sábado, novembro 17, 2007


ROBINHO, KAKÁ E RONALDINHO
OU MESSI, RIQUELME E TEVEZ?

A pergunta aí de cima certamente povoaria os sonhos de qualquer técnico ou torcedor de futebol. Que trio de craques você escolheria para seu time se pudesse?
Acho que eu chutaria o balde e ficaria com os seis. Os outros cinco que completariam o time que me desculpem, mas com esse sexteto tem que existir um esquema tático que funcione. Talvez eu durasse pouco como técnico (jamais tive ou terei essa pretensão e nem me considero preparado para tal). Mas eu ia me divertir à beça.
Agora falando sério, os dois trios são fantásticos. Comentei, ao lado do amigo Eduardo Moreno, Argentina e Bolívia pelo SporTV. Riquelme e Messi são espetaculares. E Tevez joga muito, embora não tenha brilhado. Messi caminha a passos largos e objetivos e uma canhota mágica para ser um dos melhores do mundo. Atualmente está jogando amis que Ronaldinho Gaúcho e só perde, na minha modesta opinião, para Kaká. A bola gruda naquela canhota e ninguém tira. Impressionante!
Riquelme é um estilista. Parece saído de um filme dos anos 50 ou 60. Na bola parada é fulminante. Craque em qualquer análise que se faça. É o mais técnico dos seis. Tevez é um lutador, um atacante daqueles que não deixa a defesa adversária respirar. E quando não joga bem compensa com uma disposição fora do comum.
Do lado de cá da fronteira temos Kaká, a definição do craque moderno. Forte, tático, objetivo e técnico. Dos seis envolvidos, ele e Riquelme, parecem, para mim, os que melhor compreendem o sentido tático de um jogo de futebol, fazem a leitura perfeita do que acontece dentro de campo. Ronaldinho Gaúcho é um artista que anda oscilando, mas um cara que, certamente, é titular de qulquer time que se forme no planeta bola, não pode ser desprezado nunca. Entre os seis, é o mais habilidoso e, também, o que apronta as mais belas surpresas.
Robinho está no limiar da explosão favorável. Tenho certeza que é o que mais se diverte jogando futebol. Quando tiver a confiança que hoje esbanja o Kaká, será um dos maiores do mundo.
Agora, pra ficar bonito mesmo eu escalaria um sétimo craque nessa lista. Ronaldo Fenômeno, o definidor por excelência, mais artilheiro que os outros seis juntos. Seria o maior desafio de todos os tempos para um treinador de futebol. E, repito, pode ser que não funcionasse, mas que seria divertido, isso seria.

7 comentários:

C.Eduardo disse...

Só um ainda não é craque, o Robinho. Oscila mais que todos os que vc nomeou. Riquelme, Ronaldinho e Ronaldo Fenomeno, eu adoraria ver. Acho perfeita a combinação. Ronaldinho passando, seu passe é perfeito. Riquelme deslocando como se fosse invisível, Ronaldo finalizando. é Perfeito.
Só em sonhos, Noriega, só em sonhos.

PS. Torço demais pro fenômeno voltar e mostrar a esses caras como se faz gol, e que futebol é simples, muito simples.

Humberto disse...

Noriega, desculpe-me pelo comentário fora de contexto do seu post.
Sou admirador do Genesis, assim como você. Como vi o post anterior sobre o DVD da turnê 2007, que aguardado ansioso pelo lançamento no Brasil, resolvi lhe escrever.
Se puder, veja no link abaixo uma apresentação de 1976, da música I Know What I Like (In Your Wardrobe).
Nasci em 1977, ano em que eles fizeram um show no Rio de Janeiro. Você estava lá? Esse ano quase consegui assistir ao show em Roma, em 14 de julho, mas compromissos profissionais me impediram de estar lá.

http://www.youtube.com/watch?v=eYwDWPv6_rQ

Abraço,
Humberto

Marcelo Julian disse...

Olha Nori, o pessoal do RS se ler esse seu comentário vai começar a ter convulsões e arrepios.Hoje na gaúcha ja meteram o pau no Dunga pela seleção faceira.E de fato o time nao tem equilibrio.Tendo tres jogadores que nao marcam e mais um atacante isolado na frente ,e que tambem nao tem comprometimento com a marcação.Futebol hoje exige compactação, equilibrio,ocupação de espaços como o São Paulo por exemplo.O Dunga nao deu um norte coletivo ao Brasil, e deixa um meio campo todo vazio para o adversario jogar.E o que mais em espanta é um gaúcho fazer isso, ja que no sul os times, e ideias de futebol partem do pressuposto de nao ceder espaços para o adversario jogar e tal.Muito estranho.Sera que ele nao estaria sofrendo pressoes para escalar os " melhores" em detrimento de um esquema tático equilibrado?Felipao em 2002 deixou os tres na frente decidirem Ronaldos e Rivaldo, mas atras existia 3 zagueiros e uma compcatação de meio campo muito boa com o G.Silva e Kleberson.Parreira em 94 tambem.Hoje só se emplilha atacantes e nao se produz nada.Porque com acumulo de fuñções uma engrenagem nunca funcionara bem.Aliás ela só funciona bem com cada um na sua função, entende?Abraços

paulo disse...

Nori ,individualmente eu prefiro os brasileiros, agora táticamente os argentinos se completam.

joao... disse...

Nori, eu concordo totalmente com sua opinião, futebol ganha quem fizer mais gol 6 a 5 dá três pontos e muita emoção. O Manchester da Inglaterra joga num esquema indecifrável, com Anderson Scholes, Giggs, C. Ronaldo, Tevez e Rooney, seis caras ofensivos e tá indo muito bem na premier. Parabéns pro Fergunson por ter coragem de fazer isso.

Anônimo disse...

Kaká, Riquelme e o fenomeno...acabou conversa

ps: cabe até um espacinho pro Messi...o menino joga muita bola

Dalton disse...

Noriega, achei seu blog por acaso mas sou seu admirador ( você e o Milton Leite são DEZ). Francamente, a seleção está sem brilho, sem o Fenômeno. Falta futebol mas tb falta carisma.Admiro o Messi, o Riquelme e o kaká, além do Fenômeno. Não acho o Robinho e nem o Tevez craques. O primeiro vive de uma firula aqui e outra ali. O argentino tem muita raça mas não deslumbra. Sobre o R. Gaúcho, o considero craque mas tem um grave defeito: não tem personalidade e além do mais há muito que percebo que ele tem meio que despeito de Ronaldo e/ou outros colegas que brilham mais do que ele. Nas eliminatórias passadas, nas melhores atuações da seleção e do RONALDO (contra a Colômbia em Bogotá, contra o Chile e contra a Argentina no Mineirão), R. Gaucho NÃO jogou. Para mim não é só coincidência. O Telmo Zanini certa vez abordou esse fato, durante o mundial de 2006, mas os demais fugiram do assunto. Todos sabemos que o futebol está pleno de vaidade e egocentrismo. Pois acho que o R. Gaúcho é muito vaidoso e egocêntrico e não sabe lidar com o sucesso dos outros. E, sejamos sinceros, na seleção ele ainda não disse ao que veio (não sei porque é tão protegido). Abraços.