sexta-feira, agosto 20, 2010

Efeito Felipão

O resultado heróico conseguido pelo Palmeiras ante o Vitória é reflexo de uma das muitas qualidades de Felipão. Não compartilho da tese de alguns que consideram o técnico apenas um grande motivador. Vejo o gaúcho como um bom montador de times e um treinador sempre atualizado com o futebol que se pratica no mundo.

Mas que Felipão sabe como incendiar (no bom sentido) um time e uma torcida, isso sabe. Seu jeitão é capaz de convencer as pessoas de que os resultados são possíveis. O que não é pouco para um técnico de futebol.

O palmeirense andava rabugento, corneteiro, de mal com o time. Felipão propôs uma trégua, pediu apoio e prometeu suor. O Pacaembu viu uma festa nas arquibancadas como há um bom tempo não via. O torcedor cantou 90 minutos, esteve ao lado do time, foi parceiro, não foi crítico.

Em campo, mesmo sem seus principais jogadores, o Palmeiras controlou o nervosismo, contou com a colaboração de um Vitória acovardado, e partiu para uma pressão incrível. Foram três gols, bola na trave, chances perdida e uma partida impecável de Marcos Assunção.

Com a saída de Pierre, que luta muito mais contribui pouco para a fluência de jogo, Felipão deu mais dinâmica ao time, com Assunção e Tinga saindo, e Edinho protegendo a zaga.

O Vitória deixou a ousadia em Salvador e viveu apenas de Ramón e suas bolas paradas. Pouco para o vice-campeão da Copa do Brasil. Chamou o Palmeiras para o sufoco e se deu mal.

O fico de Neymar

Taí uma notícia que é boa para quem curte uma bola bem jogada. Neymar fica no Santos. Para os padrões brasileiros, já estava rico e ficará ainda mais. Pode ficar riquíssimo quando for para a Europa daqui a alguns anos.

O melhor disso tudo é que o futebol começa a encontrar maneiras de segurar bons jogadores, de repatriar outros. A economia mais forte, o sucesso de parcerias e a melhora na estrutura de muitos dos grandes times faz com que atletas como Fred resolvam ficar no País, que talentos como Neymar aceitem permancer por algum tempo, e que jogadores de ótimo nível como Deco e Deivid retornem.

Enfim, basta ser mais organizado, menos amador, que o negócio se mostra lucrativo. O Brasileirão, pelo menos para mim, já é o melhor campeonato nacional de futebol do mundo e tem tudo para ficar ainda melhor.

5 comentários:

Ulysses disse...

Noriega, concordo plenamente quanto a qualidade do campeanato e a melhora nas estratégias dos clubes brasileiros, quanto ao meu Santos, sou suspeito para falar, ta de parabéns! Mas os valores de salários e multas não condizem com a realidade mundial, quanto mais a nacional. Neymar ganhando o que ganha sem estrutura tem que tomar muito cuidado quando parar de jogar, dinheiro um dia acaba independente da quantidade. Estrutura e cultura é tudo, e mai. da maioria desses jogadores infelizmente não tem!!

Wan disse...

Estava na Band quando o conheci, ao entrevistá-lo pela primeira vez, em 1997. Na época, não havia o rigor das salas de Imprensa e os colegas podiam se aproximar dos entrevistados na beira do gramado, na Academia. Antes de a gente ligar os microfones, parecíamos abelhas em balcão de padaria, com a diferença que aquele Felipão de doce não tinha nada. Nunca fez média com ninguém, expunha suas convicções de uma forma quase inédita. Quando muitos começavam a opinar - o que é comum numa rodinha de palpiteiros, nós, os jornalistas -, ele soltava um 'psitpsit' e todo mundo parava de falar para escutar o que ele diria a seguir. No jogo seguinte, o que ele havia explicado pra gente estava em campo, 90 minutos, sem mistérios. Futebol não tem segredo para profissionais como ele. Antes dele, por sinal, só conheci (e tive o privilégio de entrevistar) um treinador tão sério: Telê Santana. "Comparando o Telê com o Felipão?" Não, simplesmente porque não acredito no verbo comparar. Teria de entrar também no mérito dos títulos conquistados, e isso envolve circunstâncias, o que é impossível mensurar. Falo de fatos: Telê foi sério e talentoso; Scolari é sério e talentoso. Muricy também é. Os melhores, de longe, nas últimas três décadas.
Beijão, Nori
Wania Westphal

Sandra disse...

Nori, como boa palmeirense, fui ao Pacaembu, incentivar meu time. Confesso que não estava acreditando muito, até pq, o maior pé frio do bairro,foi com a gente. Lembro, que qdo a bola bateu na trave, antes do 1º gol, eu pedi ajuda ao Papai do Céu. Êle fez foi um milagre, rsrsrs. O pé frio, não aguentou uma dor de dente e resolveu ir embora. Aí, com vc já sabe, foi só alegria.
Qto ao Neymar, achei muito bom, pq os jogadores brasileiros, muitas vzs "desaparecem", qdo saem muito cedo do país. bjs.

Leonardo "PATCH" Garcia disse...

Noriega,
O trabalho do Felipão agora parece estar surtindo efeito, pois com o elenco que tinha em mãos era dificil fazer eles jogarem bem logo de início. Sobre Neymar, vamos esperar o futuro para saber se ele acertou em ficar, a principio acho que sim.

E Noriega, não deixe de visitar os blogs: Global Esportes (Meu blog: http://global-esportes.blogspot.com) e o novo BLOG DAS TORCIDAS (http://blog-das-torcidas.blogspot.com)

Um abraço!

Leonardo "PATCH" Garcia

Leonardo "PATCH" Garcia disse...

Noriega,
O trabalho do Felipão agora parece estar surtindo efeito, pois com o elenco que tinha em mãos era dificil fazer eles jogarem bem logo de início. Sobre Neymar, vamos esperar o futuro para saber se ele acertou em ficar, a principio acho que sim.

E Noriega, não deixe de visitar os blogs: Global Esportes (Meu blog: http://global-esportes.blogspot.com) e o novo BLOG DAS TORCIDAS (http://blog-das-torcidas.blogspot.com)

Um abraço!

Leonardo "PATCH" Garcia