terça-feira, novembro 07, 2006

CARLOS ALBERTO FALOU DEMAIS

Poucas vezes alguém perdeu uma grande oportunidade de ficar calado quanto o jogador (do Corinthians ou da MSI?) Carlos Alberto. Ao criticar abertamente o treinador corintiano Emerson Leão e chamá-lo de arrogante e vaidoso, Carlos Alberto provou, no mínimo, que está mal assessorado.
Não dá nem pra comparar as histórias de Leão e Carlos Alberto. Leão é um dos maiores goleiros da história do Brasil, campeão mundial, jogou quatro Copas do Mundo, tem uma defesa escolhida entre as maiores de todos os tempos pela Fifa e é um técnico de futebol vencedor. Não me interessa se é arrogante, prepotente etc. O que me interessa é seu trabalho como técnico, que é bom. Ele tirou o Corinthians da zona de rebaixamento. Recuperou o prestígio do Santos, tirou o Plameiras do sufoco e o levou à Libertadores em 2005. Carlos Alberto é um jovem talentoso, um bom jogador de futebol, produto do novo futebol, que cria garotos mimados e milionários. Tão vaidoso quanto Leão.
Carlos Alberto não fez falta alguma ao Corinthians desde que foi afastado. Não se compara sua importância à de Tevez, por exemplo. Ou à de Nilmar. Mas Carlos Alberto escolheu o exato momento em que Leão tira o Corinthians do fundo da tabela e dá ao clube um final de ano digno para manifestar sua revolta, que me parece treinada e programada.
Isso só acontece porque o Corinthians deixou que acontecesse. Para livrar a cara de alguns, terceirizou seu futebol, abriu mão de seu patrimônio, e agora tenta recuperá-lo, embora esteja preso a cláusulas contratuais draconianas.
Cada vez mais dou razão àqueles que dizem que o Corinthians é uma torcida que tem um time. De profissional no clube, só os jogadores (tirando agora o Carlos Alberto), a comissão técnica, Leão e os torcedores. O resto.....

E O PALMEIRAS??!!!

Não dá para apoiar a invasão da sede social do clube por parte da torcida do Palmeiras. Mas dá pra apoiar a revolta, quanto pacífica, dos palmeirenses. O Palmeiras era, ao final de 2004, o time brasileiro com o maior patrimônio líquido. Hoje está endividado e ameaçado de rebaixamento. Não conquista um grande título desde 1999 e seus dirigentes exalam amadorismo por todos os poros. Mandou embora Tite quando o treinador conseguia recuperar o time, seu diretor de futebol é verborrágico e, em suma, está perdidinho.
Entre 1976 e 2006, um período de 30 anos, o Palmeiras, com administração própria, foi campeão apenas duas vezes: paulista de 1976 e Copa dos Campeões de 2000. Entre 92 e 2000, com a co-gestão Palmeiras-Parmalat, ganhou 3 Paulistas, 2 Brasileiros, 1 Copa do Brasil, 1 Mercosul e 1 Libertadores. Precisa ser mais claro? A grande humildade que falta aos dirigentes palmeirenses é admitir que eles não têm competência para administrar esse gigante e devem contratar alguém com capacidade para tal empresa.

9 comentários:

EAUG disse...

é verdade isso do palmeiras. A parmalat só mostrou o quanto os dirigentes do próprio palmeiras não sabiam administrar e hoje podemos ver que eles não aprenderam nada com a parmalat. acho que quando eu acabar meu curso de administraçao vou ir pra sao paulo tentar administrar o palmeiras. hahaha. era isso. fui

Edu Cesar disse...

Assino embaixo o comentário sobre o Palmeiras, Nori. Quanto ao Carlos Alberto, é só porque não dá mais pra fazer transferências neste momento, porque se faz urgente o repasse dele a outro clube, se o Corinthians não quiser arrumar mais sarna para se coçar - ainda mais com o Leão, que é pólvora que explode quando chega perto de dinamite.

Rubão disse...

E dia 20 Mustafá vai dividir o social e o futebol no estatuto, rachando ainda mais o clube... e ninguém faz nada, ninguém fala nada...

Rubão disse...

opa, opa, a Copa dos Campeões ainda era Parmalatm inclusive na camisa. oficialmente, o vínculo se desfez em 31 de dez de 2000. tanto que se o Palmeiras vencesse a Mercosul contra o Vasco, o clube teria desempenho igual a 1993...

Rubão disse...

e essa foto comprova como era Parmalat ainda... corrige o texto, Nori!

http://herzog.gazetaesportiva.net/papel/futebol/nacionais/sao_paulo/imagens/palmeirascamp800.jpg

ou http://herzog.gazetaesportiva.net/papel/futebol/nacionais/sao_paulo/imagens/palmeirascamp1024.jpg
ou
http://herzog.gazetaesportiva.net/papel/futebol/nacionais/sao_paulo/imagens/palmeirascamp640.jpg

dependendo do tamanho e resolução do seu monitor

Nori disse...

Rubão, não era mais administração Parmalat, era apenas patrocínio de camisa. A co-gestão já havia se encerrado após a final da Libertadores de 2000.
Abs

Camilo disse...

Nori, o Flávio Prado escreveu uma coluna certa vez chamando os jogadores "mimados e milionários", os chinelinhos e afins, de "jogadores de condomínio". Disse que eles não têm noção do que é jogar por um grande clube e deveriam "tomar um banho de várzea", algo assim. Lembrei disso ao ler o que vc escreveu sobre o Carlos Alberto. Outra coisa: não quero nem imaginar o que será do Corinthians depois que o MSI for embora.

Thiago disse...

Carlos Alberto está totalmente errado, o que não muda o erro do Leão no dia da briga.

O que o Leão fez não foi papel de treinador e líder de uma equipe, e outra, falar agora que o CA não fez falta é fácil o Corinthians já ganhou os jogos. Agora, se ainda tivesse mal na tabela a conversa seria outra... como disse o Muricy desse jeito comentarista nunca perde jogo...

Nori disse...

Thiago, nada anula o erro do Leão em não saber contornar uma crise, mas e o Carlos Alberto? Escolheu bem a hora para falar? Procurou se desculpar? Também não errou? E ele jamais foi um jogador fundamental para o Corinthians, como Tevez e Nilmar.