segunda-feira, agosto 03, 2009

Argentina usa o calendário

europeu e afunda em crise


Há uma corrente de pensadores do futebol que merece todo o respeito, que afirma que a solução - ou parte dela - para os problemas do futebol brasileiro está na adequação do calendário nacional ao dos grandes países do futebol europeu. Respeito mas discordo radicalmente.

Já escrevi aqui e repito que há razões culturais, geográficas e até meteorológicas para o calendário europeu ser como é. O mesmo vale para o nosso futebol. Achar que basta fazer a nossa bola rolar simultaneamente à das potências européias para arrumar tudo é um mantra de alguns colegas. Na Espanha, por exemplo, o futebol segue o calendário parlamentar e escolar. No verão se faz o que o europeu gosta de fazer: viajar nas férias. No Brasil é bastante parecido.

A Argentina segue o calendário europeu há mais de dez anos. Seu mercado futebolístico é bem menor que o Brasileiro. Os clubes argentinos acumulam quase R$ 400 milhões em dívidas. E continuam a despejar jogadores no futebol europeu e mexicano, mesmo com a janela de transferências se abrindo quando o campeonato está em recesso. Só na Espanha há 309 jogadores argentinos. Mais 240 no México.

Enfim, não adianta achar que dando férias aos jogadores brasileiros em julho e colocando 40 equipes das Séries A e B para viajar de avião pelo País em plena alta temporada de verão bastará para organizar as coisas só par seguir o trem do pensamento politicamente correto e copiar a Europa.

O que falta é time bem administrado, transparência, boas idéias. Mesmo assim, continuaremos vendendo jogadores, em qualquer época do ano em que se abra a janela. É matemática pura e simples. Quem vai dizer não se oferecem 150 mil euros por mês contra 100 mil reais?

16 comentários:

André Monnerat disse...

Noriega, eu sempre fui contra isso de adequar o nosso calendário ao europeu justamente com esses argumentos meteorológicos, culturais etc.

Hoje, já penso meio diferente. Acho que com a realidade globalizada atual, a gente tá saindo atrás ao remar contra a maré. O Corinthians tinha que poder agora estar exibindo o Ronaldo nos EUA, na Ásia, na Europa. Idem pro Flamengo com o Adriano, e outros.

E, fora isso, as mudanças em meio de campeonato iam diminuir muito, o que ia melhorar bastante a nossa sensação ao acompanhar o início do Brasileiro e ficar pensando que "não adianta nada isso agora, tem que esperar a janela".

Só isso, claro, não ia resolver o problema todo. Mas seria uma ajuda.

E bem, se os argentinos têm essa dívida de 400 milhões, devo dizer que só a da dupla Fla-Flu já ultrapassa bastante isso aí. E os argentinos convivem com uma economia bem menor que a nossa, que passou por crises bem piores que as nossas.

Obede Jr. disse...

A questão economica é mais forte nesse caso. Se o euro e o real valessem a mesma coisa, não seria a diferença de 50 mil que tiraria um jogador do seu País para uma outra cultura e que não terá certeza que vai se adaptar.
O peso argentino vale metade do real e um euro vale quase 5,5 pesos. Não acredito que a mudança do calendário tenha afetado muito o futebol argentino. Nem pra melhor nem pra pior.
Os clubes são pobres pq o país é pobre, o brasil também é assim, não se pode comparar as economias.
Por aqui não há quem invista no futebol com o peso que deveria, e os clubes hermanos e nacionais não tem poder de barganha. O público consumidor tem poder aquisitivo baixo, eu mesmo, da classe média-média, não tenho como comprar produtos do meu clube. Só depois de economizar por alguns meses.
Alterar o calendário poderia ajudar na questão de pré-temporadas conjuntas com clubes europeus, no intercâmbio. Possibilitaria mais chances de aumentar o caixa. Divulgar marcas. É preciso seguir o que dita o mercado mais forte, é o capitalismo, né?
Abração!

Gilson Gustavo disse...

Oi Nori,
não acho que a adequação do calendário brasileiro resolverá nossos problemas, como você disse falta melhor administração e outras coisas. Quem defende isso se equivoca.

A adequação ao calendário europeu servirá apenas para evitar que no meio de nosso campeonato, que coincide com a janela de transferências da Europa, nossos clubes sejam desfalcados, pois é nesse momento que a maior parte dos jogadores é negociada com a Europa. Servirá para isso e para permitir que nossos clubes possam excursionar pela Europa na pré-temporada.

Nori disse...

Prezado Gustavo, valeu pela visita. Acho que não é preciso igualar o calendário ao europeu (dos grandes países do futebol europeu). Basta inserir no calendário uma pausa para excursões. Quanto a impedir a venda, acho que sendo no meio do campeonato até pode valorizar o jogador. Se for sair, o clube pedirá muito mais. Se a proposta vier nas férias ou na pré-temporada, se venderá até mais barato. Lembre-se que os estaduais antigamente eram jogados no fim da temporada, depois do Brasileirão, e sempre se vendeu jogador.
Abs

Michel Costa disse...

Prezado Noriega,

Penso que a mudança no calendário nacional não vai solucionar todos os problemas do futebol brasileiro. Longe disso.
No entanto, além de possibilitar as excursões citadas acima, acabará com esse terrível desmanche que acomete as equipes justamente no meio do campeonato.
Claro que mesmo com a adaptação esse desmanche ocorreira da mesma forma, mas, pelo menos, aconteceria durante as férias ou na pré-temporada, o que permitiria aos treinadores a reconstrução de seus grupos sem estar no calor da competição maior de nosso território.

Ainda neste assunto, te convido para a leitura do meu último post que trata justamente do assunto: http://a4l.zip.net/

Abraço.

ph disse...

Tudo bem noriega, grande abraço e parabéns pelo trabalho. Um jornalista do seu patamar deveria ter um blog mais caprichado hein... vc nao conhece ninguém que possa te auxiliar nisso? Até o número de visitações aumentará com uma reetruturação em seu blog. Abraços.

Naiyan Lima disse...

Olá, Nori.
Concordo em parte com suas idéias quanto a não-necessidade de adequação ao calendário europeu. O problema maior está na quantidade absurda de jogos que os times brasileiros fazem e os impossibilitam de fazer essas tais excursões que não apenas são fonte de dinheiro mas também, por que não, de crescimento dos clubes ao interagir mais no cenário internacional.

Os campeonatos russo e irlandês, além dos escandinavos, acompanham o nosso calendário, e desses o russo está em ascensão, se tornou um dos grandes da europa.
Por outro lado, os times dos campeonatos escocês, português, holandês e belga acompanham o calendário dos outros e nem por isso deixam de vender muitos jogadores para as outras ligas.

Mais importante que ajustar o calendário à europa, é fazê-lo minimamente razoável para os profissionais do futebol brasileiro, e estruturar os nossos clubes.

Nori disse...

Nayan, concordo contigo. Melhor seria diminuir os estaduais e dar uns 15 dias entre eles e os nacionais. Estou contigo. Abs

Obede Jr. disse...

Penso que parar o campeonato para excursões seria o fim da picada. Paradinha para festas de fim de ano, beleza. Mas, no meio de julho, do nada, parar? Não rola. Temos que nos adequar!

Anônimo disse...

Infelizmente, enquanto a C.B.F. estiver nas mãos de quem esta (isso já dura a décadas) será impossível uma reestruturação em nosso futebol. Do jeito que esta, para eles da C.B.F., esta bom demais!

André Antunes
São Paulo

Bruno MGR disse...

Noriega, o site do transfermarket mostra as transferências que já ocorreram.
Pode ver que nos 309 jogadores argentinos estão Riquelme e Saviola que não jogam mais por lá.
Não dá pra dizer pelo site quantos argentinos estão na Europa.

André Ursípedes disse...

Poxa, Noriega,

Que bom ver um jornalista que distoe do discurso da adequação do nosso calendário.

Parabéns por sair do senso comum!

Grande abraço,

André

Nori disse...

Bruno, tudo bem. Na Europa não sei dizer precisamente, mas semana passada foram publicadas diversas reportagens na Argentina sobre o tema. São mais de 2 mil jogadores argentinos espalhados pelo mundo. Talvez seja uma boa referência.
Abs

Davi disse...

o calendário não é a salvação, mas é o mais adequado. apenas isso. não pq é europeu, mas pq é, tem inúmeras vantagens q não vou enumerar agora, mas são pontos importantes. não é colonialismo reconhecer isso. essa é uma briga até boba.

Equipe Esporte Total disse...

Gostei muito do seu comentario, essa possivel mudança tem que ser pensada. Gostaria que você visitasse meu blog para conferie uma reportagem que eu fiz sobre a janela de trasnferencias.
É só acessar o blog: http://esportetotalbh.blogspot.com
Comente o que achou e dê sua opinião.

VinaXavier disse...

Não vejo a mudança do calendário como solução, pois os times perderiam jogadores da mesma forma, uns na pré temporada e outros no inicio da competição, já que a janela é aberta até 31 de agosto, aconteceria o desmanche também com o campeonato em andamento, não tem jeito. Além disso tem a janela de janeiro. Outra questão é que, Curitiba por exemplo, nos finais de semana de verão vira um deserto, imagine qual seria o público nos jogos na Arena e Couto Pereira, os clubes perderiam muita renda. abraxx