terça-feira, agosto 31, 2010

Habemus basquete!

Ainda que eu possa estar sendo levado pelo entusiasmo de um jogo espetacular, mas o que o Brasil fez ontem contra os EUA no basquete foi uma viagem no tempo. Desembarcamos em uma época em que o basquete masculino nacional honrava as gerações inesquecíveis de Amaruy, Wlamir, Algodão, Ubiratan e, posteriormente, Oscar, Marcel, Carioquinha, Adílson e tantos outros craques.

Cresci aprendendo a gostar de basquete, embora tenha jogado vôlei por um bom tempo. Não tem nada igual a um jogo de basquete disputado ponto a ponto. A adrenalina vai ao limite, a conclusão é aberta até os centésimos de segundo. São espetáculos inesquecíveis.

Durante um bom tempo o Brasil desrespeitou a tradição de três bronzes olímpicos, dois títulos mundiais e uma série de temporadas entre as quatro nações principais do basquete masculino. Ainda somos, com os EUA, os únicos países a terem disputado todos os Mundiais.

Repito que posso ser traído pelo entusiasmo, mas ontem tive a certeza, eu e muita gente, de que voltamos a ter um bom time de basquete. Como aqueles que eram capazes de lotar inúmeras vezes o Ginásio do Ibirapuera e eram respeitados mundo afora.

O basquete se perdeu numa centrífuga de vaidades e egos. Rachou, bateu no fundo do poço mas parece estar em inevitável caminho de volta.

Para quem gosta de esporte será fantástico termos o vôlei fantástico e o basquete de volta ao seu lugar.

Olho nesse Mundial da Turquia. Oxalá tenhamos outras boas notícias até o final. Por ontem dá até para sonhar com a final.

5 comentários:

Felipe disse...

Concordo com você Nori. Ontem deu gosto assistir ao jogo. No final da partida, eu pulava no sofá de tanta adrenalina. Acredito que o Brasil vá longe nesse mundial!

Anônimo disse...

Gde Maurício, lembro-me da época em que o Sírio tinha o melhor time de basquete e as melhores "baladas". Voce tem razão o basquete brasileiro esta tentando se reerguer, a seleção atual é um bom time, ganhou da França na preparação e a França bateu a Espanha já no mundial, que é uma potencia no basquete atual. Estamos ainda sem o Nene que esta machucado.
Basquete é um jogo eletrizante, "esporte de contato", não é violento, mas voce precisa , correr mais rápido, saltar mais alto, ser mais ágil, ser mais inteligente, ter mais força, penetrar com as duas pernas, arremessar com as duas mãos, fazer malabarismos, isso é o basquete, não existe esporte igual, e o Brasil esta de volta.

Ah! Los hermanos Argentinos tem um timão, são eles de novo na fita!

Abs
Mozart

Roberto Kamarad disse...

cara, senti a mesma emoção que você... e olha que, infelizmente, não pude viver na melhor fase do esporte da bola laranja no Brasil.

ótimo blog!

abs
@kamaradsss

Silvio Ferreira disse...

Jogo espetacular! Assim como você, quero acreditar que a jornada de ontem não tenha sido apenas um flash, mas a evolução de um trabalho sério feito na nossa seleção.

Leonardo Valejo disse...

Muito legal você ter lembrado isso Nori. Nosso basquete que vem de anos conturbados, prova que podemos melhorar. Tomara que belisquemos uma semifinal.

Grande Abraço
Leonardo Valejo