quinta-feira, março 11, 2010

Por último, mas não menos

importante, Mengão na boa


Não vi o jogo, só os gols. Toró expulso, Pet de volta e Love voando baixo. O Flamengo provou diante do Caracas que os problemas de Adriano não precisam ser necessariamente do time. 3 a 1, 6 pontos e, vencendo todas em casa, acho que passa em primeiro ou então garante um segundo lugar entre os classificados na Libertadores.

3 comentários:

Marcelo disse...

Caro Noriega. Percebi que recentemente tem o incomodado bastante alguns torcedores que têm criticado a mídia. E não é exclusividade dos palmeirenses chatos. É verdade que os palmeirenses são os recordistas em reclamação, reflexo também da interminável crise que ronda o Palestra Itália (até as nuvens negras sempre aparecem nos dias de jogos por lá, e desaparecem como mágica quando o jogo é adiado!). É obvio que a crise do Palmeiras não é culpa da mídia, os erros de arbitragem não são culpa da mídia, a má fase de algum jogador não é culpa da mídia. Você deve entender que toda reclamação que chega a seu blog, assim como de outros conceituados jornalistas, não é pelo seu trabalho, elogiável por sinal... ele é reflexo do que o torcedor lê, vê ou ouve nos mais diversos veículos... e como se ouve muita bobagem por aí, o blog acaba servindo um veículo para o torcedor desabafar... Ele escreve bobagens sim, mas não menos daquilo que chega a ele pela mídia... Um exemplo que vi recentemente. Ao final do jogo Palmeiras X Sertãozinho, foi patente a intenção de alguns repórteres em causar um mal estar entre Danilo e Robert, um repórter maldosamente disse ao Robert que o Danilo havia dito que tem jogador sentindo a pressão, insinuando que seria uma crítica dirigida a ele pela trapalhada no lance em que ambos perderam o gol. Vendo a entrevista do Danilo, ele não estava falando do Robert e sim sobre o comportamento da torcida que protestava contra o time. O próprio caso Vagner Love: não é culpa da mídia que ele não esteve bem em seu retorno ao Palmeiras, que o time estava mal, que membros da torcida organizada são marginais que não deveriam freqüentar estádios de futebol, que a violência que causou a saída do jogador é injustificável... a mídia não tem culpa de nada disso. Mas ela teve participação sim no momento em que divulgava à moda sensacionalista dos folhetins de fofocas ingleses que o jogador causava ciúmes pelo alto salário, que saia nas baladas, que não tava nem aí com a situação do time, etc... As reclamações podem ser injustas à grande parte dos profissionais, mas elas podem servir de reflexão para a responsabilidade da mídia não por uma questão de culpa, mas por questão de educação, comportamento e transparência. Um abraço.

Nori disse...

Todos precisamos refletir sobre tudo, Marcelo. E a mídia não é perfeita, até porque é feita de gente, e seres humanos têm defeitos. O problema é que o torcedor replica os defeitos da mídia quando inventa complôs, perseguições e situações que não existem. Vc nem imagina o que recebemos de e-mails com "denúncias" de jogadores na balada, de treinadores que perseguem jogadores, de brigas no vestiário. Se publicássemos tudo isso seria leviano, por isso existe o filtro do profissional. Tenha certeza que em 90% dos casos nada que se publica é inventado, parte muitas vezes de dentro do próprio clube, do time, dos jogadores. Muitos jogadores telefonam a jornalistas para passar notícias. Bastidores que poucos conhecem. Abs

Marcelo disse...

Valeu Noriega, pela resposta... Por não conhecer as coisas inimagináveis que acontecem nos bastidores dos clubes e nos bastidores das redações é que nós torcedores acabamos criando esses complôs, essas teorias da conspiração (o filme com o Mel Gibson é interessante sobre o assunto). Toco no assunto pois além de fã do futebol sou fã do jornalismo (não só esportivo). Finalizando, é isso que nos intriga às vezes. Os exemplos de Ronaldinho, Vagner Love ou Edmundo. A vida particular deles para mim não interessa absolutamente nada. Como apaixonado por futebol só o que acontece dentro das quatro linhas é o que interessa. Não há de negar que o tratamento que eles recebem da mídia muda da água pro vinho (ou o inverso) de acordo com a camisa que vestem. Alguns viram anjos da noite pro dia. Outros, como o Edmundo enquanto estava no Palmeiras tinha até jornalista de plantão na delegacia pra pegar em primeira mão seus B.O.’s!!! Um bom fim de semana.