segunda-feira, março 08, 2010

A nova onda (ruim) do Imperador



Confesso que fico dividido na hora de formar opinião sobre o que acontece com o Imperador Adriano. Uma hora tendo a achar que Adriano é mais um menino rico mimado, superprotegido e que não leva sua profissão muito a sério.

Outra hora acho que Adriano é vítima de um ambiente viciado, das más companhias, de uma formação familiar insuficiente e do que há de pior no futebol. O dinheiro fácil, as mulheres fáceis, os amigos fáceis.

Também não consigo ainda definir se o que fez o dirigente flamenguista Marcos Braz é certo ou errado. Se afirmar publicamente que um funcionário do clube voltou a ter problemas com a bebida é certo. Acho que quem deveria dizer isso publicamente era o próprio Adriano. Parece que o dirigente está dizendo algo assim, não é problema nosso, é particular dele. Talvez ele esteja certo, mas o modo de colocar seja equivocado.

A história de Adriano não tem nada de nova. Existem dezenas, centenas de casos semelhantes entre atletas. Dinheiro vem, dinheiro vai, já dizia a canção. Quando vem, tudo vem junto e fácil. Quado vai, somem os amigos de ocasião, a mídia, tudo desaparece.

Sinceramente, torço para que Adriano saia dessa onda ruim. Que se recupere como ser humano primeiro e, também, como jogador - o que é mais fácil e mais rápido.

Acho que uma das lições que ficam é que estrelas merecem, sim, alguns priviégios. Mas que sejam privilégios como um poludo salário, um belo quarto de hotel na concentração. Nada como treinar menos e sair mais. No caso de Adriano, acho que o que ele mais precisa é se sentir normal, um a mais. Quanto mais ele se sentir uma exceção, pior para ele.


TRIO DE FERRO PAULISTA


Pelo jeito, no estadual paulista o Trio de Ferro será formado por Santos, Corintians e São Paulo. O Palmeiras anda enferrujado. Aproveitando-se disso, o Santo André faz uma campanha espetacular e será um intruso entre os grandes, com certeza. O Santos já chegou. Se ganhar do Sertãozinho, o Palmeiras ficará a quatro pontos do Corinthians, o que mantém suas chances aritméticas, mesmo com o futebol opaco.

O que valeu na rodada em São Paulo foi o clássico jogo feito por Lusa e Santos, de matar a saudade dos tempos em que o futebol era menos pragmático. A bela atuação de Rogério Ceni na vitória do São Paulo sobre a valente Ponte Preta mostra que ele está recuperando sua boa fase, o que é ruim para os advesários. E também ficou claro que Dentinho não pode ficar fora do time do Corinthians.

Fica, Wellington Silva!
Fica, Philippe Coutinho!

Parece ser uma jóia rara esse menino Wellington Silva, do Fluminense. Apenas 17 anos e já vendido ao Arsenal. Que pecado! Ele, Philippe Coutinho, do Vasco, têm tudo para serem grandes craques. Que eu gostaria de ver por aqui, não brilhando para europeu ver.

Será possível encontrar uma saída? Talvez pagar menos para os treinadores e alguns medalhões e investir em contratos de longa duração com esses garotos, para que pelo menos eles fiquem alguns anos, virem ídolos. Sei lá, vale a campanha, mas essa acho que vou perder.

6 comentários:

Jose disse...

Péssima transmissão ontem. O pior foi justificar o injustificável. Absoluta falta de critério nos comentários.

1)o primeiro lance não foi pênalti do Xandão. Unânime para todos os outros comentaristas;

2) o Rogério Ceni, como sempre, se adiantou na defesa. Igual ao lance contra o Flamengo no BR09. Semelhante as defesas do Bruno. Como você já tinha errado ao afirmar que foi pênalti, tentou compensar com o argumento de que foi o passo natural para a defesa.

3) se o primeiro lance foi penalidade, a mesma regra para o lance do Cicinho. A mesma incoerência dos árbitros, que você tanto critica.

4) Por óbvio que o juiz não marcou a segunda penalidade (essa muito clara) porque já havia errado no primeiro lance. Esse ponto não foi destacado por você no comentário.

Jornada infeliz. Acontece. Independente de interpretação, o grande erro ontem foi a FALTA DE CRITÉRIO.

Angelo disse...

Noriega, sempre gostei do seu trabalho, mas ultimamente anda pisando na bola, neste caso do Adriano está evidente que é falta de vergonha na cara, um cara que ganha uma fortuna e tem tantos previlégios na vida, não pode se dar o direito de fazer tanta bobagem, e alguns cronistas, ainda tentam amenizar a situação passando a mão na cabeça dele, dizendo que ele precisa de ajuda, outros preferem ficar em cima do muro, assim como vc, ficou em cima do muro e ainda criticou o dirigente que falou do problema, tá certo o dirigente, etm que colocar os "rabos" desses maus exemplos na reta mesmo, o clube paga, ajuda, acredita no cara e ainda tem que ficar maquiando o problema??? E ontem vi o jogo que vc e o Milton Leite fezeram do SP, deu enjoo de ouvir tanta babação de ovo de vcs em relação ao jogo, e vc ainda vem me falar de regra 12, quem quer saber de regra 12, vc só tem falado besteira, e ainda fica em cima do muro quando o assunto é polêmico, me decepcionei, e o Milton Leite deveria fazer outra coisa que não fosse narrar jogos de Futebol...

Nori disse...

Eu, Milton e Renato Maurício Prado achamos pênalti. Acho que vc não sabe o que é unanimidade. Tem tanto nego que ganha fortuna, rouba e faz bobagem e só porque não joga bola as pessoas perdoam. Não seja preconceituoso, nem invejoso. O Milton é um dos melhores narradores do Brasil. Besteira todos fazemos. E vc escreveu muitas. Regra 12 não é besteira, leia e reflita.

Anônimo disse...

Caramba Nori,

O blog tá fazendo sucesso e as transmissões do Sportv sendo assistidas em peso. Pena que algumas opiniões divergente do seu ponto de vista cheguem de forma tão agressiva. Discordar é bacana, com um minimo de educação e respeito aos profissionais que desempenham seu papel, afinal vivemos em uma democracia. Uma sugestão para aqueles que se julgam acima do bem e do mal: ABAIXEM O SOM!!!!!!!!

André Antunes

Anônimo disse...

Caro Nori,

Com relação ao Adriano, talvez o caso dele seja um pouco mais sério do que imaginamos. Qual de nós não gosta de fazer uma happy hour com os amigos durante a semana, ou mesmo tomar um vinho para relaxar!? Ou mesmo, vez por outra, abusar um pouco no final de semana e acordar com aquela promessa que foi a última vez?? Mas nunca deixamos que a bebida atrapalhe nossa vida pessoal e profissional. Pelo que leio, parece que o Imperador comete alguns excessos com a bebida, e em função disso acaba se metendo em vários tipos de situações como àquela do último final de semana. Parece que desde que voltou ao Flamengo houve 50 treinos, e ele chegou atrasado ou faltou em 25 deles. Óbvio que as más companhias, como vc bem frisou, afundam ainda mais a pessoa. O Adriano, diferentemente de outros jogadores que vimos e vemos no futebol, não causa tanta polêmica assim em campo. Pelo contrário, não é um jogador violento(não me lembro da última vez que foi expulso), não é um cara desagregador, é sempre solicito nas entrevistas, enfim, tem um pefil diferente de alguns "bad boys" do futebol.

O alccolismo é comprovadamente uma doença, que leva a pessoa da euforia à depressão, da alegria à angustia. Falta alguém que o ajude a encarar esse problema de frente.

Desculpe se falei alguma besteira, mas realmente acho que o caso do Adriano não é tão simples assim.

André Antunes

linhares disse...

Olá Nori, no caso do Adriano, acredito que a pior atuação foi mesmo do cartola (grande novidade!).
Mas o que chama mesmo a atenção é o absoluto desprezo da mídia esportiva para os comentários do Leonardo sobre o Ronaldinho Gaucho que também teria problemas com o alcolismo, inclusive tendo chegado ao clube sem condições de treinar.Será que por ser arredio a entrevistas o Adriano não recebe tratamento imparcial?