segunda-feira, maio 05, 2008


PARABÉNS AOS CAMPEÕES!

E VEM AÍ O BRASILEIRÃO


Os estaduais chegam ao fim com algumas goleadas expressivas, belos momentos e o anúncio de um Brasileirão que promete ser o mais equilibrado da era dos pontos corridos.
Trabalhei em Palmeiras e Ponte Preta. O Verdão levou fácil, sem contestação. Em momento algum dos 180 minutos da decisão a Ponte teve o domínio das ações. No último jogo o Palmeiras confirmou a melhor campanha, o artilheiro, o melhor futebol e, pelo menos para mim, o melhor jogador do campeonato, o Valdívia. A Ponte sentiu o peso da final, mas o trabalho merece crédito e, se não houver desmanche, o time entra com boas possibilidades na Série B.
O Palmeiras deve anunciar cinco contratações e, ao que tudo indica, não perderá Valdívia. Está no grupo dos teóricos favoritos ao título nacional, com Internacional, Flamengo, Fluminense, São Paulo e Cruzeiro. O Santos vem num segundo pelotão, precisando ainda de alguns reforços. Nas primeiras rodadas do Nacional, os clubes que estiverem na Libertadores ou na Copa do Brasil podem possibilitar às equipes que não disputam essas competições uma chance de somar pontos importantes na arrancada. Claro que em oito meses de disputa muita coisa pode mudar e, na prática, a teoria do favoritismo pode ser bem diferente. Mesmo porque há bom times como Sport, Figueirense, a tradição do Grêmio.
Que dizer do Inter? 8 a 1 na final, um espetáculo do elenco que considero atualmente o melhor do País. A Copa do Brasil deve ser a meta principal do Colorado agora, já que o Brasileirão é longo (para mim até demais) e há tempo para recuperação de eventuais pontos perdidos. Alex, Fernandão, Iarley, Nilmar, é um belo time.
O Cruzeiro confirmou a tendência em Minas, também com uma equipe muito boa. Há o desafio da Libertadores em primeiro plano, mas o time é uma das potências para o Nacional.
No Rio, o Flamengo confirmou o momento iluminado e, de novo, despachou o Botafogo, sem contestações. O Rubro-Negro contratou Caio Jr., que vive um momento ruim, perdendo uma classificação na Copa do Brasil e um título para o qual era favorito em Goiás (esse precisa se reforçar porque começa fragilizado o Nacional). É um instante crucial para o Flamengo. Tudo é uma questão de resultados, mas, na teoria, a mudança não foi boa e a saída de Joel Santana ocorre num momento desfavorável. O time é capaz de superar isso, no entanto.
Agora, será que o Botafogo supera outra frustração? O que acontece com o time, e, principalmente, com o técnico Cuca? Faltaria espírito vencedor a ele? A mesma pergunta vale para Caio Jr.
Dorival Jr., uma das revelações entre os treinadores, conquistou o título paranaense com o Coritiba, que segue em franca recuperação após a volta à Série A. O time deve perder Keirrison para o Palmeiras, desfalque que será sentido.
A Série B começa na sexta-feira, tendo o Corinthians como grande atração e principal favorito ao título. Antes o Timão tem a Copa do Brasil, embalado que vem pela goleada sobre o Goiás. A disputa pelas quatro vagas promete. Bahia, Paraná, Juventude, Ponte Preta, Barueri, Fortaleza, tem muita gente boa pelo caminho.

VERGONHA NA LIBERTADORES

A Conmebol é uma entidade que perde crédito a cada temporada. Parece preocupada apenas em cobrar multas e faturar com indisciplina e irresponsabilidade de clubes e jogadores. Sempre parece complicado para a entidade punir duramente clubes brasileiros e argentinos. Por aqui já tivemos garrafadas em bandeirinha, invasão de campo, batalha campal e apenas os estádios são interditados, além de pesadas multas em dólar. Agora a entidade passa por cima do regulamento que ela própria escreveu, certamente temendo punir o poderoso Boca Juniors. Os cofres estão cada vez mais cheios, e a selvageria instituída agradece.

ATÉ QUANDO?

Cenas lamentáveis, novamente, em meio a uma festa. Desta vez foi nas cercanias do Palestra Itália. Já aconteceu nas cercanias do Morumbi, do Pacaembu, do Maracanã, do Mineirão, de São Januário. As autoridades insistem em falar em interdição de estádio. Policiais são ameaçados, provocados, agredidos e nada acontece. Na lógica de quem está cuidando disso, o raciocínio parece ser o seguinte: se o sujeito dirige embriagado e atropela alguém, eles acham que resolve apreender apenas o carro. Falta vontade política de resolver a questão. Basta prender e não deixar entrar nos estádios. Em dia de jogo, quem brigou vai varrer rua, pintar parede pichada, plantar árvore. Aposto que resolve rapidinho, porque, felizmente, é uma minoria baderneira.

6 comentários:

Joao Luis Amaral disse...

Fala, Nori!
Não é um tanto quanto absurdo alguns times chegarem às finais dos campeonatos estaduais para serem massacrados pelos adversários? Galo, Macaca e Juventude, que fizeram bons campeonatos, subestimaram os times que enfrentaram? Ou superestimaram suas equipes? Tomemos por base a Ponte Preta, que foi sempre regular no Paulista, desfilando entre os 4 primeiros durante a fase de classificação... e que dera um sufoco no Palmeiras na primeira fase... e que tirou simplesmente o líder Guará da final... o que aconteceu agora, para tomar 5? Deu branco? Desaprenderam?
(e o frio na barriga por causa do Timão na série B??? Ah, meu Deus!)
Grande abraço,
Joao Luis Amaral

Marcelo Laguna disse...

Cabeça, por que é que na Inglaterra conseguiram acabar com ois vândalos nos estádios e aqui não? É verdade que os hoolingans ainda existem, mas conseguiram controlar a baderna a ponto de fazer aquele torcedor decente voltar a encher os estádios. Basta ter boa vontade.

André Monnerat disse...

Acho que o caso do Botafogo, desta vez, não foi falta de espírito vencedor - e sim falta de time.

O Cuca está fazendo milagre com o que tem em mãos. O grupo se enfraqueceu muito do ano passado e os reforços que vieram, se a gente for olhar os nomes, teriam nível apenas pra ficar no banco de rivais como Flamengo ou Fluminense.

Nessa final, a falta de opções no elenco cobrou a conta. A diferença nesse quesito em relação ao Flamengo é gigantesca.

Anônimo disse...

Não concordo com vc.
O Boca ganhou o resultado no campo e o jogo acabou com 45 minutos (ou talvez alguns segundos antes) do segundo tempo. O que faltou foram os acrescimos. O juiz era um fanfarão e o que ele escreveu na sumula não era fato o que é comprovado pelo video do jogo.
A verdade é que a imprensa brasileira é ridiculamente bairrista.
Imagina se fosse aqui, iam todos estar defendendo o time brasileiro.

As regras exitem, mas tem que se saber lê-las.
A midia brasileira esta lendo como bem entende, mas de maneira equivocada.

E sim, eu concordo que as arbitragens e a conmebol é pro argentina e paises de linguas latinas. Mas nesse caso eles estao certissimos.
Querer ganhar na canetada é ridiculo pra quem sempre defendeu o contrario no Brasil.

ps: e outra, se a conmenbol é tão ruim assim com os brasileiros devia ter punido o santos pela paralisão dos jogo por sinalizadores. E ALIAS, esse esria o certo. Mas não vejo ng aqui pedindo indignado com isso. Pq será?

Nori disse...

Anônimo, você está lendo o que eu escrevi como quer ler. Vou repetir para você abaixo:

"A Conmebol é uma entidade que perde crédito a cada temporada. Parece preocupada apenas em cobrar multas e faturar com indisciplina e irresponsabilidade de clubes e jogadores. Sempre parece complicado para a entidade punir duramente clubes brasileiros e argentinos. Por aqui já tivemos garrafadas em bandeirinha, invasão de campo, batalha campal e apenas os estádios são interditados, além de pesadas multas em dólar."

Cobro punição, que quase nunca houve,também para os brasileiros. A agressão ao auxiliar é evidente, o vídeo deixa claro.
abs
Abs

Anônimo disse...

Caro Mauricio, o texto abaixo escrevi em 2005, pena que tenha que re-editá-lo:

"JOGO DE UMA TORCIDA SÓ" - Nunca esta expressão teve tamanho significado, infelizmente com a conotação mais perniciosa possível. Explico: Antigamente, muito antigamente, o termo "jogo de uma torcida só" no jargão futebolístico, significava apenas uma partida de futebol cuja maioria esmagadora dos torcedores pertencia a um único time, geralmente por se tratar de jogos contra times estrangeiros ou quando um time já entrava campeão na partida e o jogo era realizado somente para cumprir a tabela. Hoje em dia todas as partidas são "jogos de uma torcida só", ou seria toscamente "as torcidas são uma só". Os episódios de violência, depredação de patrimonios públicos e privados por torcedores, mortes descabidas (de quem deveria ir a um estádio para sua diversão e acaba morto), que estamos acompanhando há tempos não são mais exclusividade de torcedores de clubes ditos populares, as torcidas se igualaram bor baixo, não existem mais os "pó de arroz", os times da chamada elite também abrigam bandidos uniformizados cuja ignorância e falta de civilidade levam aos estádios e adjacências suas frustrações e seu complexo de inferioridade, que deveriam ser canalizados para cobrar do Estado as medidas cabíveis para uma melhora efetiva de suas vidas e para produzirem algo de útil 'a sociedade. Comportam-se como bárbaros, denegrindo ainda mais a imagem de nosso futebol, que fora das quatro linhas do campo já anda tão desgastado e capenga. Que saudade dos tempos dos "jogos de uma torcida só"

obs sou Palmeirense, daqueles que torcem em casa, sou "porco" mas não sou "burro", rs

abs

Luiz Augusto do Carmo
MAIS COMUNICAÇÃO
55 11 5078-8085
55 11 8338-0101
visite nosso site:
www.maiscomunicacao.com.br
Somente imprima se necessário, pense no compromisso com o Meio-Ambiente
2478