domingo, abril 01, 2007

A POLÊMICA DOS MUNDIAIS


Foi o grande assunto da semana. A oficialização pela Fifa da conquista Copa Rio (ou Torneio Internacional de Clubes) de 1951 pelo Palmeiras como título mundial.
Mais do que ter a chancela ou não da Fifa, um título tem seu valor medido pelo que pensam dele os torcedores do seu time. É o que sempre achei. Desde que me conheço por gente e me interesso por futebol ouço histórias que envolvem a Copa Rio, e palmeirenses das antigas que consideram aquele título como um Mundial. Esse é o maior patrimônio dessa conquista: o apreço que os torcedores nutrem por ela.
O que veio agora foi uma espécie de reconhecimento de paternidade. Tive acesso a algumas partes do dossiê produzido pelo Palmeiras e, por ele, fica evidente que houve o envolvimento da Fifa na organização do torneio, através de seu secretário-geral à época, o italiano Ottorino Barassi, nomeado para tal pelo histórico presidente Jules Rimet. Mal comparando, imaginemos o seguinte: um filho não é reconhecido pelo verdadeiro pai, embora toda a sociedade saiba de tal fato. Após a morte do pai, ele consegue, na Justiça, o reconhecimento de paternidade. Não terá mais o amor do pai, os momentos em família, mas poderá ser olhado com respeito pela sociedade que sabia do fato e agora tem que aceitá-lo como tal.
A diferença, no caso do Palmeiras, é que o filho (a Taça Rio) sempre foi amado pelo pai (os palmeirenses). Agora está documentado em cartório.
A questão técnica é uma outra história. A Fifa fez uma lambança quanto aos Mundiais de Clubes recentemente. Como nunca teve capacidade para organizar um, não oficializava a Copa Intercontinental, que era, de fato, o verdadeiro Mundial de Clubes, já que não existia outro. A entidade criou o seu em 2000, mas o fez com uma série de decisões equivocadas técnica e politicamente. Depois, desistiu do mesmo e o retomou em 2005. Vejo da seguinte forma: todos os campeões da Copa Intercontinental são, sim, campeões mundiais. Assim como o Corinthians é campeão mundial de 2000. E o Palmeiras de 1951. Mas tecnicamente, os títulos de maior peso e critério são os do São Paulo em 2005 e do Inter em 2006. Porque era um torneio que teve seqüência, critério técnico definido e participaram todos os campeões continentais da época.
A Fifa inicialmente reconhecia apenas o Corinthians como campeão mundial legítimo. Depois, numa lambança incrível, reconheceu todos os campeões intercontinentais e tirou a legitimidade da conquista corintiana. Para, enfim, reconhecer o título de 2000 mais adiante. Mas há coisas pra lá de esquisitas, como o fato de o programa oficial do Mundial de 2006 apontar o Boca Juniors como campeão de 2000, um tremendo desrespeito com os corintianos.
Resta saber agora o que pensará a Fifa da requisição do Fluminense em reconhecer a Copa Rio de 1952. Leio na coluna do amigo e historiador competente Roberto Assaf que a Fifa não teve participação na Copa Rio de 1952 como teve na de 1951.
Por isso eu acho que quem decide a importância de um título é a torcida, e não a dona Fifa.

7 comentários:

Leonardo disse...

Nori,acredito que a FIFA não deveria ter reconhecido o título do Palmeiras como campeonato mundial,pois agora vários times parecem alegar serem campeões mundiais(Copa Rio e Pequena Taça do Mundo)...Poxa vida,se isso valer o São Paulo por exemplo passaria a ser pentacampeão.Chega a perder a graça.Seria como a CBF reconhecer os títulos do Santos antes da criação do Campeonato Brasileiro como sendo Brasileirão...Este título do Palmeiras ganho no tapetão consegue ser mais ridículo que o do Corinthias de 2005.Eles vão colocar uma estrela na camisa mas que fique bem claro que é devido ao título da Copa Rio e não Mundial.
NÃO ADIANTA DIZER QUE VALIA COMO UM MUNDIAL POIS O PALMEIRAS ENTROU COMO CAMPEÃO SUL-AMERICANO?SE ELE NÃO ERA CAMPEÃO DE SEU CONTINENTE COMO PODE SER CAMPEÃO MUNDIAL?
Como todo sãopaulino sabe:
PARA SER CAMPEÃO DO MUNDO É PRECISO ATRVESÁ-LO!!!
Abraços!!!

Emerson disse...

Putz, esse negócio virou brincadeira chata.

Para um time ser campeão mundial ele precisa de dois anos, no mínimo, de trabalho duro.

Tem que se qualificar para disputar a Libertadores, inicialmente, de preferência não pela via expressa e fácil da Copa do Brasil, e sim pelo Campeonato Brasileiro.

Depois tem que disputar 14 partidas pela Libertadores até chegar ao título. Vencendo adversários difíceis, adversários fáceis que endurecem o jogo, calor, frio, altitude, viagens de 15, 16, 18 horas, campeonatos simultâneos no Brasil e por aí vai.

Uma vez campeão, ainda precisa amargar 6 meses, com todos os riscos dessa espera, até a disputa do Mundial.

Aí, sim, passamos a ter um verdadeiro CAMPEÃO MUNDIAL.

É ofensivo aos verdadeiros campeões nomear vencedores de torneios amistosos, jogados por convites, como campeões do mundo.

AlexSA disse...

Olá, Nori... Acho que o título do Palmeiras é válido pra quem considera o Corinthians campeão em 2000 e não o Boca Jrs.... Sob o meu ponto de vista, pra ser campeão do mundo tem que ter ganhado a Libertadores... Mas se a Copa Traffic que o Corinthians ganhou (final entre duas equipes do mesmo país?!?!) é considerada "Mundial", creio que o do Palmeiras também vale... O problema é que daqui em diante vão "brotar" campeões "mundiais" mundo afora... A Fifa deveria ser mais rígida nessa análise, vai virar confusão...

Rubão disse...

A 51 deu ressaca, Cabeça...

Leonardo disse...

Nori,acho que o São Cristóvão também deveria requerer na FIFA o direito de se proclamar campeão Mundial, pois também já foi campeão da Copa Rio!!
Abraços!!

Anônimo disse...

Nori
Parabens pelo excelente comentario.
Lembraria, apenas, os participantes da Copa Rio, todos Campeões em seus Países e a fórmula de disputa com turno e returno.
Alem disso, os tìtulos Mundiais do Santos FC, com todos os méritos, tambem foram importantíssimos pois a forma de disputa à época era extremamente competitivo.
Abraço
Marcio

luis henrique disse...

noriega , na minha opniao , pra ser campeao mundial , tem q ganhar primeiro a libertadores da america !!
a fifa pode realizar torneio com equipes convidadas (como foi o mundial q o corintians venceu ) pode reconhecer titulo de torneio realizado no rio de janeiro( isso foi mto mais um trabalho politico do q qqer coisa ), mas pra ser campeao mundial de fato , antes , tem q vencer a libertadores( isso é concenso entre torcedores neutros , q nao tem nenhum time envolvido na polemica) !!
a formula antiga , em q o vencedor da libertadores enfrentava o vencedor da liga dos campeoes é a q mais se aproxima do ideal(q na minha opniao é a formula atual adotada pela fifa) !!!
tanto q , nos dois mundiais , de sao paulo e inter , q vc citou como os mais concensuais na sua opniao , tiveram como finalistas exatamente o vencedor da libertadores contra o da liga dos campeoes !!