segunda-feira, março 05, 2007


O REI PELÉ MERECE
MAIS FESTA NA VILA

De repente, durante a transmissão de Santos x Paulista, na Vila Belmiro, percebo que Pelé está ocupando seu lugar no camarote real. Ele vê o jogo como se fosse um torcedor comum, certamente feliz da vida porque seu filho Joshua entrou em campo com o time do Santos. Mas algo aí não parece correto. Aquele senhor de 66 anos e corpo de 40, no máximo, é uma divindade, um semideus, o maior do mundo em seu segmento, alguém que foi capaz de tocar o céu com os pés e fazer sonhar milhões pelo mundo a fora. Sua chegada à Vila deveria ser anunciada com pompa, o público deveria ficar de pé e reverenciar sua obra em um dos palcos onde o ator principal teve suas maiores atuações. Deveria se transformar num evento, bem ao estilo dos americanos. Algo poderia sinalizar o camarote de Pelé na Vila, sua presença, e sempre que ali estivesse o Rei, o estádio e o mundo deveriam saber. A fim de que os que não o viram jogando possam perceber sua importância e, os que viram, possam pintar na memória as lembranças do mito.
Zé Roberto talvez nem soubesse que Pelé esteve na Vila. Mas jogou o fino da bola, uma atuação que honrou a camisa 10 do Santos, sob os olhos atentos de seu eterno proprietário.

OS DOIS LADOS DE UM CLÁSSICO

O lado verde festeja, com justiça, uma vitória incontestável que anuncia uma recuperação. O lado alvinegro chora e se pergunta: pode ficar pior do que isso? Futebol e seus caprichos à parte, a verdade é que o Palmeiras está se reorganizando dentro e fora de campo. Seu time tem cara disso mesmo, time, ainda que com limitações. O clube tem dirigentes que admitem problemas e trabalham para solucioná-los. O Corinthians não tem cara de time, nem careta. A bagunça administrativa contaminou Leão e os jogadores, enquanto os dirigentes vira e mexe soltam um balão de ensaio para enganar os torcedores. Para completar, Roger, o cérebro do Corinthians, refuga quando mais se espera dele, e Nilmar parece estar precisando de benzedeiras e sal grosso. Enquanto Edmundo adora brilhar em jogos decisivos, e Valdívia é um chileno que tem bola de quem nasceu na Argentina.

DEBATE SAUDÁVEL, QUE MARAVILHA

Fico feliz em saber que um comentário que postei acerca da política e da economia do Brasil gerou respostas decentes, equilibradas e que discordam do meu ponto de vista. É assim que se debate, e o mundo seria uma chatice se todo mundo pensasse igual. Mas com educação e bons argumentos tudo fica muito melhor.

AÍ VEM ELE

George W. Bush, o dono do mundo, vem aí. Eu preferia que fosse o Clinton ou o Al Gore, mas o que me incomoda mesmo é o fato de o cara vir aqui, fechar o nosso espaço aéreo, mudar a mão de nossas ruas, solicitar nossa polícia etc. Vai incomodar mais isso que suas idéias militaristas. Mas confio na habilidade de negociação do Lula para costurar um ótimo acordo no que se refere à questão do etanol e desenhar uma possibilidade real e consistente de crescimento econômico para breve. Fora isso, pode ajudar a limpar o ar desse pobre e judiado planetinha em que vivemos.

3 comentários:

Rubão disse...

Zé Roberto sabia sim tanto que entrou com o filho do Pelé no gramado, até comentou isso ao final da partida.

É preciso parar de passar a mão na cabeça do Leão. Como bom palmeirense estou adorando seu trabalho, mas ele brigou com o elenco inteiro, rachou conselheiros, tanto que alguns pularam pro outro lado e só não é demitido porque não abre mão da multa milionária a que tem direito. O clube é hoje refém dele. Leão é autoritário, rançoso, ultrapassado, leva seu sobrinho a tiracolo, não admite fisiologistas, nutricionistas e terapeutas. Um xerox piorado de Lídio Toledo. O Palmeiras está se acertando, mas ainda vai demorar mais um ano para engrenar. O time jogou bem, mas o adversário era uma baba qualquer, ainda que usando uma camisa tradicional. E Luxa conseguirá o inesperado: O Santos devolverá os 7x1 de 2005. Pode escrever o que digo.

Alexandre disse...

Nori, parabéns pelo excelente blog, sempre com opiniões equilibradas a respeito não só do futebol brasileiro, assim como da economia, política e música.

Mas, mudando de assunto, é impressão minha ou o símbolo da Globo na sua camisa está bordado de ponta-cabeça?

Abraços

Rodrigo Federman disse...

Olá Nori,

Parabéns pelo blog. Sempre o leio.
Agora, sinceramente? Duvido muito que nosso "presidente" tenha qualquer capacidade de conduzir favoravelmente uma negociação com o todo poderoso "Tio Sam".
Espero me enganar, mas até o momento, o meu maior engano foi justamente o nosso presidente.
Um forte abraço!