sexta-feira, julho 02, 2010

2006, versão 2010

Deu tudo no mesmo


O Brasil jogou um grande primeiro tempo e um segundo tempo ridículo. Perdeu para um bom time, com grandes jogadores. Só não admite isso quem é muito pacheco ou não entende nada de futebol. Dizer que o time da Holanda não tinha jogado bem e era fraco só pode ser brincadeira de mau gosto.

A verdade, infelizmente, é que quando o Brasil precisou do chamado plano B, ele não existia. Enquanto dá tudo certo, entram em campo os profetas do futebol de resultado, do que importa é ganhar e outras bravatas.

O Brasil tomou o gol de empate e se perdeu, psicologicamente naufragou. Aí o treinador olhou pro banco e viu quem para mudar o jogo? Alguém do seu exército de volantes que foram à Copa como gratidão pela Copa América? Quem era o jogador de meio-campo que poderia segurar a bola e acalmar o time? Júlio Batista?

Quantas vezes o Brasil inteiro alertou para o desequilíbrio emocional de Felipe Melo? Agora jogar tudo em cima dele é sacanagem. Quem o escala, vê o que está acontecendo em campo e não o tira do jogo, também deve ser responsabilizado.

Nunca o Brasil foi a uma Copa do Mundo com um meio-campo tão pouco criativo.

Elano fez muita falta? Claro que fez. Mas porque não havia no banco ninguém capaz de suprir essa ausência?

Lembremos da seleção de2006, tão atacada e criticada. Aquele grupo ganhou a Copa América, ganhou a Copa das Confederações e com toda a bagunça que foi na Alemanha, parou nas quartas-de-final. O aquartelado e raivoso time de Dunga fez exatamente a mesma campanha. Ganhou Copa América, Confederações e parou nas quartas-de-final.

É mais fácil procurar inimigos na mídia do que encontrar soluções técnicas e táticas. O torcedor, apaixonado e fiel, muitas vezes se deixa enganar por esse discurso pseudo-patriótico e presta menos atenção no que acontece em campo.

Claro que esse time teve méritos. Mas tinha seus defeitos. Quando se perde em lance de bola parada, todo mundo reclama, mas esquece quantas vezes o Brasil ganhou em lances de bola parada. Quando ganha é trabalho. Quando perde é azar?

Fica claro para mim que a lógica do futebol de resultados só se sustenta quando há, obviamente, o resultado. Continuo achando que o melhor é ganhar jogando bem, com consistência e talento. Ganhar na conta do chá, acreditando em apenas um método é muito arriscado.

Quando o jogo se ofereceu para o Brasil, o Brasil não soube ganhar. Quando se ofereceu para a Holanda, a Holanda ganhou. Um time que está invicto há dois anos merece mais respeito.

O desequilíbrio psicológico do Brasil no segundo tempo evidenciou que não havia assim tanta mentalidade vencedora.

E por fim: se falamos que Rooney e Cristiano Ronaldo foram decepcções, que dizer de Kaká em sua segunda Copa como titular? Eu esperava muito mais dele, assim como de Robinho.

Que venha 2014. Quem sabe com menos ódio no coração, menos vingança na alma e mais futebol dentro de campo.

28 comentários:

Edu Teixeira disse...

Sabe quem disse que o time da Holanda não tava bem e era um time fraco? Seu colega André Rizek.

Leandro disse...

Nori,

Eu ate tento entender a saida do L. Fabiano pra entrar o Nilmar mas nao consigo. Muitos vao dizer que ele tentava mais movimentacao, mas pq nao tirar o D. Alves que nao vinha bem ou ate o G. Silva para ficar mais ofensivo? E pq ele nao fez a 3a substituicao e colocou o J. Batista? Ou ate o Grafite? Estava esperando a prorrogacao?

Pelo menos uma coisa positiva vai vir disso tudo, acabou a era Dunga e provavelmente F. Melo tb nao veremos mais.

Nori disse...

Edu Teixeira, no Seleção SporTV de ontem eu disse que discordava do Rizek, alto e claro, ao vivo para emitir minha opinião.
Abs, amigo.

Mauricio Branzani disse...

Nori, acredito que o desequilibrio psicologico do time é reflexo de seu treinador, que é uma pessoa que se vê a todo momento tendo que responder a alguem, provar que ele sempre está certo e que, quando alguem discorda dele, deve ser tratado como um inimigo. Pra mim, foi a mão do treinador holandes que mudou o jogo no segundo tempo, que rearmou a Holanda e soube tirar proveito da fragilidade do nosso lado esquerdo. Fosse Dunga mais experiente (ou até mais capacitado ao cargo) teria enxergado o jogo e modificado o esquema tático para descobrir o antídoto. Ou seja, méritos da Holanda, simples assim.
Agora, resta planejar 2014 e colocar alguem mais tarimbado para tocar o novo projeto.
Abraços Nori!

abner disse...

Realmente nori, vc discordou do rizek, me lembro muito bem.
Enfim, da pra resumir seu texto todo em uma frase : faltou craque no time.
na minha opiniao, kaka e robinho nao sao craques, ronaldinho poderia ser esse, e ganso poderia ser um garoto que entrasse no segundo tempo e mudasse o jogo. quanto a kleberson na copa.. só lamento.

Philipe Pimentel disse...

Pelo menos essa derrota serviu para nos livrarmos do Dunga.
Acredito que todo mundo o apoiava pelo fato de ter ganho tudo e ter tido êxito nas eliminatórias.
Como você falou, a seleção de 2002 era festeira, mas mostrou um grande futebol e isso não era problema dentro de campo. Tínhamos um comandante que tinha pulso, diferente de 2006, que tinha um cone no banco de reservas e que pegou um time montado e não soube pontuar e "parar" a farra.
Com Dunga, faltou "explorar" as nossas raízes. Poderíamos juntar nossa forte defesa a um ataque mais criativo. Enfim, foi-se mais uma Copa que estava em nossas mãos.
E Adeus Dunga, seu estágio acabou!

Anônimo disse...

Como não tinha quem tirar?
Para se expor do modo como se expôs, tira um dos defensores e coloca o Nilmar, mas deixa o Luís Fabiano.


Não é culpa do Felipe Mello ser bipolar!

Na copa de 74 quando o Brasil perdeu, Zagallo olhava para o banco e via Ademir da Guia, Paulo Cesar Carpegiane, Leivinha, esse ano o Dunga via Josué, Kleberson, até o razoável Grafite.

O Dunga se enforcou na própria corda, na minha opinião, ele perdeu essa Copa sozinho, ele que fique com as batatas...

Lógico sem perseguição

Mozart

Ricardo Costa Andrade disse...

A diferença Noriega, é que em 2006 não tínhamos brasileiros jogando. Tínhamos jogadores que nasceram no Brasil de férias num campeonato qualquer. A diferença é que hoje, o Brasil perdeu. E naquela copa o Brasil não perdeu...aqueles jogadores jogar, jogaram... Foi ridículo. E tem muita diferença entre ambas as seleções. O resgate do amor à camisa e a raça em campo fizeram a diferença. 2006 foi como 1990...e 2010 foi como 1998. triste.

Prestes disse...

Perder como em 2010 é infinitamente melhor que perder como em 2006.

Isnardo disse...

Excelente texto. Sintetizou muito bem tudo o que aconteceu.

arilo disse...

Prezado Nori,

Menos ódio tabmém vale para a cobertura da imprensa brasileira.É claro que eu não concordo com essa tal "imparcialidade" do jornalista. É mais claro ainda que no jornalismo esportivo então, Brasil, Copa do Mundo... isso n~çao haveria de existir. Mas será que não é preciso um pouco mais de frieza para os nossos especailistas? Um pouco mais de calma, menos paixão ao fazer análises. Eu falo, principalmente, com relação aos comentaristas que estão no jogo ao vivo. As vezes era notório que uma opinião mais apaixonada, voltada por uma "raiva" momentanea, talvez uma richa mais pessoal, fazia com que os comentaristas emitissem opiniões desastrosas, ansiosos para culpar o técnico, de maneira bizarra. Muitas preciosidades eu ouvi nessa copa, como nunca havia visto ainda. Me parece que os mesmo erros, as mesmas raivas, os mesmos rancores que enchiam o coração do dunga de fúria, contaminou alguns jornalistas. e isso é péssimo para o jornalismo esportivo (não me refiro a todos, claro, mas, especialmente, os das tvs abertas, onde acompanhei esta copa. Que o Dunga ficasse bravo, e isso atrapalhasse a postura dele e do seu time, é algo lamentável, mas passível. AGORA jornalistas se deixarem levar por esse tipo de sentimento, influenciando as suas opiniões, sempre prontas para apontar os canhões (algumas vezes de maneira correta, mas muitas de forma desastrosa), para seus desafetos, é o que ninguém que gosta de esporte e acompanha o importante papel dos jornalistas precisa. Muitas lições para se tirar de tudo! para o Brasil, e para os que trabalham cobrindo a seleção. Esta é a Hora e a Vez de repensarmos muitos dos nossos conceitos...

Abs , Arilo Assunção

rodrigo nunes disse...

todos vão eleger seus culpados..o que é besteira....felipe melo,os jogadores que foram levdos ,,a seleção fechada....mas hoje demos o jogo de bandeija....perdemos no que tinhamos de melhor...no goleiro e na defesa...erro bisonho do julio césar ao tentar socar a bola e um posicionamento indecente no segundo gol...o felipe melo só deu o golpe de misericódia em qualquer chance de reação.
o time se destemperou...a holanda achou o gol e cresceu...só....não foi uma grande partida da holanda.
sem crucificar ninguém...perder faz parte...esperava mais do robinho,o kaká era sabido que não ficaria em forma...e não temos ninguém que decidisse...o ganso ??
talvez...teríamos uma variação...
e não vejo grande furturo pra 20014....sempre precisamos de um grande meia e um grande atacante....será que o ganso vai fazer juz???

Sandra disse...

No 1º tempo, fique toda eufórica, achando que a Seleção iria arrebentar, mesmo correndo o risco, de ter que pagar jantar para um monte de gente, pois ontem falei que o Brasil não passava pela Holanda.
Bom, ontem, no Seleção, me deu até um alívio, qdo vc discordou do Rizek, porque para os meus amigos, eu estava sendo pessimista, e não entendia nada de futebol.
Fazer o que, né?

Magux disse...

Noriega, vejo clareza nos teus comentários.
Mas precisamos mesmo acusa culpados?
Muitos tiveram sua parcela de culpa, alguns menos, outros bem mais...
Entre todos eu destaco 2:
Dunga: ele é o técnico, aliás novato como técnico, faltou capacidade... técnica!
Felipe Melo: nervoso a copa inteira, tem qualidades é verdade, mas defeitos que o balanço custo benefício, a meu ver não compensavam.
Só pra recapitular:
-No primeiro gol, Felipe Melo e Júlio César se chocaram, culpa d´ambos.
-No segundo gol, observe quem estava marcando o holandês que cabeceu na segunda trave, se não me engano é Felipe Melo.
-Expulsão do Felipe foi uma expulsão de MARGINAL, vamos combinar.
Dunga nem deveria ter convocado ele. Existem outros jogadores mais equilibrados e com uma relação custo benefício melhor para essa posição.
Mas bola pra frente, será que Bernardinho não assume a bronca, já que ele não perde uma. :D

Anônimo disse...

Não adiante achar culpados, nem ficar xingando um ou outro. Acho bonito quando um time perde e mesmo assim sua torcida aplaude, infelizmente brasileiro não é assim.

Bruno disse...

Excelente texto, Noriega. Que venha 2014!

marokinha disse...

Nori, também não sou adepta do futebol resultado... Adorei a análise do Casagrande hoje - sim, eu assisti na GLOBO, como sempre faço quando não é a minha dupla preferida na transmissão - um time precisa jogar com prazer, se divertir jogando futebol, é pra isso que serve o futebol. E não jogar com ódio, como se tivesse travando uma batalha, esquecer esse negócio de guerreiros. São todos jogadores.
Já não estava torcendo tanto para o Brasil, pois não gostaria que o futebol resultado ganhasse e deixasse um legado. Seria horrível. O resultado é importante sim. Mas não é o mais importante.
Agora vou torcer para a Espanha, que na minha opinião, é quem mais se diverte com a Jabulani, quem mais merece ela. E vc? Vai torcer por alguma Seleção?
Bjos

Anônimo disse...

OI,Noriega.Sinceramente, eu não esperava muita coisa do superestimado Robinho.bom jogador!!! mas longe, muito longe de um craque.Eu cansei do KAKA ,2 copas fracas é demais !!! Rodrigo.

padaquipadali disse...

Gosto de tua sensatez! Voce é claro em seus comentários, tem visão ampla dos assuntos e nos passam ótima impessoalidade e imparcialidade.

Poucos comentaristas, críticos, jornalistas e conhecedores do futebol, são capazes disso.

Nem preciso acrescentar nada, pois teus comentários traduzem os meus.

Espero e torço que não penda para o lado de "certos bairristas", que existem em todos os lugares.

Parabéns pela sua sutileza e perspicácia ao comentar sobre a seleção e o campeonato brasileiro!

- Pra mim a Seleção falhou ao deixar para trás: Ronaldinho, Ganso, Neymar, Diego Souza e Diego Tardelli.

Grande abraço!

abner disse...

discordo do ricardo costa andrade quando ele diz que o brasil perdeu, pois na minha opiniao, a seleçao de dunga perdeu, e nao a seleçao brasileira.

Egmont Chagas (Franca-SP) disse...

Fala Nori!!
Parafraseando o velho Lobo..."Aí sim fomos surpreendidos novamente"!!
Como em 74,guardada as enormes proporções, esquecemos que tínhamos uma equipe do outro lado,que por um âmbito está longe de ser brilhante,mas está invicta há aproximadamente 2 anos.....
Demos mole!!! Dava pra ter matado o jogo no primeiro tempo...que saudade do Romário!!!!
Agora Nori,a Inês é morta!!!
Bola pra frente e amanhã estarei acompanhando a trasmissão de Argentina e Alemanha com vc e o Milton "que beleza",que aliás vcs estão dando uma aula de transmissão e com comentários palpáveis e com pitadas de humor!!!!
Valeu Nori!!! Gde abraço e continuem com esse trabalho que vcs estão desempenhando..
Egmont Chagas(Franca-SP)
Ps: Sem mágoas com relacão ao email do aeroporto né???

Contos e canções disse...

Eu por algumas mtas vezes me questionei se essa seleção era mesmo o BRASIL...

O BRASIL que estou acostumado a ver, ou o que cresci vendo, é um Brasil de toque de bola, de dribles, de jogadas mirabolantes, de gols fascinantes e de comprometimento...

Achei e acho o excesso de patriotismo do comandante da nave que afundou em 2010 tão demodê do que calça boca de sino...

Eu, como brasileiro, apaixonado por futebol, fui confrontado a torcer contra... Contra esse time de brucutus, sem criatividade e sem brilho....

Certamente, o Nori, ao ler minha postagem concordará que o Time é simplesmente REFLEXO de quem o treina e esse foi nosso time: raivoso, temperamental, sem técnica e sem criatividade...

Infelizmente, para nós, brasileiros, que somos um povo tão sofrido, nos resta esperar a proxima copa, onde nós brasileiros aí sim, nos vestiremos de verde e amarelo para sonharmos com dias um pouco melhores...

Sinto muito pelo desabafo, mas nós brasileiros, merecemos um pouco mais de respeito de nossos atletas e de quem os dirigem, afinal, não somos cagões como eles mesmos afirmam que nos sejamos...

E que 2014 sejamos campeões para camuflar um pouco da dor que vive o nosso povo!

Mais uma vez, desculpa pelo desabafo!

Luciano disse...

Norasca, você matou a pau.

Sua análise é precisa e preciosa.

Tenho apenas uma ressalva: não consigo entender como um cara inteligente e sensato como você esperava algo de Kaká.

Para entender Kaká, peça aos amigos do Sportv para rever a entrevista de Kaká pós-jogo Brasil 1 x 0 Croácia da Copa de 2006.

Veja o que Kaká diz naquela entrevista. Ali está Kaká, em todas as suas cores.

Vale assistir.

Felizmente, é hora de esquecer Kakó e Cunga.

Que venha o futuro!

E que em agosto tenhamos Ganso, Ronaldinho e Neymar, com o técnico Dorival Júnior (um raro e precioso entusiasta do futebol que busca o ataque) no comando da seleção.

Até lá seguirei lendo seu blog, do qual me tornei fiel leitor.

Abraço,

Luciano
lucianobrazil2010@gmail.com

Matheus Coelho disse...

Parabens Noriega, acho suas analises sempre esclarecedoras e sintetizam muito bem este momento vivido pela seleção ''brasileira'', concordo com absolutamente tudo que voce escreveu em sua analise, principalmente na parte em que voce exalta a seleção da Holanda, porque alguns brasileiro(a maioria) acha que pelo fato de termos a história mais vitoriosa da historia do futebol, seremos imbativeis e que por isso TODAS as outras seleçoes são inferiores a nossa.

enfim, PARABENS!

Claudio Leoncy disse...

Caro Noriega, concordo com vc que o time da Holanda tem qualidades. Mas penso ser um time previsivel e que o foi tanto no primeiro quanto no segundo tempo. O Brasil pelo contrário, voltou irreconhecivel no segundo tempo e se perdeu quando tomou um gol e não teve nervos para suportar o empate em um jogo de mata-mata. E quando precisou de mudança, não havia peças para fazê-lo.

Bruno Almeida disse...

Dunga saiu vencedor, porque ele mostrou que pode peitar a imprensa sem ter que encarar a forca ou a guilhotina!
Abriu um precedente muito valioso para o próximo que virá. Que seja o Muricy! Forte, duro e cheio de convicções!
A Holanda foi melhor e o Brasil não perdeu por causa do Dunga, ninguém mudaria aquele placar depois de tudo que a imprensa "armou" para a seleção! Em outros tempos falava-se em apatia da equipe, agora diz-se que todos estão "estressados" pela situação que O DUNGA criou!
Baboseira!
Você falou do técnico que não tira o jogador, mas e a diretoria da CBF que não trocou o técnico diante de tantos "pseudo-absurdos" que ele fez?
Nori, eu tenho uma pergunta que nenhum dos seus colegas teve CORAGEM de responder: Por que esse assunto(Dunga x imprensa) não repercutiu tanto fora dos veículos de comunicação da Globo?

Fred Lopes disse...

Nori,

Aprendo cada vez mais futebol com dois personagens : vc e o Lédio Carmona. O Rizek e o Renato Mauricio Prado estão lá só para polemizar e o PC fica sempre em cima do muro. Se vc pegar as edições do Seleção Sportv desde o início, o Rizek sempre muda de opinião após o jogo.

Repare que no jogo contra a Holanda foi isso mesmo : Holanda time fraco, de 'muita mídia', o Brasil tinha mais time e ia passar. Depois do jogo, "o Brasil podia mesmo perder para um time como a Holanda". Só vc e o Lédio discordaram, eu lembro.

Enfim, graças a Deus a era Dunga acabou, e que venha a renovação.

Mais uma coisa, assistir aos jogos da Copa com narração do Milton Leite e seus comentários foi show de bola. Coitado de quem só ouve Galvão na TV aberta ...

Mas como diria nosso amigo Milton Leite : QUE BELEEEEEEZA !!!

abração,

Fred

Mário disse...

Nori, você disse ontem que seleção não é lugar para gente inexperiente. Eu concordo em gênero, número, grau e latitude, mas parece que você estava adivinhando que era o Leonardo mesmo!
O sofrimento ainda não acabou. Temos aí mais uma seleção pragmática e de resultados pera encarar nos próximos anos!