quinta-feira, outubro 02, 2008

PECADOS DO
FLUMINENSE



Parece história de pescador. É possível acreditar que um time chegue à final da Libertadores da América e esteja seriamente ameaçado de rebaixamento no Campeonato Brasileiro? Pois o Fluminense está conseguindo essa proeza.
Um chute errado, uma fração de segundos, apenas isso significa a diferença entre o céu e o purgatório para os tricolores das Laranjeiras. Um pênalti convertido e hoje estaríamos falando sobre o jogo entre Fluminense e Manchester United.
O que acontece com o Fluminense? Como cair tanto em tão pouco tempo? Podem existir mil teorias e muita gente pode ter razão. Um dos pontos onde acho que é a soberba. Principalmente por parte de Renato Gaúcho quando ainda treinava o time. O Fluminense, depois de ganhar do São Paulo, se considerava o time do universo. Acompanhei estarrecido as declarações de torcedores famosos no dia do primeiro jogo em Quito. Parecia uma escala rumo à Disney. O Fluminense já se proclamara campeão da América e estava esperando apenas a assinatura do contrato. Renato conduziu mal esse processo e o time foi junto. Deu no que deu. Nem tanto a derrota nos pênaltis, absolutamente do jogo, mas muito a sequência dos fatos. O Fluzão poderoso acordou na sarjeta e de lá não consegue sair.
Há um ingrediente político nisso tudo. O Fluminense tem um mecenas, um patrocinador que injeta recursos e palpites em doses cavalares. Mas pelo jeito não tem lideranças que sejam legítimas. Dentro e fora de campo. A cada derrota um tenta tirar o seu da reta e coloca o companheiro mais próximo na linha de tiro.
Talvez ainda esteja na memória do torcedor comum aquele triste dia da história do Fluminense de tantas glórias, quando o então presidente do clube estourou um champanhe para celebrar a virada de mesa que promoveu o clube para a Série A sem precisar jogar a B.
O Fluminense cresceu desde lamentável episódio, mas algumas pessoas ainda parecem acreditar no discurso do "esse time não cai etc." Outros tão grandes como o Flu caíram, e o próprio Flu despencou.
Falta ao Fluminense de hoje alguém com a estatura e o perfil de Carlos Alberto Parreira. Que tenha peito de, campeão mundial, abraçar uma campanha de série C, por exemplo. Gosto muito do Renê Simões, um grande cara e bom treinador. Mas acho que ele precisará muito mais do que boas histórias e um discurso conciliador para salvar o Fluminense.
É a mentalidade de alguns no clube que parece ultrapassada. Ainda assim, em se tratando de um gigante como esse, dá tempo de evitar o desastre. Mas não é brincadeira.

4 comentários:

Letícia Moreira disse...

É Nori.. E ainda reclamam do Mano quando ele diz que o Corinthians ainda não está na série A. O Mano está certo, Renato que o diga.

----------------------------------------------------------------


Acho bom mesmo que o Fluminense desça, quem sabe na segundona ele cura essa ressaca. hauhuahuah



Beijinho.

marco disse...

Noriega

Anote esse nome!!!


DOUGLAS COSTA ESTREIARÁ NO GREMIO NO SABADO!!!


NOVO FENOMENO GREMISTA depois de Ronaldinho, Anderson, Lucas e Carlos Eduardo.

Esse vi jogar algumas vezes e AFIRMO É MELHOR QUE OS OUTROS!!!

MAIS UM DAS CATEGORIAS DE BASE DO TRICOLOR

André Monnerat disse...

Falando exclusivamente do time, dentro de campo: o Fluminense iniciou o ano com Gabriel, Cícero, Thiago Neves, Dodô e Leandro Amaral. Tem agora em seus lugares Carlinhos, Maurício, Tartá, Somália e Ciel. Acho que essas substituições explicam grande parte do problema.

Klein disse...

Nori,
PRECISO DA SUA OPINIÃO EM RELAÇÃO A DOIS CLUBES. Acho que o Vasco será o 20º e que o Santos também será rebaixado. Analisando a tabela do clube paulista, ele só tem chances reais de pontuar em 4 jogos: Figueirense e Náutico (casa); Vasco e Galo (fora). Perceba que são todos confrontos diretos. Nori, tou achando que o alvinegro praiano não chegará a 40 pontos. CONCORDA?