segunda-feira, novembro 29, 2010

Lá vai Muricy, sr.


pontos corridos


Quando publiquei o livro Os 11 Maiores Técnicos do Futebol Brasileiro, uma saraivada de críticas choveu sobre minha cabeça por ter listado Muricy Ramalho entre eles. À época da publicação, ele tinha acabado de ser tricampeão brasileiro de futebol por um mesmo clube, fato inédito e que dificilmente será repetido.

Agora Muricy está muito perto de faturar seu quarto título nacional, pelo Fluminense. Na era dos pontos corridos, segundo informa o site Infobola, ele reina absoluto. Deixou para trás Wanderley Luxemburgo em média de pontos conquistados e é o técnico com maior número de jogos dirigidos nesse formato.

Deve provar no próximo final de semana que é vencedor e competente, não importa a equipe, o tamanho do orçamento e a estrutura do clube. Quando o São Paulo resolveu demiti-lo, acreditava que poderia se virar com base nas ideias de seus dirigentes e nas categorias de base. Emplacou dois anos sem títulos após papar três com Muricy. O Palmeiras não teve paciência e serenidade para segurar o treinador e mudar um time com perfil perdedor. Bateu na trave em 2009 e foi parar na arquibancada em 2010.

O Fluminense,  mesmo ainda bagunçado e dividido entre o mecenas e o clube, apostou alto em Muricy. Uniu ao treinador competente o talento de Conca, com o qual ele sempre sonhou no São Paulo, mas o clube não contratou. Some-se a Conca um Fred, um Sheik, um Deco, bons laterais e mesmo a dupla e zagueiros ainda reticente dá conta do recado.

Foi quando teve mais problemas, perdendo Sheik, Fred e Deco, que Muricy mostrou toda sua capacidade e manteve o Fluminense no topo, sem enfrentar uma sequência de 7 jogos sem vitória como, por exemplo, o Corinthians.

Se confirmar o título que está próximo, Muricy poderá se dedicar a duas tarefas: capitanear o projeto de reestruturação física do Fluminense e dirigir o time na Libertadores, com boas chances de título.

Terceirização das derrotas

É sempre mais fácil reclamar de terceiros do que assumir a responsabilidade pelos erros cometidos. Palmeiras e São Paulo reclamaram do Corinthians em 2009 para se livrar da incapacidade e incompetência mostrada. Em 2010, o Corinthians reclama do São Paulo e do Palmeiras por não terem feito o serviço que ele, Corinthians, também não soube fazer.

Caso não conquiste o título, o Corinthians e alguns de seus jogadores preferirão lembrar dos jogos pra lá de desmotivados que os rivais fizeram com o Fluminense. Certamente esquecerão das duas derrotas para o Atlético Goianiense, do empate com o Ceará, da derrota para o Atlético Mineiro, do empate com o Vitória, dos sete jogos sem ganhar. Também esquecerão que titulares foram poupados em algumas rodadas por priorizar a Libertadores, o que todos acham correto.

O Cruzeiro certamente não lembrará que perdeu para o Vitória em casa e deixou pontos para o Atlético Goianiense. Ou que empatou em casa com o Prudente.

Se der Fluminense e não Corinthians ou Cruzeiro, será por méritos do Fluminense ao longo do torneio. O resto é conversinha.

7 comentários:

Oswaldo Thompson disse...

É bem por aí... Chega de chororô de quem não consegue ganhar.

Rodrigo Schmitz disse...

Sem esquecer que, não fosse a lambança de 2005, seria o quinto título em 6 campeonatos.

Anônimo disse...

O Corinthians não chegou a nenhum momento poupar um titular por causa de libertadores, vide que sua eliminação foi exatamente no meio de semana antes de começar o brasileiro.

Christiane disse...

Noriega, me explique se for possível.Depois do tricampeonato Brasileiro, pelas mãos do Muricy junto ao São Paulo, a decadência dele dentro do clube foi ao extremo até chegar na demissão após a eliminação da Libertadores. Eu te pergunto: o que aconteceu com o Muricy que tinha o SãoPaulo nas mãos e sob controle e, de repente, perdeu o fio da meada e degringolou? A diretoria, também farta dos maus resultados, atendeu ao pedido da torcida para justificar as eliminações recentes no Paulistão e Libertadores (ambos dentro do Morumbi). Será que um técnico durante muito tempo no mesmo time vai "mofando"? A reciclagem do elenco não é suficiente para renovar estratégias de um mesmo treinador no time? Abrçs...

Anônimo disse...

Nori!!
Voce tem razão, o pior é ver que o Vasco tem a mesma rivalidade com Flu e não vi ele entregar o jogo para o Corinthians, assim como não vi o Palmeiras entregar o jogo para o Fluminense, porém o que o São paulo fez não é digno de um São Paulo tão festejado. Quando foi a última vez que o São paulo tomou 4 gols?
Lógico que choro, e choro mais pela incompetência de um Corinthians que começou querer ganhar fora e começou a perder dentro...
Concluindo, sou mais Guarani, bugrino desde de pequeninho.


Abs
Mozart

Anônimo disse...

Noriega, segue uma tentativa de solução para essas tais malas, que abomino em todas as suas 'cores':

Se na quota de transmissão do brasileirão do ano seguinte houvesse um percentual que fosse distribuído conforme a classificação do ano corrente não evitaria essa questão de entregar jogos no final?

Por exemplo, se o 9o colocado em 2010 ganhasse R$ 2 milhões de quota a mais que o 9o colocado, o Palmeiras aceitaria que seus jogadores não jogassem com o mesmo empenho?

SANTANGELO disse...

Caro Nori, veja minhaopinião via vídeo:
http://www.youtube.com/user/santangelo1992?feature=mhum#p/u/0/Ij8fP3jHc0k