quinta-feira, julho 26, 2007

RESPOSTA A UM ANÔNIMO


O espaço é sempre democrático e incentiva a troca de idéias, ainda que algumas venham sob o manto do anonimato, como um comentário muito bem articulado de um internauta, falando sobre o que escrevi a respeito do Pan e dos comentários da final do futebol feminino.

1) O time de futebol feminino dos EUA que jogou o Pan é sub-20, não sub-17 como o senhor anônimo afirma. E sendo um time sub-20, reforço, é um time muito bom, sim, dentro da sua categoria. Só não se pode compará-lo ao time principal do Brasil, que é vice-campeão olímpico. Se os EUA decidiram mandar seu time Sub-20, não é problema do Brasil, ou meu, ou seu. É dos EUA, que, inclusive, são a maior potência do futebol feminino.

2) Sobre a natação, se o amigo anônimo acompanhou com atenção as análises da equipe do SporTV, todos foram unânimes ao apontar Cielo como o nadador com melhores condições para a Olimpíada. Com o que não posso concordar é com certo tipo de comentário que desmerece uma conquista de um atleta, dentro de um parâmetro. Se ganhar tantas medalhas como o Thiago Pereira ganhou é assim tão fácil, porque demorou tanto tempo (40 anos) para que alguém fizesse o que Mark Spitz fez em 1967?

3) O SporTV é um canal de gente séria e responsável, que procura informar e opinar com profissionalismo. Ninguém ali está tentando enganar no que faz, nem tem motivos para isso. Muito menos fazer comentários mentirosos, como o senhor anônimo afirma. Concordar ou não é outra história, assim como achar que eu ou algum colega meu entendemos ou não de determinado assunto. E outra coisa: não brinco quando estou trabalhando. Agora, se o senhor gosta ou não, é outra história e respeito isso. Portanto, não existe desinformação.

4) Talvez o senhor anônimo esteja um pouco desinformado sobre o Pan e as modalidades que classificam para as Olimpíadas e outras das quais participam, inclusive, campeões mundiais. Algumas delegações, como os EUA, Canadá e outras, no caso de certas modalidades, não enviam seus principais atletas. Por opção. Talvez seja preciso entender que os jogos são Pan-americanos e não Olímpicos e que cada competição tem sua importância e seu peso no aspecto técnico.

5) Cuba é, sim, uma potência olímpica. O Brasil não é.

6) A título de esclarecimento, para o COI e para a Odepa, a classificação do quadro de medalhas não existe, ela é meramente simbólcia e adotada pela imprensa de maneira geral. Cada resultados dos finalistas nas provas tem um peso que é atribuído a uma pontuação final e, encerrados os jogos, uma delegação é apontada como vencedora por esse critério. A disputa medalha a medalha é muito mais simbólica.

9 comentários:

Jéssica Nayara disse...

"Ih ninguém cala esse nosso amor é e por isso que eu canto assim é por ti fooooooooogo".
Noriega, eu estou de luto por 120 dias.
Beijos e Saudações Alvinegras !!!

Anônimo disse...

O Pan já torrou a paciência, altera toda a programação do Sportv e da Tv aberta..É um saco,ta foi muto bom , tudo bem, mas já chega...

Carlos

Orlando disse...

Desmerecemos a conquista do futebol feminino alegando que o adversário mandou um time sub-20, apesar desse país ser a melhor equipe mundial na modalidade, como você mesmo afirmou.

Entretanto, quando nosso time de futebol masculino sub-17 perde o mesmo torneio é execrado como incompetente, mesmo competindo com seleções mais experientes e fortes fisicamente. E o Brasil também é a potência mundial na modalidade.

Somos coerentes?

André disse...

Pow Nori, que decepção, olha as séries ao lado veja que você não acompanha Lost, não sabe o que está perdendo!rs

Grande Abraço

Humberto disse...

Noriega, entendo perfeitamente seus argumentos. Mas, o problema é a época (infeliz) de radicalismo que estamos vivendo.
O ufanismo de locutores, menos o Sportv e mais a Globo, o chatíssimo "Brasil-il-il", a falta de um jornalismo mais crítico (principalmente sobre as denúncias envolvendo o orçamento do Pan). Tudo isso leva ao outro lado da moeda, que é o desprezo de alguns críticos e torcedores pelo verdadeiro valor dos resuldados obtidos pelos atletas brasileiros.
Também acho que falta muito para o Brasil se tornar uma potência olímpica. Em Pequim, se o Brasil conseguir um total de 20 medalhas já será muito.

Abraço.

Nori disse...

Orlando, concordo com seu comentáriio, às vezes o brasileiro exagera nos comentários ácidos quando perde no futebol. Vc está certíssimo. Abs.

Nori disse...

André, eu gosto de Lost, mas infelizmente não consigo acompanhar. Mas vou providenciar em DVD.
Abs

Laguna disse...

Amigo Nori,
Sua análise foi perfeita em todos os aspectos, como aliás é de costume (sem puxa-saquismo que a gente é brother e eu não preciso disso, né?). O que eu sinto lá na redação e de forma geral entre as pessoas com quem convivo, é uma dúvida que pouca gente tem esclarecido ou deixado claro, em todas as mídias (jornal, tv, rádio e internet): qual será o desempenho desta dourada delegação brasileira em Pequim?
Como você disse, estamos longe de ser uma potência olímpica. Muuuuuitooo longe. Poucos serão mos atletas que conseguirão um resultado realmente expressivo daqui a um ano. O problema é que a alegria da vitória acaba mascarando a realidade e cabe a nós, que exercemos nossa profissão com seriedade, estarmos sempre alertando o nosso público. A única coisa que me irrita é ver a principal emissora do país esquecer muitas vezes tudo isso que falei acima e apelar para o pachequismo barato por causa da audiência.
Um grande abs e parabéns pelo belo trabalho

daniel disse...

Nori, aqui vai dois pesos e duas medidas. Tudo bem, esses dois esportes são uma droga, mas me deu pena a má vontade contra uma que serviu para a massificação excessiva de outra: nado sincronizado e ginástica rítmica. enquanto NENHUMA TV teve boa vontade pra transmitir o primeiro ao vivo, o sedgundo deve todas as emissoras transmitindo e repetindo hoooooras a fio por todas elas. Odeio todos os dois esportes, assim como todos os esportes que se exige silêncio (e querem impor goela abaixo no bom e velho futebol), mas vale o registro.