas equipes forem eliminadas. E também vejo mais torcedores dos rivais indo aos jogos do Santos para ver a molecada. Eles saem sorrindo do estádio.

E repito para aqueles que se pautam pela conquista pura e simples, sem se importarem com o método. Mesmo se não ganhar nada esse time do Santos será lembrado no futuro.

23 comentários:

Leonardo Augusto disse...

Bom Dia Nori!

Concordo com quase tudo que voce escreveu, o time do Santos, da gosto de ver jogar mas acredito que eles ainda tem aquela prepotencia e falta de respeito caracteristicos da juventude. Alguns casos raros como Paulo Henrique Ganso, que fala com experiencia e respeito aos adversarios sem menosprezá-los. Tirando isso, acredito sim que hoje em dia sao os jogadores que mais encantam no pais.

Abracos!

Sr. Senador disse...

De fato, é um time marcante, não me lembro de um time tão goelador como esse - recentemente. Não me lembro de um time que vencia por 6 ou 7 e o técnico tirava um zagueiro e volante pra colocar mais dois atacantes. É gostoso demais ver esse Santos jogar... e para o bem do futebol, seria bom demais se eles ainda faturassem titulos (sim, no plural!), para valorizar o futebol ofensivo e acabar com o futebol burocrático e brucutu.

Vida longa à terceira geração de meninos da Vila!

abs!

Fernando disse...

Concordo. Lógico que se eu tivesse certeza que meu time seria campeão no final do campeonato, eu iria discordar do texto, ia dizer que ser campeão é melhor do quer jogar bonito e não ser. Inveja! Prefiro mil vez ver o Inter jogar como Santos e não ser campeão do que se "igualando" contra times pequenos no Beira Rio e pagando mico, com essa retranca de Jorge Fossati.
Um abraço!

Wellison Rosa disse...

Bom dia...
Só há um porém, nessa história toda. Todo time maravilhado por grandes jogos, sem títulos, são lembrados com dores e pena("Nossa aquele time de 82 foi o melhor que já existiu da Seleção, mas não conseguiu ganhar o Mundial"), isso no final das contas ao torcedor não vale muita coisa o time ter dado espetáculo, pois quando forem conversar ou discutir futebol com amigos "rivais" o grande assunto é quais títulos conquistaram. Espero que o Santos continue jogando assim e que outros procurem fazer o mesmo caso tenham jogadores com técnicas e habilidades, pois o futebol hoje está muito comercial e perdendo essas raízes. Sou Corinthiano, espero ver uma final ou semifinal com eles, mas se não der, acho que momentaniamente valeu a pena o Santos ter dado liberdade ao futebol "molque" pois há muitos times com meninos assim, mas que não tem a cabeça da direção atual do Santos, que deixem os times jogar de forma liberal sem retrancas e tirando o brilho do futebol.O time do Santos só precisa manter a molecada, já que no BR o principio é de vendas $$ e EUR. Ano passado no primeiro semestre o time do Corinthians era prazeroso vê los jogar, os toques de bola, lembravam até um pouco do trabalho feito pelo Barcelona, porém, venderam as principais peças. Abraços
PS:acho que o Futebol BR está voltando as raízes.

Julinha disse...

Boa Nori, concordo plenamente.
Não sou santista, torço para o Botafogo e se o Santos não joga no mesmo horário q o meu time, estou sempre assistindo aos jogos.
Não só pelo show, mas pelo talento e a irreverência no modo de jogarem.
Apaixonada pelo bom futebol não posso deixar de não torcer para q eles continuem desse jeitinho. Amadurecendo sim, faz parte, mas que nunca percam essa alegria de jogar bola.
Hoje torcer contra esse time, é deixar de acreditar em um bom futebol ( desde q não seja contra o Botafogo, claro hehe ).
É bonito, mas acima de tudo, esperançoso de ver. Para a Copa de 2010 não teremos nem a metade do talento que a próxima geração promete ter!
É muito cedo pra falar se o Santos não vai ganhar nada. Mas concordo plenamente com vc. O legado que esse time vai deixar, diante de um futebol tão democrático, é animador!

Um grande abraço...

Mauricio disse...

Noriega,

Moro fora do Brasil a 4 anos, estive 3 na Espanha e agora entou morando na Irlanda, sou conrinthiano, acompanho por internet os jogos e realmente da gosto de ver o Santos jogar.
Agora vai minha pergunta, o que pra voce foi mais importante, o jogo lindo da seleção de 1982 ou o tetracampeonato de 1994?
Entre ser lembrado e ser campeão, fico com a segunda opção.
abraço,

Nori disse...

Xará, eu gostava da Seleção de 94, por isso acho que não me enquadro muito na descrição. Agora, entre essas todas, fico com a de 70, que ganhou e encantou.
Abs

Igor Natusch disse...

Antes de perder o título em pleno maracanã, a seleção brasileira ofereceu dois dos maiores espetáculos da história das copas, aplicando 7 a 1 na Suécia e 6 a 1 na Espanha. Ninguém hoje em dia lembra disso - todos lembram da derrota para o Uruguai. E tudo indica que se tratava de uma seleção maravilhosa e de maravilhar. Muito se fala da Hungria de 1954, mas acho mais bela ainda a conquista alemã - um país destroçado pela guerra que vence o favorito e escreve uma página linda na história do futebol. Do mesmo modo que admiro, e muito, o Uruguai de 1950. E que admirei o Palmeiras, roto e contestado e criticado Palmeiras, por ter vencido o Santos tão badalado e elogiado. Amo a beleza do futebol, mas acho que ela não se encontra apenas na técnica refinada e no ímpeto juvenil - tem muito a ver com a superação de limites e a luta por objetivos. Nesse sentido, embora compartilhe do encantamento com as lindas partidas do Santos, gostaria de fazer essa pequena defesa da competitividade - que sei que não criticaste, Nori, mas que eu vejo ser de certo modo injustiçada sempre que leio alguém falando de "brucutus", de "resgate" do "verdadeiro espírito" do nosso futebol e coisas assim. Obrigado pelo espaço e um grande abraço!

otaviomt disse...

olá Noriéga.
Não é a toa que sua carreira está no nível que está. Você é um profissional do mais alto nível. Esse tipo de texto mostra o quanto vc entende de futebol e não se prende na chatisse do igual e da imitação pura e simples.
Parabéns Neymar do jornalismo.

PS: Se deus quiser o peixe vai encantar ganhando títulos também. Os deuses do futebol não podem ser tão injustos.

Pastor Marcos Roque disse...

Sou santista, mas mesmo se não fosse estaria concordando em gênero, número e grau. Parabéns pela postagem!

Academia de Música Carlos Iafelice disse...

O mesmo time campeão basileiro de 2002 que encantou todos os torcedores do brasil não foi campeão paulista naquele ano.

Alexandre Brendim disse...

Nori, este time do Santos me faz lembrar o Palmeiras de 96, apesar de achar o verdão daquela época superior ao peixe de hoje.

Aquele foi o melhor time que vi jogar, no entanto só conseguiu levar um título paulista, mas ainda habita os meus sonhos, ainda mais agora, com um time tão irregular que temos...

Sendo assim, partilho do seu pensamento, esse time do Santos não precisa ganhar nada, já ganhou muito em nos fazer lembrar de outros tempos do futebol brasileiro.

henrique disse...

Ótima resenha Nori... e viva o futebol arte. O futebol tava chato demais, esse time do Santos está reinventando o esporte em sua essência, que é pura e simplismente bola na rede.

santista disse...

Noriega vc é o melhor comentarista da TV.
Não é por causa apenas desse texto REALISTA que vc escreveu, mas pelo seu profissionalismo e conhecimento, que são provados através de sua imparcialidade nos comentários.
Parabéns!
Boa sorte e sucesso a vc!
Abç!

Carlos Alberto disse...

Noriega, vc pra mim é o melhor comentarista da atualidade, não só porque vc elogia o peixe, mais sim pelos comentários certos sem ver a paixão por outro time.

Abraço e sucesso!

wellington disse...

Nori sou Santista e como tal, estou maravilhado com o nível de futebol apresentado por essa mulecada do peixe, fiquei muito contente em ver o reconhecimento de um profissional do seu gabarito em relação aos jogadores do meu amado Santos Futebol Clube...parabéns pelo post, vc sem dúvida é o melhor comentarista de futebol da tv brasileira, pena que não são todos como eu, que tem oportunidade de te acompanhar, vc faria muitíssimo bem as transmissões em tv aberta.Obrigado pelo carinho a nação santista abraços !!! wchiongna@hotmail.com

N disse...

Olá Nori,
Para ser comparado á Hungria de Puskas, á Holanda de Cruyff, ao Brasil de 82 e 86, é preciso que esse time de Santos mantenha sua performance diferenciada por algumas temporadas seguidas e não por apenas um único campeonato regional. Vamos ver como se comporta nos proximos meses e temporadas para que se possa compará-lo com as máquinas de jogar futebol que não tiveram a sorte de ganhar campeonatos.
abraço. Nabil

Nori disse...

Igor, volte sempre. São pontos de vista. Claro que futebol também é competição, mas você viu o time do Santos marcando a saída de bola do Ituano no segundo tempo, quando já estava ganhando por 6 a 1? Isso também é ser competitivo.

Nori disse...

Nabil, não fiz comparação pura e simples, citei exemplos de times que não ganharam e são lembrados e reverenciados. Não sabemos ainda se esse time do Santos vai vencer, mas que ele está fazendo um bem danado para o futebol, isso está.
Abs

Anônimo disse...

A Hungria(54) de Puskas perdeu para um grande time da Alemanha que se tornou grande por bater a invéncível Hungria,a Holanda(74) perdeu a copa para uma grande Alemanha de Muller, Mayer..., 1982 o Brasil, perdeu para uma grande Itália com Paulo Rossi, Antognonni, Cabrini, essa seleção com pequenas mudanças, teve o melhor futebol de 78 a Copa mais sinistra de todos os tempos!
1986 lembram-se da Dinamarca?
A partir daí estabeleceu-se a era do futebol eficiente, 94 Brasil, 98 França, 2002 Brasil, 2006 Itália (essa nem se fala horrível), poxa vamos montar um time para dar show na copa, deixemos o título para 2014 que será no Brasil, imaginem um ataque com Neymar, Robinho e Luís Fabiano, no meio Ganso e Kaká, o resto carrega o piano.

Valeu Nori

Mozart

Junior disse...

A diferença entre o Santos golear as equipes MÉDIAS e pequenas e no TRIO DE LATA não golear é simples

OS JUÍZES aplicam as regras nos jogos com Equipes MÉDIAS e Pequenas e contra o Trio de Lata fazem vista grossa a pancadaria:

* curint11anus:
1)gol do Gorducho IMPEDIDO
2)DOENTINHO deu uma cotovelada no Pará e não marcaram nem falta
3)Chicão (o do chapéu) agarrou o André (deve ser influência do Gorducho) e já tinha cartão amarelo, sendo que o André ia entrar na área cara a cara com o curint11anus-goleiro, o APITADOR nem marcou falta

* porcos
1)Pierre, Diego Souza e CIA LTDA bateram até na sombra e nada de cartões
2)Neymar deu um rapa simples, SEM VIOLÊNCIA que é peculiar a Diego Souza e Pierre e foi expulso!

Se apitassem com HONESTIDADE o Santos já teria goleado o Trio de Lata na 1ª fase

DaniloYoshio disse...

Ola Noriega. Eu não sei. Eu acho que enfiar 8, 9, 10 em um time de menor expressão é um pouco de exagero, eu gosto do futebol pra frente, sem enrolação, mas eu acho 10 é um numero que chega a ser humilhante para o time menor. não acho que isso seja muito correto.

Igor Natusch disse...

Obrigado, Nori. Voltarei sim, sem dúvida, como aliás já estou voltando =P E concordo contigo, o Santos tem uma dose bem considerável de competitividade - mas ainda quero, espero e acredito que ele precisa render mais, como vou desenvolver logo adiante.

Mozart, me perdoe a franqueza, mas acho teu conceito totalmente equivocado. Nada pode ser conquistado atualmente sem uma grande dose de competitividade, a beleza no futebol não está só no drible e na exuberância técnica - e o futebol é um esporte competitivo por excelência, achar que basta dar show me parece um grande absurdo. Uma seleção primando pelo espetáculo puro e simples seria uma grande desgraça para a própria beleza do futebol, e acho que um time como o que tu sugeriste seria eliminado na PRIMEIRA FASE do Mundial. Não faria goleadas - as sofreria. E falo muito sério, é a minha sincera opinião a esse respeito - seria um desserviço ao próprio conceito de "futebol bonito" que estás defendendo. OK, 1982 era um timaço e se tornou inesquecível, mas 1970 marcou ainda mais - jogava tão bem ou ainda melhor, e venceu. Esse é o tipo de seleção que eu quero. E vou discordar da tua avaliação de 2006 - aquela seleção era sim horrível, mas exatamente porque se deixou levar pelo oba-oba e queria dar show sem ter capacidade técnica e consistência tática para tal!

O que eu quero dizer é que há um compreensível desafogo geral ao ver um Santos jogando muito bonito, mas essa alegria não pode (ou não deveria) supervalorizar o que esse Santos está conseguindo. Contra os grandes paulistas, esse Santos soma em 2010 duas vitórias e uma derrota, com saldo positivo de um gol - uma campanha boa, sem dúvida, mas que na minha opinião desautoriza um pouco tanto entusiasmo assim. O Palmeiras de 1996, no mesmo Paulistão e nesse mesmo período, tinha feito bem mais: três vitórias e um saldo positivo de dez gols. OK, é lindo ver o Santos jogar, mas a própria comparação feita no post leva a uma conclusão inevitável. A Holanda patrolou Brasil, Uruguai e Alemanha oriental; a Hungria passou por cima do Brasil e na primeira fase meteu 8 a 3 na própria Alemanha que depois a venceria; o Atlético Mineiro de 77 vencia com autoridade inquestionável times tipo Grêmio, Santos e Cruzeiro, e perdeu o título de forma invicta num formulismo que beirou o absurdo. O Santos, até agora, goleou times muito inferiores e não fez tanto assim contra equipes mais competitivas. Espero que faça, que continue nesse crescendo e de fato faça história - mas, para mim, ainda não fez.

Obrigado de novo pelo espaço e um grande abraço!