domingo, abril 08, 2007

UMA IDÉIA SOBRE OS PÊNALTIS


Meu amigo e parceiro de transmissões Milton Leite tem uma idéia que me parece muito inteligente sobre as cobranças de pênaltis. Imagina o grande narrador do "a batiiiiiiiida" que boa parte da polêmica que envolve as penalidades máximas arrefeceria se fosse tomada uma simples medida: pintar uma marca à frente da linha do gol, coisa de uns 30 centímetros, e permitir que os goleiros avancem até aquela marca para tentar pegar os pênaltis.
Parece uma ótima idéia porque goleiro mexe mesmo e aí fica a critério de cada árbitro ou auxiliar mandar repetir ou não a cobrança. A regra diz que os goleiros só podem se mexer com ambos os pés sobre a linha de gol. Mas entra aí uma regra que não aparece nos livros, chamada bom senso, que é aplicada de maneira diferente por cada árbitro. Uns permitem um impulso apenas, outros deixam passar avançadas homéricas.
Enfim, talvez se aceitassem a sugestão do Milton muita coisa ficasse mais fácil de julgar.

HAJA FALSIDADE

Poucas coisas soam mais falsas e irritantes no futebol de hoje do que jogador beijando a camisa, o escudo do time. Minha memória pode estar falhando, até porque não sou lá um historiador, mas não me lembro de grandes craques, de ídolos que representaram como poucos seus clubes, beijando escudos. Zico fazia isso? Ademir da Guia? Falcão? Roberto Dinamite? Reinaldo? Raí? Rivellino?
Alguns jogadores dos tempos ditos modernos o fazem para pagar pedágio com torcedores ditos organizados. Muitos chegam a beijar dezenas de camisas durante a carreira. Nada contra jogar em 15 times. Mas para quê apelar e banalizar um gesto nobre apenas para bajular meia dúzia?

CRIME E CASTIGO

A entrada de Marcos Paulo, do América, em Roger, do Corinthians, foi animalesca, grotesca, criminosa. E o que acontecerá com Marcos Paulo? Dorme tranqüilo um jogador que faz aquilo com um colega de profissão?

EM BUSCA DA CHAMA

Mais do que erros de arbitragem, o Palmeiras deveria buscar outras respostas para a eliminação precoce na Copa do Brasil, diante de um adversário fraco como o Ipatinga. O time de Caio Jr. fez 2 a 0 sem grande esforço e depois, com um homem a mais, foi pior e quase tomou um gol que seria eliminatório. Houve progressos evidentes no Palmeiras, mas o time ainda não recuperou a chama gloriosa de outrora. A chama de grande que se apaga em algumas fases. Esse é o maior desafio palmeirense, reacender a chama.

RESPOSTAS AOS AMIGOS

Ao Hugo Noronha - Sou filho do Luiz Noriega. Com muito orgulho, amor e responsabilidade de carregar esse sobrenome. Tento honrá-lo a cada dia como profissional e ser humano.

Ao Alexsa - Você tem razão.

Ao Leonardo - Cada um pensa o que tem que pensar. O importante é que eu e o Milton, assim como todos nos SporTV, temos a consciência tranquila e um compromisso: imparcialidade.

13 comentários:

Leonardo disse...

Amigo Nori,não entendi esta sua resposta pois eu num fiz nenhum comentário recente sobre parcialidade e até mudei de idéia quanto a este fato.Acho que por mais que as pessoas tentem buscar a imparcialidade nunca conseguirão pois todos temos o direito de torcermos para quem quisermos e como se trata de paixão nunca serão totalmente imparciais...
Abraços!!

Nori disse...

Leonardo, me desculpe, acho que confundi os nomes. Erros e acertos são diferentes de imparcialidade, permita-me discordar. Volte sempre,

Leonardo disse...

Nori,gostei dos seus comentários e a respeito da idéia do Milton Leite penso que não mudaria nada porque a linha em questão já existe,as dúvidas iriam persistir.Acho que não há uma solução para este problema a não ser o bom julgamento do árbitro.O que eu acho desagradável é o bandeira ficar ao lado do goleiro praticamente marcando ele, o intimidando!!
Gostava da meneira como o Caio Jr vinha se portando mas os seus comentários depois da partida da Copa do Brasil me pareceram muito injustos com o time do Ipatinga e começo a ter dúvidas quanto a sua capacidade de gerir a pressão pois ele tentou jogar a culpa toda em cima do bandeira. Lamentável!!
Feliz Páscoa a vc Nori e a todos, especialmente aos torcedores do TRICOLOR DO MORUMBI!!

mari disse...

Cada beijo de jogador no escudo da camisa me dá arrepios... não de emoção, mas de grande incômodo. Perco praticamente toda a confiança num cara que age assim... acho que esses jogadores deveriam beijar as logos dos patrocinadores, não o escudo dos times... afinal, o amor (cifrado) é mesmo ao belo contrato, não à velha paixão pelo clube...

mari disse...

Ah! Esqueci-me de um detalhe... sabe como achei seu blog? Através do Orkut... vi vc numa comunidade a qual tb pertenço (do John Martyn), daí pensei: "Ih, é aquele cara do Sportv!" Fuçei seu perfil e achei teu blog...hehehehehehe... longo caminho.
Um abraço!!

Kleyton disse...

Noriega, sei que não faz parte do Comentário do blog... mas onde está o Luís Carlos Jr.?
Abraços!

Hugo Noronha disse...

Que Legal Nori isso mesmo com certeza tem que se orgulhar mesmo .
Te admiro muito
Grande abraço

Cesar disse...

Fique tranquilo pois você carrega o nome com competência! E a idéia da marca é ótima. Já defendo esta idéia em conversas com os amigos a muito tempo. Seria mais "amigo" dos goleiros e deixaria 1 metro. Se o goleiro defender além desta marca, cartão amarelo. Reincidência? Vermelho. É mais fácil que ficar tentando adivinhar se houve movimentação.

Édila Vargas disse...

Caro Nori, pesquisando no google encontrei o seu site e nele uma notíca sobre um amigo querido que não vejo a muito tempo.Gostaria de obter informações sobre onde anda Celito Esteves. Qualquer ajuda será de grande valia. SE souberes de algo escreva para o meu e-mail.Um abraço. Édila Vargas;Jornalista;RPMP 9.400/RS;edila_vargas@uol.com.br

Anônimo disse...

Grande Maurício Noriega,gosto muito do seu trabalho, apesar de quando você faz jogo do verdão, agente só perder, brincadeira. Noriega sou estudando de jornalismo e gostaria muito que quando puder desse uma olhada no meu blog, o tema é dedicado a futebol e me engrandeceria demais saber que um jornalista do seu gabarito passou por la, me deu dicas, opniões, para que eu possa sempre estar me aperfeiçoando.

Um grande abraço de um futuro jornalista que te admira muito.

Murilo Ribeiro

blog:
www.blogfutebolmaniacos.zip.net

Luiz Fernando Bindi disse...

Nori, que tal minha idéia: o goleiro deveria poder ficar dentro do gol na hora em que o pênalti fosse batido, coisa que ele não pode hoje. Isso o ajudaria a tomar impulso para tentar defender e acabaria com essa dificuldade de marcar se ele se adiantou ou não.
A idéia do Milton é interessante, mas aí a briga seria para o goleiro não passar da "segunda linha", concorda?

O Elton disse...

Eu tenho uma dúvida com relação a disputa de penaltis (assim como foi Palmeiras x Ipatinga).
O juiz pode dar cartões?
Tipo, todo goleiro sabe da regra e mesmo assim antes de iniarem as cobranças o juiz ainda alerta.
Se mesmo assim o goleiro se adiantar, o árbitro pode dar cartão amarelo e depois vermelho?
Se puder, aplica a regra e pronto

Edu Cesar disse...

Ainda bem que não sou o único que defende essa idéia da linha extra, Nori, bom saber que também o Milton é partidário da minha idéia.