terça-feira, abril 16, 2013


A suprema covardia


O ser humano é capaz de atos nojentos aos montes.

Mas entre todos esses dejetos da nossa condição de experiência que insiste em não dar certo, o que considero de suprema covardia é o terrorismo.

Duvido que exista entre outros animais encontrados na natureza esse tipo de atitude. Escrevo outros animais porque é isso que somos, um grupo a mais nessa escala evolutiva. Tendemos a acreditar que estamos no topo, mas alguns comportamento nos remetem ao último lugar na fila.

A covardia do ato terrorista, entre outras coisas, reside na condenação sumária de inocentes, na promulgação de mortes por atacado sem chance de defesa, unindo como alvo dessa medida abjeta homens, mulheres, crianças, jovens, idosos, independentemente de credo, raça, origem.

O terrorismo é a estupidez por atacado.

Nada justifica atitudes terroristas.

Principalmente porque os alvos quase sempre são inocentes, já que o terrorista, que no fundo é um grande covarde, teme encarar seu verdadeiro alvo de frente, e prefere espalhar o pânico entre os indefesos.

Assim como são grandes covardes os terroristas suicidas, os que pensar estar se martirizando, os que acreditam ser instrumentos de vingança, mas que não passam de peões inúteis num xadrez comandado por reis e rainhas estúpidos e ainda mais covardes.

As bombas que explodiram na Maratona de Boston remetem ao ato terrorista de Munique, em 1972.

Com uma pitada a mais de crueldade, se é que pode ser possível em casos como esse.

Programadas para explodir quando os pelotões amadores estivessem passando, muito após a chegada dos atletas de elite, as bombas tinham como objetivo a destruição em maior escala, atingindo atletas amadores e amigos, parentes e apoiadores que estivessem por perto.

Se existe algum consolo nesse caso, é saber que se existe alguma consciência em quem pratica tal ato de covardia, esse remorso o acompanhará por toda a sua existência, em qualquer forma que possa existir de vida.

 

2 comentários:

Fábio Minghetti disse...

Acontecimento lamentável. Mas devemos lembrar que os Estados Unidos é um país que está em guerra constante pelo mundo durante anos, e graças à posição geográfica fica "protegido".
Enquanto isso as explosões no outro lado do mundo, em quantidade muito maior do que as de Boston, já nem são mais notícia.

Anônimo disse...

Tanto a guerra como o terrorismo são lamentáveis, porém, o terrorismo é covarde, pois atinge pessoas indefesas. Em Boston estavam correndo pessoas do mundo todo e revelar o vil intento de destruição no palco da paz é covardia inominável. C.R.Souza