sexta-feira, agosto 24, 2007

TEM DECISÃO EM
CAMPEONATO DE
PONTOS CORRIDOS?

Antes de entrar no tema deste post, registro, mais uma vez, que prefiro campeonatos eliminatórios, o famoso mata-mata, com semifinais e finais, a torneios de pontos corridos. Isso posto, literalmente, vamos ao tema principal: num campeonato disputado em sistema de pontos corridos alguns jogos podem ser considerados decisões?
Muita gente acha que os jogos que decidem torneios desse tipo são aqueles que envolvem adversários diretos na briga pelo título, aquela partida que se convencionou chamar de "seis pontos". Tipo um São Paulo e Cruzeiro atualmente.
Penso diferente. Acho que esse tipo de campeonato se ganha ou se perde justamente nos confrontos entre os times que estão na ponta, disputando o título, e aqueles que jogam sem grandes possibilidades ou lutam para não serem rebaixados. Algo como um São Paulo x Náutico. Explico a tese, claro, com alguns exemplos. Em 2004, o Atlético Paranaense liderava e parecia caminhar para o título quando tropeçou no Grêmio, virtualmente rebaixado, em um jogo que estava ganho. Pagou caro por isso e o título ficou com o Santos. Agora em 2007 o Santos perdeu em casa para América de Natal e Náutico, times que lutam apenas para não cair. Ganhou do Botafogo, mas essa vitória não teve exatamente o mesmo peso que as derrotas, e Luxemburgo e cia estão distantes do pelotão de frente. Vejamos o caso do São Paulo, o líder atual, que dificilmente perde pontos bobos para times de menor potencial. Perdeu três para o Náutico, nos Aflitos, e não fosse isso teria uma vantagem praticamente definitiva.
Isso porque clássico, já diz a sabedoria popular, não tem favorito. E clássico se ganha, se perde, se empata, tudo isso já está contabilizado e não interfere diretamente no desempenho de um time teoricamente favorito. E time grande, normalmente, tira ponto de time grande e de time médio e pequeno.
Isso escrito, fica para mim a impressão de que o time que vence os torneios de pontos corridos é, não apenas o melhor, como seria o óbvio afirmar, mas aquele time que menos vacila, que praticamente não perde pontos para equipes mais fracas e ainda consegue ser equilibrado na disputa contra adversários do mesmo potencial. E, além disso, o time que tem um aproveitamento acima da média como mandante ou como visitante. Ou, o que é melhor, em ambos. O São Paulo é absoluto fora de casa. Já o Cruzeiro se equilibra como terceiro mais produtivo em casa e também como visitante. O Palmeiras, vacilante em casa, é segundo na campanha como visitante, o que mantém o time vivo na competição.
E há casos extremos como os do América de Natal, que não ganha quase de ninguém e começa o returno praticamente condenado. Porque tem a pior campanha como mandante e só consegue ser melhor que dois outros times quando sai de casa. Assim fica difícil.

3 comentários:

Júlia disse...

Noriega,na comu. do Arena no Orkut tem um tópico sobre o Cléber Machado e o Milton Leite não se darem bem. E em outro lugar ,não lembro onde,li até que foi por isso que o Milton essa semana foi no Redação e não no Arena. Não é verdade,né?Espero,pq gosto muito dos dois.
Um abraço pra vc.

Nori disse...

Júlia, esse tópico é uma tremenda bobagem. Não tem nada a ver.
Abs

TITO disse...

Nori, o que você acha do zagueiro uruguaio Sorondo de 27 anos ,um zagueiro altão que já jogou no futebol Italiano, na seleção Uruguaia, e esse ano fez parte do paredão da defesa do Defensor.Bom jogador? O Internacional deve apresentar esse atleta na segunda - feria.Abraço;