quinta-feira, março 04, 2010

O desabafo de Marcos


Marcos, goleiro do Palmeiras, é personagem de uma estirpe rara de ídolos do futebol. Claro que é mais querido pelos palmeirenses, que o chamam de Santo. Mas não é odiado pelos rivais. Pelo contrário, Marcos é respeitado e até querido pelos torcedores dos adversários do Palmeiras. É do tipo de jogador que o torcedor adversário não xinga. Reparem nisso.

Vejo outros ídolos que transcendem rivalidades clubísticas. Pelé, o maior de todos. Zico foi assim. Dinamite também. Os irmãos Raí e Sócrates. Tostão, Falcão.

Reflexo de seu comportamento, do caráter, do comportamento expansivo e da autenticidade. E, claro, também pelo fato de ser um excelente goleiro.

Talvez por isso fique até mais fácil compreender o desabafo de Marcos ao final do primeiro tempo em que o Palmeiras perdeu para o Santo André, pelo Campeonato Paulista. Marcos disse que o sofrimento da torcida com ele acabaria no final do ano. Mas logo depois, perguntado pelo repórter Bruno Laurence, se pararia de jogar, disse que não.

Esse desabafo abre espaço para muitas suposições. Mas deixa evidente que Marcos, que é um ser humano, já não suporta o que vê acontecer à sua frente. Ele é o único jogador do time do Palmeiras que ganhou alguma coisa realmente importante. Uma Libertadores, uma Copa do Mundo como titular. Marcos é um tipo de jogador cada vez mais raro, daqueles que perde e não dorme a noite, fica mal.

Existem outros, claro. Grandes ídolos como outro goleiro excelente, Rogério Ceni. Atletas identificados com seus clubes, que se sentem um pouco como torcedores. São personagens cada vez mais rados num esporte tomado por profissionais cada vez mais frios e calculistas.

Entendo o desabafo de Marcos como uma postura de alguém que vê seu tempo como profissional se esgotando, sofre com isso, e não aceita o comportamento da geração que o sucederá.

11 comentários:

Brilho disse...

Realmente o desabafo de Marcos é de um atleta profissional que se identifica demais com o clube que representa. Jogadores, atuantes, desse nível são raros e pode se contar nos dedos quais são. Sinceramente não me recordo de outros. Robinho se identifica com o Santos e fez questão de mostrar isso na sua volta ao Brasil.
Grande abraço

Sr. Senador disse...

Sou santista, mas admiro o Marcão... ele é firmeza!

Walter disse...

É Mau. Concordo com você. Infelizmente muita gente não o acompanha e acho que é por isso que ele fica desse jeito. Força Marcão !! Só vc pra segurar a onda desse time.
Abraços !!!

Diogo Carrijo disse...

belo texto tambem adimiro muito o Marcão ...

Escrevi sobre ele no meu blog tambem

http://fofuxotebol.blogspot.com/

Andrea disse...

Noriega,
posso ratificar exatamente o que você diz, porque sou são-paulina e considero mesmo Rogério Ceni como um ícone. E Marcos também. Tem carisma como pessoa (apesar de não conhecê-lo pessoalmente) e é um profissional excelente. Não há como não reconhecer isso. Exatamente por essa razão é que eu observo essa atitude dele como uma resposta não apenas à torcida, mas aos próprios companheiros, que parecem às vezes considerá-lo um "salvador da pátria", quando ele se coloca apenas como um ser humano. Ele não pode ser o herói num grupo que não dá ou que não consegue dar o suporte necessário em momentos cruciais. Ele não pode fazer tudo sozinho no grupo, no jogo, mas deve sentir que acaba sempre levando a culpa inteira. Isso deve doer mesmo, pessoal e profissionalmente. Daí o desabafo. Talvez seja um pedido indireto pra todo mundo acordar...

Prestes disse...

Acho que ele tava reconhecendo que não joga nada há uns cinco anos.

Robert Alvarez Fernández disse...

Nori, concordo com suas observações sobre Marcos; mesmo vendo pelo lado profissional obrigado pelo meu papel de professor, o que torna as paixões um pouco descafeínadas, sou um torcedor também e não palmeirense.

O respeito que tenho pelo Marcos é grande.

Curioso observar que estes ídolos maiores que temos hoje são aqueles que ficam muito tempo no clube, já passaram por bons e maus momentos e criam "conta corrente" com a torcida, ao contrário dos beijoqueiros de camisa de aluguel, o torcedor vê isso com clareza, e os pune na mesma medida que absolve o real ídolo.

Abraços,

Robert

Anônimo disse...

Caro Nori,

Com todo respeito. O Marcos é profissional e ganha como tal, muito bem por sinal. Pela história que tem no Palmeiras e pelo ídolo que representa à torcida, jamais poderia ter falado o que falou! Essa torcida que o idolatra não merecia ouvir isso. Um dos maiores defeitos do Marcos, assim como do Rogério Ceni (o goleiro do meu time de coração), é não reconchecer algumas falhas. Rogério Ceni sempre põe a culpa em "algo espiritual", já o Marcão peca por algumas vezes culpa alguns colegas de profissão!! Como disse o Milton Leite, "o Rogério Ceni é chato "pra baralho", mas o Marcão não fica muito atrás não!!! É uma grande pessoa, mas deve ser contestado quando erra. Não vejo as palavras do Marcos como desabafo, mas sim como algém mimado que não soube ouvir criticas, justas por sinal, pois a falha no segundo gol do Santo André foi absurda, a bola iria para fora e ele conseguiu deixa-la à disposição do jogador do Santo André.
A carreira de um jogador é feita do inicio ao fim. Marcos teve um ótimo inicio, um excelente e estupendo meio, mas não esta sabendo como conduzir o final da carreira.

Abraço
André Antunes

Alexandre Brendim disse...

Você foi brilhante em sua colocação.
Vejo o Marcos como o último de uma espécie.Não veremos mais Marcos, Zicos e Falcões como você bem classificou...agora teremos algumas lembranças de jogadores que nos darão alegria em seu inicio e fim de carreira...
É muito triste pois meus filhos jamais conhecerão o verdadeiro futebol brasileiro, jamais se identificarão com um ídolo e provavelmente nunca conseguirão lembrar da escalação do seu time na temporada anterior.
Lembra quando qualquer torcedor escalava qualquer time de cabeça sem esforços?? Conhece alguém que o faça hoje?
Marcos vai deixar muito mais que saudades em todos nós...

Nori disse...

André Antunes, amigo, mas o Marcos assumiu o erro diante do Santo André. Ele sempre assume. Acho que ele está cansado das dores e do ambiente. Entendo como um desabafo, mas entendo seu ponto de vista. Abs

Luiz Zuliani disse...

Nori

Para mim você é o melhor comentarista brasileiro, mas porque compara-lo com o Rogério Ceni? Isso irrita a ele a aos torcedores de outros times que não o São Paulo.
Ambos são totalmente diferentes, enquanto o Marcos é humilde e sincero, Rogério é prepotente, arrogante e cínico.
Nem podemos falar na parte técnica, apesar de o Rogério ser um bom goleiro, este se notabilizou pelas cobranças de falta, ao contrário de Marcos.

Por favor não volte a compará-los, vc viu que nem o próprio MArcos gosta disto.