segunda-feira, julho 27, 2009

Obina merece respeito


Futebol é um meio em que rola muita brincadeira, gozação, piada. Muitas vezes alguns esquecem que ali, jogando bola, está um trabalhador profissional de uma atividade, um ser humano, um pai de família, um filho.

Como em qualquer atividade, há os bons, os ruins. Os mais taletosos, os menos. Os que se dedicam, os que enganam.

Desde que comecei a trabalhar com opinião esportiva, sempre tive como receita procurar o respeito ao profissional e ao ser humano. Brinco, faço piada, mas procuro preservar o cara que está lá dentro do campo trabalhando.

Obina foi ridicularizado algumas vezes. Ninguém merece ser ridicularizado. Nunca achei Obina craque, mas também nunca disse que era uma porcaria. Como todo mundo, ele viveu fases boas e ruins. Teve uma chance de recuperação no Palmeiras, depois de ficar abandonado no Flamengo. Correu atrás, trabalhou e está colhendo os frutos disso.

Piadinhas à parte, Obina é o mais recente personagem a provar que o futebol é a mais prefeita imitação da vida. Por isso, ambos merecem todo o respeito. De minha parte, sempre terão.

BOLA QUE ROLA....

Galo e Verdão puxam a fila do Nacional. Os resultados do final de semana e a configuração da rodada apontam para uma chegada do Palmeiras à liderança, em condições normais de temperatura e pressão. O Galo visitará o Flamengo no Maracanã, e o Palmeiras pega o Fluminense no Palestra, na estréia de Muricy.

Mas o chamado bololô ainda promete muitas emoções. Gosto demais de ver esse time do Vitória jogar. Equipe abusada, rápida, de bom toque. O Inter pega o Barueri em casa e pode se recuperar. São Paulo e Grêmio é um baita jogo.

Chicão x Gaciba

Chicão, zagueiro corintiano, fez graves acusações contra o árbitro Leonardo Gaciba. No futebol tem muito blablabla e pouca providência. Fala-se muito. Não sei quem está certo, mas quero saber. O TJD tem que chamar o Chicão. Se ouviu o que disse ter ouvido, o zagueiro precisa bancar e levar a coisa adiante. Se Gaciba não falou, também não pode ficar barato. É preciso dar um basta nesse estado de coisas.

7 comentários:

Leonardo disse...

Noriega, discordo de apenas uma frase de seu texto, quando diz que o Obina foi abandonado pelo Flamengo. Ou que lhe faltou carinho, como disse o próprio Obina semanas atrás.

Obina só foi negociado porque estava jogando no Fla um futebol abaixo do medíocre, e chegou-se à conclusão que seria bom para as duas partes que ele respirasse novos ares. Foram dados inclusive alguns penaltis para que ele batesse e fizesse seu gol, e nem assim ele aproveitou.

Enfim, não vejo como um atacante que é aclamado no Maracanã como melhor que Eto´o pode estar abandonado ou lhe faltar carinho. Se tivesse feito alguns gols, estaria na Gávea até hoje.

abraço.

Anônimo disse...

Mostra esse comentario sobre o Obina pro seu companheiro de profissão André Rizek

André Monnerat disse...

Noriega, lhe dou os parabéns pela maneira como tratou o Obina este ano.

Me lembro bem da transmissão do Flamengo x Santo André, último jogo do Obina no Flamengo, que você comentou ao lado do Rizek.

Enquanto o Rizek fazia piadas e ridicularizava o Obina o tempo todo, você tentava manter a linha e chegou a elogiar a movimentação dele - claramente constrangido com o comportamento do companheiro. Que insistiu nas piadas e galhofas sobre o Obina nos dias seguintes no blog dele, de maneira até gratuita. E agora?

Sei que vocês ainda trabalham juntos, é uma questão delicada. Mas enfim: parabéns.

lucas pablo disse...

Obina não ficou abandonado no Flamengo. Muitíssimo pelo contrário. A situação só chegou a ficar insustentável por causa do próprio Obina, que nunca mais conseguiu voltar a forma. É até impressionante que um cara com o crédito que ele tinha acabar tão perseguido pela torcida. O Cuca, os companheiros e a diretoria fizeram de tudo para que voltasse a jogar bem, mas ele não fez por onde. A melhor solução foi o empréstimo mesmo. Só acho que é uma injustiça atribuir, no caso específico do Obina, a culpa ao Flamengo. Ainda bem que ele criou juízo. Quem sabe ainda volte à Gávea.

Sérgio disse...

Noriega, dá gosto de ler blogs como o seu (escasso no meio esportivo!).

Como você mesmo salientou, o respeito vem acima de tudo. Todos o merecem !

Isso deveria ser, realmente, apresentado ao tendencioso Rizek, seu companheiro de emissora. Profissional que deveria se qualificar, e muito, para estar em uma emissora de tal porte e emitir opiniões extremamente tendenciosas e degradantes.

Um abraço e parabéns pela forma que você, como muito poucos, leva o jornalismo esportivo a sério!

Anônimo disse...

concorcodo

Anônimo disse...

Parabéns, Nori. Sempre achei bonita a forma como você trata o Obina, sempre respeitando o ser humano que está acima de qualquer jogador ruim. Ao contrário dos seus companheiros de Sportv Renato M. Prado e André Rizek (esse último depois que virou chefe de São Paulo e tá comentando no Jornal da Globo ficou irreconhecível, tamanho salto alto) que sempre ridicularizaram o atacante nos programas, sem nem pensar que ele podia assistir ao Troca de Passes, a família dele e até os amigos. Esse domingo, a última pérola do Rizek foi tentar minimizar o feito do Obina dizendo que os gols que ele fez qualquer camisa 9 fazia... Peraê! Ele tá passando dos limites. Queria ver se tivesse sido o Ronaldo.
O jornalismo esportivo está passando dos limites em relação ao ser humano. Brincadeiras são legais, mas não dessa forma, isso é ofensa.
São poucos os jornalistas como você.


Sucesso sempre é o que vc merece!

Um grande beijo, Letícia