segunda-feira, julho 27, 2009



Carinho da torcida faz

Alex pensar em volta

ao futebol brasileiro


Alex na volta a Istambul após pré-temporada na Alemanha




Tranquilidade e sucesso no futebol europeu, vivendo em uma bela cidade, ídolo. Alex, do Fenerbahce, vive o sonho de todo jogador de futebol brasileiro. Mas há algo que pode fazer com que ele deixe de lado a situação confortável na Europa: o carinho recebido pelos torcedores do Palmeiras e do Cruzeiro em sua recente passagem pelo Brasil.

Nessa entrevista ao Blog do Nori, Alex fala da vida em Istambul, do futebol turco, da chegada de Cristian e André Santos, ex-Corinthians, ao Fenerbahce, e de como um atleta de sucesso que está há muito tempo fora do Brasil vê o País de longe.

BN - A Turquia tem virado um destino frequente para os jogadores de futebol brasileiro. Agora foi a vez de Cristian e André Santos serem contratados pelo seu Fenerbahce. Que futebol eles encontrarão na Turquia?

Alex - Encontrarão um estrutura física fantástica. O Fener possui um estádio maravilhoso e uma torcida fanática que incentiva sempre. Mas vão encontrar um futebol totalmente diferente do brasileiro. Um futebol tecnicamente muito mais pobre que o nosso. Diferenças absurdas em relação ao Brasil. Mas são todos acostumados a receber brasileiros e nos tratam muito bem. Eles têm tudo para fazer o mesmo sucesso que conseguiram no Corinthians.

BN - O futebol turco, pelo menos entre os times grandes, está no mesmo patamar das grandes potências européias ou ainda falta alguma coisa?

Alex - Estrutura física, um estádio lindo, uma torcida maravilhosa, uma paixão absurda por futebol, muito dinheiro, isso eles têm de sobra. Mas falta a cultura de acreditar que pode vencer. O Zico acho que conseguiu mostrar para o grupo que era possível vencer os adversários. Os turcos ainda olham com inferioridade os outros países e adversários, e isso dificulta na hora de jogarmos e vencermos na Europa. O principal é mudar essa cultura e acreditar ser possível.

BN- Você sempre demonstrou interesse em coisas além do mundo do futebol, em ler, em cultura. Istambul parece uma cidade ideal para um atleta com o seu perfil. você já se sente em casa por aí?

Alex - Sinto-me totalmente em casa e adaptado aqui. Como História, Istambul é fantástica. Existe essa mistura do Oriente com Ocidente, essa situação do novo com o antigo. Dos povos que viveram ou passaram por aqui. Isso realmente me encanta. Mas a literatura me faz falta. Sinto falta de pode entrar numa livraria, escolher um bom livro e começar logo a ler. Hoje fico na dependência de amigos meus me mandarem algo do Brasil. Disso sinto muita falta.

Mas de um modo geral Istambul e fantástica e merece ser visitada. Quem tiver a oportunidade de conhecer a Turquia não se arrependerá. Conhecerá um país lindo e riquíssimo em História.
"Queria, mais uma vez, agradecer aos clubes e, principalmente, aos torcedores de Palmeiras e Cruzeiro. Fiquei super emocionado. Eu pensava em ficar mais tempo na Europa, mas depois dessas férias já penso diferente. Se vier algo concreto, analisarei com profundo carinho."

BN - Você recebeu belas homenagens do Palmeiras e do Cruzeiro. Dá saudade, vontade de voltar ao Brasil, ou hoje é impossível?

Alex - Rapaz, me senti privilegiado. Tanto no Palestra, quanto no Mineirão. Queria, mais uma vez, agradecer aos clubes e, principalmente, aos torcedores de Palmeiras e Cruzeiro. Fiquei super emocionado. Eu pensava em ficar mais tempo na Europa, mas depois dessas férias já penso diferente. Se vier algo concreto, analisarei com profundo carinho.

Mudei meus pensamentos em relação a voltar ao futebol brasileiro. É claro que existe um vínculo contratual de mais dois anos, mas antes nem cogitava. Hoje essa ideia já passa pela minha cabeça.

BN - Seu nome é frequentemente lembrado para a Seleção Brasileira. Você ainda acredita numa chance, no sonho de jogar uma Copa? Seu estilo tem lugar no que você vê na Seleção do Dunga?

Alex - Acredito que possuo qualidades para estar no grupo da Seleção. Respeito as escolhas do Dunga, que por sinal faz um belo trabalho. Respeito a qualidade dos jogadores que estão no grupo. Mas nunca desisti. Se tiver a oportunidade vou ajudar com minhas qualidades. Em relação ao meu estilo, não sei se entra naquilo que deseja o treinador, até mesmo por que não conheço seus pensamentos. Nunca trabalhei e nunca conversei com o Dunga.

"Sou nostálgico na minha vida. E no futebol sou muito mais. O tal do futebol "moderno" as vezes não me agrada muito."

BN - Depois de tanto tempo longe do Brasil, como você vê o País? Melhorou? Há boas perspectivas? E o futebol, em relação ao que você vê na Europa?

Alex - Eu vejo o Brasil com vários problemas. Mas qual país não possui problemas? Pouquíssimos nesse mundo. Mas como sou otimista, vejo o Brasil com bons olhos. Lembro-me de um período em que a economia brasileira era um caos. Hoje somos mais estabilizados. Não tínhamos o respeito de ninguém. Hoje nosso País é respeitado e tratado com a importância devida pelos países considerados mais importantes. Os problemas existem, e cabe a cada um de nós ajudar um pouco nosso governo a buscar as melhores soluções. Mas continuo com meu otimismo, sempre esperando crescimento e melhora do nosso País.

O futebol brasileiro é o melhor do mundo. Sou nostálgico na minha vida. E no futebol sou muito mais. O tal do futebol "moderno" as vezes não me agrada muito. Essas perdas de jogadores muito jovens para o futebol europeu enfraquecem um pouco nosso futebol. Muitos ficam "europeus" na forma de atuar.
Gosto de "jogador de bola". O jogador de futebol faz, às vezes, muitas coisas seguindo ordens, e não acho isso bom, apesar de respeitar muito. Prefiro o jogador de bola, o do improviso, o de rua, o do brilho e principalmente o da simplicidade. Isso o futebol brasileiro ainda tem de sobra. A minha nostalgia me faz acreditar que o futebol brasileiro sobrevive por que somos o povo do improviso. E ganhamos muito no futebol em cima dessa qualidade. É só olharmos nossa história. Pode ser utopia minha, mas prefiro o futebol profissional de hoje jogado com a leveza de antes.


9 comentários:

Saulo disse...

O Alex é um ótimo jogador e não sei porque ele não teve mais oportunidades na seleção brasileira.
Jogou muito pelo Palmeiras e Cruzeiro e por isso, é querido.

Gersinho disse...

Parabéns Nori, excelente entrevista. E o alex é sempre um craque, poderia fazer uma bela dupla com o kaka, e deixando o Brasil com apenas 2 volantes.

Grande abraço

Emerson disse...

Oi Nori, como vai?

Excelente entrevista!
Gosto muito do Alex e se voltar fará um bem enorme a todos que gostam de bom futebol.

Ele é um boleiro, sem dúvida, mas é também, há muito tempo, um senhor jogador de futebol.

E dá ótimas entrevistas. Lembro até hoje de uma que ele deu há muitos anos, falando sobre o fracasso do time olímpico em Sidney. Não lembro o veículo, mas foi muito boa e reveladora.

Abração.

Walter Oliveira disse...

Pena que os Perrelas sejam tão mão-de-vaca (com ou sem hífen? rsrs sei lá)

PGCM disse...

Noriega. Sempre respeitei muito seu trabalho. Soube há alguns dias que fizeste o Master em Jornalismo. Hoje eu comecei, foi o primeiro dia! Muito Bom! Siga como belo trabalho!

Jesus The Lord disse...

Espero que o Perrella leia seu blog, Nori! Caso possível,dá uma ligada pra ele, e fala que o Alex já pensa em voltar ao Brasil. Lembro de uma vez quando o Perrella falou que, quando o Alex tiver o interesse em voltar, o Cruzeiro seria o primeiro a fazer uma proposta. Com o Alex voltando, só assim o Cruzeiro teria reais chances de conquistar algo que preste. Depois q ele foi embora, só ganhamos Mineiro...

PELAMOR DE DEUS, NORI. FALA COM O PERRELLA DESSA SUA ENTREVISTA! POR FAVOR!!!

Ivan Coelho Dias disse...

Mauricio Noriega, nem li (ainda), mas quero comentar antes: sou seu fã e fãzaço do Alex.
Elevou a camisa alviverde ao topo e o manto azul celeste ao ápice (Tríplice Coroa).
Parabéns pela sua carreira. Que seja sempre traçada da forma que você a leva hoje, com tranquilidade, respeito e ética.
Grande abraço!

Alexandre Pássaro Filho disse...

Volta, Alex!

Prof.Carlo disse...

ola. o Alex é craque. Merece uma chance na seleção.
Mas, esta entrevista esta incompleta. O coritiba não foi citado? Como e q pode.....o mundo todo sabe q ele é coxa branca...casado com uma torcedora do coxa...e genro de um torcedor do coxa.
ELE É SEM DUVIDA O MAIOR JOGADOR DO CORITBA DA HISTORIA DO CORITIBA. Em seu blog ele repeti isto para quem quiser ouvir. E nem cito o clube paranaense. Esta entrevista pede totalmente o sentido ou foi direcionada e não retrata a verdade sobre o craque ALEX.