quarta-feira, maio 21, 2008

TUDO É POSSÍVEL NO
DUELO DE ALVINEGROS


Foi um bom jogo Botafogo e Corinthians. Poderia ter sido melhor. Muitas faltas atrapalharam o espetáculo, mas elas eram as chamadas faltas de jogo. A orientação era evidente, partindo dos dois bancos: matar a jogada o quanto antes. Mataram também o que poderia ter sido um baita espetáculo.
No conjunto da obra, o Corinthians foi melhor, mais consistente. Mano Menezes está provando que é realmente uma grata revelação como treinador. Peguemos o Corinthians do Paulistão e esse da Copa do Brasil e veremos dois times que praticamente não têm pontos em comum. O atual é competitivo, organizado e ciente de sua nova capacidade.
O Botafogo é refém de seus nervos. Depois de tomar 1 a 0 poderia até ter sido eliminado em casa, tal a pane que se abateu sobre seus jogadores. É caso para divã. Na segunda etapa, porém, contando com uma boa dose de nervos em seu lugar, o alvinegro carioca melhorou e conseguiu virar o jogo.
O último lance do jogo é polêmica pura. Para mim, foi gol legal do Corinthians, equivocadamente anulado pela arbitragem, que vinha boa na condução do gaúcho Gaciba.
Para o jogo de volta, esse sim, com todos os ingredientes para ser dos melhores da temporada, há desfalques às pencas. O Corinthians não terá Lulinha, André Santos, Carlos Alberto e Fabinho. Muitos problemas e um time enfraquecido em talento. A advertência a Lulinha foi ridícula, fruto de uma tremenda burrice do jogador. O Botafogo não terá Túlio e Alessandro.
Para a volta, algumas conclusões que ficaram evidentes ontem. A primeira delas: a defesa do Botafogo é horrível no jogo aéreo. A segunda: Chicão e William não vivem seu melhor momento na dupla de área defensiva do Corinthians e, quando Fábio Ferreira se soma a eles, 3 acaba sendo pior que 2.
Será um teste para os nervos o jogo do Morumbi. Para os nervos da Fiel e para os nervos do time do Botafogo, que tem fraquejado sempre que parece ter chegado a sua hora. Anote na sua agenda.

PELÉ E MARADONA, QUE SACO ISSO!

Nada pode ser mais chato e irritante que as frequentes trocas de farpas entre Pelé e Maradona pela imprensa. Dois gênios do futebol incontestáveis, maravilhosos. Fora de campos, ambos tiveram atitudes que não podem ser dignas de exemplares. E sempre um está procurando algo para cutucar o outro. Estão virando dois vovôs rabugentos. Duas malas.


2010, O MAIOR DESAFIO DA COPA DO MUNDO

A África do Sul é o maior desafio que a Copa do Mundo enfrentará como evento ao longo de sua história. Para quem acha temeroso fazer o Mundial no Brasil, a África do Sul é um barril de pólvora. Xenofobia, racismo velado, violência, desigualdade. Esperemos para ver e tomara que dê tudo certo. Mesmo porque a África merece demais uma Copa, merece demais uma sorte melhor do que a que parece condenada a suportar. Tudo bem que, pelo menos para mim, a África do Sul não seja o representante ideal do continente, mas é o representante. Torço muito para o sucesso em 2010. Faço figa, na verdade.

2 comentários:

André Monnerat disse...

Acho que o Maradona cutuca muito mais o Pelé que o contrário.

E é chato mesmo, mas pra ele é bom. Cada vez que alguém coloca "Maradona" e "Pelé" na mesma frase, é um passo a mais pro argentino se colocar no nível do brasileiro. Começou como uma falsa polêmica, mas hoje em dia até brasileiro já coloca o Maradona abaixo apenas do negão e acha que os dois são comparáveis.

Robert Alvarez Fernández disse...

Caro Maurício, realmente o duelo entre o Corinthians e o Botafogo está aberto, no entanto, apesar da fragilidade emocional do Botafogo, vejo-o mais forte pela vantagem construída e pelos desfalques do Corinthians, mas é apenas um pensamento sem a estruturação profissional do especialista; veremos na quarta, creio que estarei por lá ao vivo.

Quanto a Pelé e Maradona, fiquei feliz ao vê-los trocando bolas de cabeça há alguns anos no programa efêmero de TV do Maradona que o SporTV transmitiu; confesso que fiquei emocionado ao ver os dois maiores brincando com a bola...preferia vê-los assim, até quem não gosta de futebol passou a considerar gostar pela magia do momento..mas essa troca de farpas é de uma pequenez de espírito daquelas de desanimar.

Quanto à África do Sul, endosso, torço pelo sucesso, mas dado o quadro creio que será complicado; espero que tiremos algumas lições para 2014, algumas delas já estão por aí prontas para leitura e discussão.

Abraços e desculpe pelo tamanho do comentário.

Robert