segunda-feira, novembro 01, 2010



Felipão e imprensa


têm muito crédito


Confesso que não gosto muito de tocar no tema da relação da imprensa com os entrevistados e a notícia. Acho meio chatinho.Gosto de escrever sobre esportes, de debater idéias, interagir, ler críticas, responder aos educados e, admito, peitar alguns mais folgados. O que é errado de minha parte. Mesmo quem não me respeita merece respeito. Vou me policiar e tentarei melhorar.

Pois lá vou eu escrever algo sobre o Felipão e seus destemperos com a imprensa, que reagiu com ironia. Acho que houve excessos e ambos os lados e que todos têm muito crédito.

Lembro de uma entrevista que fizemos com o Felipão quando ele ainda treinava aquele ótimo time do Grêmio. Deve ter sido em 1996, um pouco antes de o time gaúcho ser campeão brasileiro. Eu trabalhava na saudosa Gazeta Esportiva. Fomos até um hotel no Centro de São Paulo eu, Luís Augusto Simon, o Menom, e João Henrique Pugliesi. Foi um bate-papo excelente, franco, sincero. Felipão contou que era assinante do jornal e adorava utilizá-lo para motivar seus jogadores. "Quando vocês escrevem que os times são favoritos contra o Grêmio, eu colo na parede do vestiário e mostro pros jogadores", contou, rindo.

Quando chegou ao Palmeiras, Felipão foi perseguido por alguns veículos de comunicaçãos. Porque ele tinha sido contratado pelo Palmeiras e não confirmou, mentiu por uma questão contratual. Sei do que falo porque demos essa furo na Gazeta, uma semana antes de o Felipão ser apresentado a gente já sabia. O Fábi Koff, então presidente do Grêmio, tinha me dito isso em Porto Alegre, e o Marcelo Tieppo, que cobria o Palmeiras, confirmou com suas fontes. Bancamos. Felipão negou e depois se apresentou. Muita gente não gostou e começou uma guerrinha meio besta e ambas as partes.

Certo dia estava no CT palmeirense e Felipão virou para mim: "tu és da Gazeta?" Eu disse que era. "Pois assim acho que vamos ter problemas". Aí eu disse: "Por quê? Eu nem escrevi nada ainda". Felipão não sabia que havia o jornal A Gazeta Esportiva,  a TV Gazeta e a Rádio Gazeta. Estava bravo com um repórter da TV Gazeta e foi mal informado por seu assessor que era eu. Tivemos um rápido bate-boca. No treino da tarde ele me procurou e pediu desculpas, na frente de todo mundo.

Muitas vezes o problema de Felipão é achar que o mundo é um grande Gre-Nal, que quem não é Grêmio, como ele, é Inter, ou seja, é contra. O que não é verdade. Escolado nisso, ele usa tudo como truques para buscar a vitória, motivar jogadores. Pode não ser certo, mas é válido.

Considero Felipão um grande treinador de futebol. É meio esquentado, usa métodos como os do Mestre Oswaldo Brandão, só que sem a mesma maestria. Mas é um sujeito franco, direto, o que é de se admirar atualmente. Acho até que tem razão em algumas coisas quando critica a minha área de atuação. Como, por exemplo, a insistência de alguns em dizer o quanto ele ganha. Isso é uma velha mania de alguns setores da imprensa. Cada um ganha o que ganha, é coisa pessoal. Técnico não é funcionário público e torcedor não é fiscal da receita. Nem jornalista é. Mas tem gente que acha genial a pauta de mostrar quanto ganham técnicos e jogadores. Eu acho sem graça e sem propósito.

No caso do Palmeiras, um clube que passa por um processo político quente e por uma tentativa de reestruturação do futebol, Felipão é mais que técnico, é bombeiro. Tem que ser meio dirigente numa casa onde não se sabe ao certo quem manda de verdade. Daí chegam os estouros. Acho que ele não deveria estourar quando perguntam sobre Valdívia, porque é um direito dos palmeirenses saber o que passa com o principal jogador de criatividade do time atualmente.

Enfim, tudo tem seus motivos. A mídia erra e acerta. Entrevistadores e entrevistados não precisam mesmo ser amigos. Isso, inclusive, atrapalha. Mas podem e devem se respeitar. Nesse aspecto, foi brilhante a atuação do companheiro Luiz Ademar, presidente da Associação dos Cronistas Esportivos do Estado de São Paulo, que foi conversar com Felipão, em alto nível, como deve ser.

Todos têm muito crédito para superar o que aconteceu. Felipão sabe que a grande maioria da mídia esportiva é formada por gente séria e trabalhadora. O que todos nós sabemos que Felipão é. E todos sabem que há uma instituição por trás de ambos, uma instituição gloriosa que merece todo o respeito, que é o Palmeiras. Quando Felipão se exalta com alguém, é o técnico do Palmeiras, é a imagem do clube que está ali, também a de seus patrocinadores.

E quando Felipão fica chateado quando falam de seu salário, ele sabe que vive agora em um País perigoso, cheio de assaltos e de gente que pesquisa salários de famosos atrás de objetivos nada lícitos. De novo: se ele ganha isso é porque merece e fez muito para chegar lá. E está levando o Palmeiras adiante, com ótimas chances de ganhar a sul-americana.

Em breve acho que todos conviverão em paz. Um bom churrasco resolve tudo. E Felipão é um ótimo contador de histórias quando está relaxado.

15 comentários:

Ana Paula Araujo disse...

Noriega, não sou grande entendedore de futebol, mas leio sobre o assunto e tb posso afirmar que não estou totalmente por fora!!! Mas sinceramente acho que dessa vez o Felipão passou dos limites do bom senso, educação então nem se fala!! A muito tempo ele se acha acima do bem e do mal e é bem verdade que essa volta dele para o Palmeiras foi por um maravilhoso salário- sem questionar se ele merece ou não - e porque estava em baixa lá onde ele estava... eu disse que não entendo muito de futebol, mas sei que ele não dirigia nenhum time da Europa no momento... veio depois de ser comentarista na Copa. Portanto acho que ele deve se acalmar e realmente focar na Sulamericana porque o CB 2010 já era... Suco de maracujá também pode ser uma solução!!!!ST sempre!!!

Vicente disse...

Pois é Nori, o que muita gente da imprensa talvez não perceba é que ela só tem a perder com isso. Porque quem assiste o Palmeiras, são os palmeirenses e estes não vão largar o clube, vão ficar do seu lado. Então se parte da imprensa quer fazer birra, que faça, em um mundo tão globalizado como é hoje, a internet pode servir de meio de comunicação entre time e torcida. Felipão deu uma entrevista ao site oficial do Palmeiras, melhor que as coletivas depois do jogo. Porque? Porque não tem ninguém tentando fazer uma pergunta pra tentar criar um clima ruim (o que infelizmente, existe no meio jornalistico).

Se continuar nessa, o Palmeiras (e quem sabe outros clubes) vão perceber que esse tipo de jornalismo em busca de coisas erradas para criticar e noticias extra-campo é dispensavel, quem tem a perder são os jornalistas. Se ve mais por ai noticias do que o jogador comeu no dia anterior da partida, e não do passe que ele deu em jogo. O futebol foi transformado em um jogo de interesses e o Felipão sabe que quem tá ali com microfone nem sempre tá interessado em ajudar.

Claro que pra mim, você fica fora de todas essas criticas a imprensa, mas por fazer parte dela, sabe que isso tudo existe.

Um abraço!

Vinicius disse...

Boa Nori,

Sou palmeirense e até agora não tinha lido algo do nível que você postou aqui.
Felipão tem suas virtudes e seus defeitos como todos.
O que não pode é querer só colocar suas imperfeições quando ele fala algo que não agrada a imprensa, principalmente alguns acéfalos que comentam (leia-se alguns ex-jogadores com microfone na mão, torcedores-'jornalistas' de outros times que fazem perguntas com o objetivo de atingir o entrevistado, entre outros...).
Ver o Bruno Bernardi colocar em seu twitter uma foto falando que ele e outro causaram a irritação do Felipão é muito estranho né?
Pois meses atrás ele tentava ganhar audiência em seu programa querendo aparecer na comunidade do Palmeiras no orkut, dizendo que tinha detalhes (mentirosos) sobre a contratação do Valdivia.
Ai está hoje, querendo mais uma vez aparecer, 'protestando' da maneira mais infantil que tinha, mas uma coisa eu não tiro a razão do Felipão e a atitude dos 'jornalistas' que lá estavam me confirmaram , ELES SÃO TODOS PALHAÇOS MESMO!
Jamais veremos jornalistas do seu nível e tantos outros ótimos que temos, tendo esse tipo de atitude.
Pq a diferença é grande, vocês querem passar a noticia, a informação, não existe isso de que vocês (jornalistas) são o elo entre o clube e a torcida, e que as vezes nos representam (exclua-se disso Grande Noriega, já concordei com suas análises, como tb discordei, e é assim que deve ser, não jornalistas que só tem noticia quando algo de ruim acontece no clube), pois eu não me sinto representado por NENHUM da imprensa. Para saber do meu clube eu tenho acesso a ele, e vou as jogos e isso é mais que suficiente para mim, não preciso de PALHAÇOS dizendo que são o elo entre nós e a Instituição.

Grande abraço Noriega, belo texto e ótima análise.

Vinicius

Anônimo disse...

Noriega, parabéns por suas palavras cociliadoras!
Você, tal como seu pai a quem tive o prazer de conhecer pessoalmente nos estúdios da Tupi, pratica muito bem o lado humano da notícia, além do grande conhecimento dos esportes.
Gostaria de acrescentar que, como fã do futebol, costumo deixar de assitir a jogos onde os protagonistas extrapolam os limites do seu trabalho. Assim foi em 1994 quando um jornalista da Folha de São Paulo publicou fotos das saídas noturnas do Romário, já no Rio de Janeiro, após a conquista da copa do mundo: cancelei minha assinatura do jornal e nunca mais o li. O mesmo ocorre com o Palmeiras, como um todo (direção, tecnicos, jogadores e torcida), que não consegue lidar com a pressão da falta de títulos e a situação está muito nervosa: como resultado, não tenho ido dar meu apoio nos estádios.
Fabio Gatti

A B Coutinho disse...

Não tiro a razão do Felipão, pois ele estava muito irritado com os erros absurdos da arbitragem e seu colega vem perguntar sobre o Valdívia, numa clara intenção de que ele e o médico colocaram o jogador em campo sem condições.
Essa atitude de seus colegas de vestir-se de palhaços, só está fortalecendo a mídia palestrina e a mídia convencional perdendo acesssos.
Saiba que os torcedores que acompanham de perto a vida do Palmeiras, está fechado com o Felipão. Quem não acompanha, infelizmente é manipulado por torcedores jornalistas, com excessão de vc e de outros poucos jornalistas que considero sérios.
Quanto a Gazeta Esportiva, concordo com você, é saudosa, por que hoje em dia...
Um abraço.

Edna Cajado disse...

Gostei do que vc escreveu, e digo o seguinte, a atitude dos jornalistas em colocarem nariz de palhaço,não me pareceu uma brincadeira e sim uma provocação. O Felipão fez bem de não dar entrevista logo depois do jogo, se ele é nervoso que se acalme primeiro para depois falar. Enquanto tiver algum indício de grosseria e brincadeirinha idiota de qualquer um dos lados é bom que ninguém fale nada.

Rafael Kalebe disse...

Querido Noriega !
Antes de mais nada , vou dizer logo: Sou Palmeirense.
Dito isso , não vou dizer que eu consigo ser tão imparcial assim.
Mas eu acompanho o seu blog ha pouco tempo e fiquei muito feliz em ver um texto tão conciliador, sem ser tendencioso , mas ao mesmo tempo muito firme com os seus ideais (que em um mundo tão torto , são admiraveis).
Concordo que os dois lados tem que repensar algumas atitudes e o Felipão ( como estava até na coluna do Juca de ontem ) tem que pensar e respirar até 10 se ele estiver nervoso.
Mas sabe o que me incomoda ? Esse corporativismo que acontece algumas vezes com a imprensa em relação ao Palmeiras. Pode ser mania de perseguição mesmo, mas acho que as vezes acontece. Mesmo sem Felipão, ja era assim em alguns momentos.
Eu entendo que a imprensa tem que trabalhar e que as vezes no Palmeiras não é nada fácil , mas isso não justifica a má vontade por parte de algumas pessoas.
Em todo esse turbilhão que toma conta do meu Palmeiras hoje é muito dificil ver algum texto tão interessante quanto o seu.
Continue assim.
Um Grande Abraço
Rafael Kalebe

Marcelo disse...

Noriega. Parabéns pela suas palavras. Eu escrevi tempos atrás sobre esse mesmo assunto que sei que você não gosta porque os palmeirenses como o Dodô (centro-avante) disse outro dia: a torcida do Palmeiras é a mais chata. Sem dúvida é a que mais reclama e que se vê vítima de “teorias de conspiração”. Desde que comecei a freqüentar seu blog e de outros jornalistas conceituados fui aprendendo a distinguir e a eliminar tudo aquilo que vem da “imprensa marrom” a grande causadora deste mal estar. Essa “imprensa marrom” que dá importância aos factóides, que tentou extrair intrigas entre o Felipão, o Valdívia e o Dep. Médico, e que logo vai tentar extrair intrigas entre Deola, Marcos, Felipão e Pracidelli quando Marcos voltar. Para esses repórteres “palhaço” é muito generoso, Felipão deveria pedir perdão aos palhaços de verdade, estes sim foram ofendidos. Esses repórteres que riram com prazer da piada de mal gosto e preconceituosa sobre Itaquera de Juvenal Juvêncio. Esses repórteres que passaram a infernizar a vida de Luxemburgo, Muricy e Felipão em suas chegadas ao Palmeiras, e “endeuzaram” Ricardo Gomes, Carpegiani, Adilson Batista e
Tite. Ninguém no Palmeiras nega a crise que vivemos e os erros que cometemos, mas não podemos aceitar esses urubus criando factóides e intrigas sobre nossos problemas que por si só já são grandes.

Marcelo disse...

Caro Noriega. Fazendo uma seleção e freqüentando os blogs apenas de jornalistas conceituados, passei a compreender melhor e ter consciência de que essa bobagem da existência de teorias de conspiração é coisa de torcedor fanático. Mas essa distorção de pensamento é alimentada por setores da imprensa que criam uma rede de intrigas, fofocas e mentiras. Há responsabilidade no clube? Sim. Aí é que está uma importante questão. Provavelmente membros da oposição passam determinados tipos de informações para os abutres com a intenção de ver o circo pegar fogo. Falando em circo, palhaço foi um elogio. É o mesmo tipo de imprensa que participa diretamente de uma campanha eleitoral em favor de um determinado candidato chegando até a adulterar imagem de vídeo. Quem deve pedir desculpas a quem? Alguém pode argumentar que esse comportamento é em represália ao mau tratamento dado aos repórteres pelo clube. Quer dizer que quando bem tratados os repórteres varrem as notícias inconvenientes para debaixo dos tapetes, como ocorre do outro lado do muro?

Alcides Drummond disse...

Felipão errou e sabe disso. Arrependeu-se do que fez mas não tem temperamento e humildade para reconhecer o erro. Além de impor a liderança pelo físico como sempre o fez e faz,a vaidade profissional e a ignorância impedem=no de qualquer ação nesse sentido. Alguém se esqueceu que quando daqueles Palmeiras e Grêmio decisivos de décadas passadas ele mandou o time do Gremio agredir os jogadores do Palmeiras, xingou e partiu para a agressão sobre Luxemburgo, então técnico do Palmeiras que estendia-lhe educadmente a mão para cumprimentá-lo após o jogo?
Alguém se esqueceu do que ele disse nos vestiários ao time do Palmeiras, anos atrás, que os jogadores do Corinthians e aquele clube eram inimigos e que teriam de apanhar em campo? Queremos que o Palmeiras vença sempre os gambás, mas os considero, apenas, adversários, nunca inimigos. Só chucros e ignorantes pensam assim. Na verdade Felipão é um passional, desequilibra-se com facilidade a qualquer contrariedade e se não fosse contido gostaria de resolver tudo nesta vida animalescamente por meio de tapas e bofetões. Ele tem pensamento e personalidade de chefe de torcida organizada. Já pensaram se ele fosse o presidente da mancha? O lobo velho perde os pelos mas não perde a ferocidade e o vício. A propósito Felipão disse que tem uma fita em que ele e o Palmeiras recebem ameaças do"chefe carioca" do repórter agredido por suas palavras. Ora, ao que me consta o chefe de Raphael Prates não é carioca mas um paulista, provavelmente de Osvaldo Cruz, Oscar Ulisses. Felipão está certo em defender o Palmeiras, sempre vítima de alguns profissionais facciosos e inescrupulosos da mídia, mas extrapolar da forma como o fez é inadmissível para um técnico de seu jaez e de seu background. Sirvam, urgente, um copo de maracujina a Felipão. Ele está precisando.

Takushi disse...

Bom dia Nori. De todos os comentários a respeito dos fatos, só 2 foram conscientes; O seu e do Marcelo Barreto. Assumo que não gosto muito dos comentários dele, mas o ultimo dele sobre o assunto de nome "Blinda mais não xinga" me pareceu ser coerente juntamente com o seu. Nori me desculpe, mas infelizmente tem muita maçã podre hj na imprensa. Pq antigamente (e eu com meus 42 anos ouvia muito rádio) não havia esse clima entre profissionais do futebol e da imprensa? Nossa, é impressionante como hj tem jornalista querendo ser showman. Ja vi suas entrevistas e percebo que por de trás de suas perguntas não existe insinuações. Qdo um repórter pergunta sobre o valdívia, pq o outro que está ao lado tem que perguntar novamente para que a resposta seja repetida? Parece que é para provocar mesmo. E ja esta muuuuuuito bem claro que o Felipão detesta ser repetitivo. Os caras são chatos e querem polemizar. Poxa vida, naquele dia em que o Felipão estourou o palmeiras havia sido prejudicado pela arbitragem e ninguém quis falar do assunto. Isso prejudicou muito o palmeiras e a imprensa preferiu falar de outra coisa pq sabia o que queria que era exatamente provocar o felipão. É por causa de PALHAÇOS como aqueles que a parte boa da imprensa (e vc esta dentro) está sendo prejudicada.

Desculpe, mas é minha humilde opinião,

Grande abraço e continue assim. CONSCIENTE.

Daniel Mendes-bh disse...

Noriega vc falou ali atras q o Valdívia é um dos melhores do Brasileirão. Não por favor veja maisfutebol tem 10,15 jogadores melhores q o Valdívia aqui

Jorge disse...

Meu caro Noriega, andei escrevendo para ti, não como torcedor e nem mesmo como fanático que você diz serem alguns que te criticam. Mas louvavel tua colocação em relação aos que te criticam, pois eu também sou jornalista e sempre levo as críticas como construtivas. Teu posicionamento em relação a algumas respostas que vc recebeu, havia sido muito radical e altamente mal educado, para um jornalista de tua posição. Ao ler teu blog pela primeira vez, fiz duras críticas a tua pessoa a amigos, pois você tem teu direito de opinar, mas nunca se esqueça que você tem uma grande mídia te apoiando, e fica desaradável alguém entrar em teu blog e se deparar com respostas de baixissimo nível.
Me perdoe a sinceridade, mas cresci em minha profissão sendo humilde diante de críticas, muitas vezes até pesadas.
Nunca é tarde para nos redimirmos de erros em nossa caminhada.

Jorge Arabian

Gustavo Mascarenhas disse...

Posts sobre Campeonato Brasileiro e Champions League no Saiu, Acabou ! - http://saiuacabou.blogspot.com/ - Sigam ae
Abraços

Nori disse...

Jorge Arabian, desagradável é ser atacado covardemente por anônimos que inventam mil histórias mentirosas e fantasiosas. Porque as pessoas podem nos atacar, serem grossas e mal educadas e nós não podemos responder? Garanto a vc que nunca fui mais grosso do que foram comigo. E sobre humildade, eu admito erros e refaço opiniões ao vivo em rede nacional, nessa grande mídia que vc cita. E os que nos criticam dificilmente fazem isso. Portanto, sei bem das lições de humildade porque as aprendo em casa, desde que nasci, e exercito no dia a dia.
Abs