quinta-feira, março 25, 2010

Rodada foi terrível para

grandes pelo País afora


Talvez no futuro algum gaiato se refira ao dia 24 de março como o dia da queda em conjunto de vários gigantes do futebol brasileiro. A rodada foi trágica para alguns, desanimadora para outros e provocará uma série de mudanças.

Perderam esses gigantes: Inter, Vasco, Corinthians e São Paulo. Empatou com gosto de derrota outro gigante, o Palmeiras. Vágner Mancini foi demitido do Vasco, Jorge Fossatti não deve continuar no Inter. Antonio Carlos caiu na real e publicamente pede contratações para o Palmeiras.

Alguns escaparam, é lógico. Flamengo, Fluminense, Cruzeiro, o próprio Atlético Mineiro. Esses ganharam sem problemas ou não deram vexame.

Vamos por partes, então.

Que é isso, Fenômeno?

Lamentável o gesto do Ronaldo, dedo médio em riste, ofendendo torcedores na saída do time do Corinthians da Arena Barueri. Que culpa tem o torcedor se Ronaldo anda tropeçando na bola, cai de bumbum em campo, dá de canela? Ele sempre será o Fenômeno, mas sua produtividade atual é baixa para alguém com seu currículo. Nada justifica que Ronaldo faça o que fez, porque ele sempre contou com a compreensão dos torcedores e da mídia, apesar do rosário de problemas, e tem uma imagem quase que blindada. Resta saber qual será a reação da Fiel.
Ronaldo pode ser o Fenômeno, o jogado mais importante a ter vestido a camisa do Corinthians, mas é na torcida que este time se baseia, é na Fiel que o Corinthians se sustenta. Não é bom negócio brigar com essa galera.
Em campo, na maioria das vezes, o Corinthians tem jogado mal, desorganizado, sem inspiração, sem brilho.

Vasco e Palmeiras:

dramas parecidos

Vasco e Palmeiras são times parecidos, com torcidas ditas irmãs. Surgiram como equipes de colônia, uma portuguesa e outra italiana, e se transformaram em equipes de massa, populares, com torcedores de todas as raças e regiões do País.

Vivem um momento igualmente parecido. São frequentemente assombrados por fantasmas de um passado retrógrado e reacionário, que atendem pelos nomes de Eurico Miranda e Mustafá Contursi. A oposição é virulenta e feroz.

Em campo, falta qualidade a ambos os times. O Vasco perdeu para o Americano e mandou embora Vágner Mancini, um treinador que ainda não deu o passo que talvez só ele ache que tenha dado para ser, de fato muito bom. O Palmeiras empatou um jogo que não poderia empatar contra o fraco Rio Branco de Americana, escravo de uma defesa perdida e desorganizada.

Há mais semelhanças e dramas. Vasco e Palmeiras tiveram lances em que a bola bateu no travessão e na trave e não entrou.

O maior problema, penso eu, é de gestão. O que se esperava de modernidade e arejamento de Belluzzo e Roberto Dinamite ainda não apareceu. São administrações que parecem recheadas dos velhos vícios de seus antecessores. Some-se a isso elencos sem personalidade e chegamos ao quadro atual.

Que é isso, André Luís?

Há jogadores que parecem não se emendar. André Luís, zagueiro do São Paulo, ontem deu uma cabeçada - de leve, mas ainda cabeçada - em Marcelo Godri, na derrota para o Bragantino. André Luís coleciona confusões por onde passa. Não acho que seja mau zagueiro, mas se perde em momentos de tensão.

O São Paulo de uns tempos para cá parece que vive uma síndrome de centro de recuperação e acha que pode transformar alguns chamados jogadores-problema. Adriano, Carlos Alberto, Léo Lima, André Luís.

Dentro de campo, o time deve se classificar sem problemas na Libertadores e no Paulista. Agora, o futebol jogado não é de boa qualidade. O que não entendo, também, é porque ninguém pode dizer que o São Paulo não joga bem? Será que o time se considera acima das críticas?

Olha a Lusa aí, gente!

Quietinha, como quem não quer nada, lá vai a Lusa rumo à vaga no Paulistão. Enquanto Palmeiras e Corinthians enfrentam suas crises técnicas e psicológicas, a Lusa vai jogando bem e tem tudo para chegar. Mérito de Benazzi, bom técnico, que a Lusa equivocadamente mandou embora em 2008. Depois de Santos e Santo André, a Portuguesa é o time mais agradável de se ver jogar no estadual paulista.

5 comentários:

Ramiro disse...

Nori. Você leu a nota de esclarecimento do Ronaldo? Ah tá! Eu estava ontem em Barueri e tinha um monte de mané querendo aparecer, um monte de franga corneteira que desrespeitaram o Ronaldo pessoalmente. Cada ação gera uma reação, o gesto não foi para a torcida, foi para um idiotão com uma melancia na cabeça.

ferseq disse...

Nori,

Pra variar, o seu comentário sobre a vitoria do Flamengo, time que você duvidou com todas a letras da capacidade de sequer chegar na Libertadores ano passado, se resume a 3 palavras.

Nem uma palavra sequer de como o Flamengo e seus polémicos atacantes resolveram a crise da Chatuba da melhor forma possível: com gols.

Mas, quando é pra bater no Adriano, você perde tempo de escrever um post inteiro...

Melhor que voê só comente sobre o Futebol Paulista, de tão bairrista que você aparenta ser.

Nori disse...

Ferseq, vc escrve um post desse e tem a cara de pau de me chamar de bairrista?
Só se for piada. Vc não lembrou da crise da chatuba quando o Flamengo perdeu pra Universidad de Chile, né? Ganhar do Tigres é obrigação, que não foi cumprida por Palmeiras, São Paulo, Corinthians e Vasco. Aliás, o Vasco é de onde mesmo? Acho que do Rio, né?
E o bairrista sou eu. Seu mundo começa e termina na Gávea? Espero que não.
Abs e volte sempre.

ferseq disse...

Norí,

Grato pela resposta,e não quero ser ofensivo em momento algum.

Acompanho varios programas esportivos, e você, neste programas, foi quem mais duvidou das chances do Flamengo.

Por mais que seja obrigação ganhar desses timecos, queria ver os outros, comparecendo a delegacias na vespera e no dia após o jogo, se teriam cumprido com a obrigação também. Não tenho certeza.

A minha observação principal é ao espaço dado a algo negativo feito pela galera da Chatuba, e ao espaço dado quando "cumprem com a obrigação"...

Nori disse...

Fersequ, vc nao foi agressivo, relaxa. Agora, quando o Flamengo estava 12 pontos atrás do Palmeiras vc achava que seria campeão? Duvido. E eu nunca deixei de reconhecer o mérito do Flamengo e até brinquei comigo mesmo dizendo que tinha quebrado a cara.
E sobre a Chatuba, o que tem que ver é o que está errado ali e nao dentro de campo. Abs