quinta-feira, abril 23, 2009

80 reais por uma arquibancada
é querer judiar dos torcedores


Quer dizer que o sujeito suporta 19 rodadas feitas por uma imensa maioria de jogos sem interesse, times fracos e na hora da decisão é tungado pelos dirigentes?

Porque cobrar 80 reais por uma arquibancada nas finais do Paulistão, como faz a diretoria do Santos, é trair o torcedor que deixou nas bilheterias do clube seu suado e sagrado dinheirinho nos jogos que valiam pouco ou quase nada.

O Santos tem todo o direito e deve jogar no seu estádio. Também está certo em querer ganhar mais dinheiro numa final. Agora, multiplicar por quatro é, no mínimo, falta de respeito.

Sem contar um camarote, e ainda assim não são todos, duvido que exista um lugar em qualquer estádio brasileiro que valha 80 reais. Na Vila Belmiro, que é um dos melhores estádios do País para se ver um jogo, histórico, aconchegante, e que vem sendo melhorado a cada ano, a arquibancada é tão fria e dura como qualquer outra e não vale 40, quando muito 80 reais.

O Corinthians, advesário do Santos na final, também quis dar uma de esperto e inventou o tal setor VIP, cobrando 150 reais no Pacaembu. Geralmente fica às moscas. Paga-se essa grana toda por uma almofadinha, um sanduba, um pacote de batatinhas e um refrigerante. Tem ainda uma cortesia de estacionamento. Mas se chover com vento, molha do mesmo jeito. E ainda tem que aguentar o presidente do Santos jogando copinho de água.

Torcedor ainda é gado. Quando será que vai virar cliente?

13 comentários:

Alcides disse...

O Sport perdeu para o Palmeiras em Recife porque a diretoria do Sport de olho na renda, cobrou preços estratosféricos pelo ingresso, muito acima da capacidade financeira da torcida pernambucana
Como consequencia do aumento exagerado de preços, o estádio não lotou. Assim, o Leão pernambucano deixou de contar com o incentivo em massa de sua torcida e acabou perdendo um jogo muito importante.
Quando consegue lotar a Ilha do Retiro, o Sport conta com força incomensurável de sua vibrante torcida que, realmente, faz a diferença e leva o time às retumbantes vitórias. Aconteceu ontem, novamente, contra o Colo-Colo e o time já está classificado para seguir na Libertadores.
O aumento de preços em jogos decisivos, defendido por grande parte da imprensa,é oportunista, abusivo, pérfido e desleal.
Durante quase todo um campeonato, O torcedor paga caro para assistir a jogos enfadonhos, cansativos, técnicamente fracos, que não decidem nada. Contudo, de uma hora para outra, é obrigado a rever e a violentar seu orçamento pessoal ou familiar, sendo obrigado a pagar preços acima da realidade, no momento em que começam os jogos de melhor qualidade e emoção.
Para se falar um português bem claro, esse procedimento é uma baita sacanagem.
Embora muitos digam que têm de prevalecer as leis do mercado, o Ministério Público, os procons e os governos precisam intervir a fim de que o povo não seja sacrificado por esse ato de força de clubes e dirigentes, um verdadeiro assalto ao bolso da população que faz do futebol a sua maior fonte de lazer.

João Carlos disse...

Infelizmente a lei de oferta e procura é implacavél. Deveria ser uma das leis da fisica.
Toda vez que ela é contrariada ou ignorada o resultado é pior.
A historia diz isto.

abs

João Henrique disse...

Nori, eu uso o google reader para me manter informado sobre novidades de seu blog.

Este post me fez, pela primeira vez, apertar o botão "add star".

Parabéns.

João Henrique disse...

Ah! Esqueci de lhe perguntar...

Para efeito de comparação, quanto custará pra ver as semis entre Chelsea e Barcelona ou Arsenal e Man. United?

Pra ficar ainda mais interessante, poderíamos verificar o valor de tais ingressos, frente ao salário mínimo daqueles países.

Será que, com tais dados em mãos, os torcedores daqui ainda serão "promovidos" a gado?

Lili Parmera disse...

O mau exemplo, neste caso, começou de cima. Os preços praticados nos jogos da seleção brasileira são ABUSIVOS. Ainda mais se levarmos em consideração o futebol apresentado. E depois querem que valorizemos o paulista...

Anônimo disse...

E o pior é que tem gente que paga, as entradas acabaram ontem pela manhã!!! Penso que os ingressos deveriam ter preço único, do inicio ao final do campeonato. Essa alternância de preços demonstra claramente a fragilidade desse campeonato, principalmente na primeira fase. Caramba, onde estão as grandes equipes do interior?? Quem não lembra da dificuldade em vencer os jogos contra o América de São José do Rio Preto, do Botafogo, XY de Piracicaba, Ferroviária, Juventos e tantos outros que dificultavam a vida dos grades clubes.

André Antunes
São Paulo

Carlos Pizzatto - Blog do Carlão disse...

O amor é cego.

E o torcedor é masoquista.

Anônimo disse...

Noriega, a impressão que eu tenho é que quando se coloca o ingresso a 80 reais é é visando vender boa parte por 40 reais em razão da industria das carteirinhas da meia entrada.

Thiago Campos disse...

É impressionante, Nori.. Nossos dirigentes ainda tem enraizados a cultura do feudalismo.. Vai ser assim por muito tempo, eles cobram esse preço e os torcedores vão.. Enquanto não houve um boicote, continuará sendo assim... E não falo de boicote geral, só que ao invés da Vila ter 20.000 no domingo, se fossem só 5.000, aposto que a diretoria já sentiria a diferença, mesmo que a renda fosse a mesma.. Valeu...

Acessem: http://cademeucamisa10.com

Anônimo disse...

Acho que não há outro caminho, Noriega! O futebol tende a ser elitizado para o bem e saúde financeira dos clubes. Não dá para dizer para alguém "como você deve gastar ou como você deve ganhar seu dinheiro!" Só o torcedor (no caso)pode dizer!

Dalla Valle

Alcides Drummond disse...

Sem nenhuma crítica pessoal a quem quer que seja, diga-se, em tese, que toda a vez em que se fala de preços abusivos no futebol brasileiro surge alguém para compará-lo ao futebol europeu, convalidando as atitudes negativas de nossos dirigentes.
Estamos anos luz longe da Europa, sob todos os aspectos. Assim, o velho continente nunca foi, não é e por muito tempo ainda não servirá de parâmetro ao futebol brasileiro.
Vivemos uma realidade muito diferente daquela vivida pelos europeus, seja do ponto de vista cultural, economico, social ou esportivo. Falar em "Leis do Mercado" é crueldade demais para com o pobre torcedor brasileiro que tem no futebol, praticamente, a única fonte de lazer.
Eu concordaria com o preço em aberto dos jogos, se a televisão brasileira cobrisse TODOS os jogos ao vivo.
Nessa hipótese os clubes poderiam cobrar o que, bem lhes aprouvesse, ainda que fosse muito além da capacidade de pagamento do torcedor brasileiro.
Ademais deveria estar inserido no estatuto do torcedor o preço fixo dos ingressos populares, calculado em percentual sobre o salário mínimo para as dependências tipo geral ou arquibancada.
Já adeiras, dependências especiais, camarotes, setores vip, estes sim, poderiam ter preços em aberto.

Anônimo disse...

O Santos é um clube pequeno, se não fosse Pelé, nem existiria mais.

Por isso, sempre que dá sorte de chegar às finais, tem que aproveitar, como time pequeno que é, para lucrar.

Corinthians campeão invicto.

Anônimo disse...

Depois do jogo realizado, percebeu-se que cobraram pouco.

Deveriam sair todos e pagar novamente.

Corinthians deu SHOW, em cima dos mediocres da vila.