sexta-feira, março 04, 2011


Pão de queijo


com chimarrão

A Libertadores já andou um pouco e para os clubes brasileiros tem, por enquanto, sabor de pão de queijo com chimarrão. Se os campeões nacionais de 2010, Santos e Fluminense, entraram na competição com pinta de favoritos, por enquanto ainda decepcionam. Inter, Grêmio e Cruzeiro, em contrapartida, viajam tranquilos pelo continente, como se jogassem mais uma Sul-Minas.

Explicações são coisas complicadas, cada um tem a sua. Confesso que é difícil entender por que o Fluminense vai tão mal e os motivos das derrapadas do Santos. Assim como considero raso o argumento da tradição. Tradição é para clubes, mas muitas vezes não se aplica aos momentos dos times.

Não quero explicar porque não tenho essa pretensão, mas vou colocar o que acho.

O Cruzeiro é o time, entre os brasileiros na Libertadores, que está jogando o melhor futebol. Gosto da proposta do Cuca, do meio-campo fluente, onde todo mundo sabe jogar. Ajudou muito isso a vitória sobre o Estudiantes na estréia, dessas que enche o time e a torcida de moral. O Guarany parece frágil, e o Tolima merece respeito. Ainda assim, é o Cruzeiro quem tem tudo para terminar até como melhor da primeira fase se mantiver o ritmo. E tomara que o Cuca pare com essas coisas de ônibus entrando de marcha-a-ré, coração de boi no vestiário etc. Ele é bom técnico, não precisa disso.

O Grêmio vem colado no Cruzeiro. Se não fosse aquele jogo vergonhoso em Barranquilla, estaria ainda melhor. Em casa deve ser 100% e pode disputar a condição de melhor da primeira fase, que dá a possibilidade de jogar em casa os jogos de volta dos mata-matas. O grupo é fácil, o que não é demérito algum, afinal, é o time que transforma o grupo teoricamente fácil em molezinha de fato. Mesmo já tendo perdido um jogo, lidera a chave sem atropelos. Como todos os times, ainda busca mais equilíbrio, o Santo Graal do futebol.

O Inter também caiu em um grupo no qual sobra tecnicamente e, embora ainda não tenha jogado muito bem, reúne condições de se classificar sem sustos e com boa pontuação, também pensando no primeiro lugar entre os 16 da etapa seguinte. Resta saber qual será a reação da torcida e da direção em caso de algum tropeço, já que Celso Roth será para sempre assombrado pelo fantasma do Mazembe.

E Fluminense e Santos?

O Flu decepciona no conjunto da obra, seja no estadual carioca ou na América. Mesmo tendo caído em um grupo difícil, equilibrado, não poderia se dar ao luxo de jogar tão pouco e ficar pendurado no desempenho dos outros logo na primeira fase. O desafio agora não é apenas encontrar futebol, mas desanuviar um ambiente pesado e de forte apelo de derrota. Os chavões já começam a pipocar, tipo Muricy só é bom em pontos corridos e outras bobagens desse tipo. O que falta mesmo é jogar bola. Conca quando sobe leva o time, e quando cai é a mesma coisa.

O Santos talvez esteja cometendo um erro de análise. Tem um bom time, com alguns grandes jogadores, mas não tem apenas grandes jogadores, que possam ganhar qualquer jogo quando queiram, sem uma dose mínima de organização e comando. O empate com o Táchira foi uma derrota moral, e Cerro Porteño e Colo Colo são adversários de respeito, que equilibram o grupo. A decisão parece ser contra os chilenos, em Santiago. O Colo Colo já ganhou do Táchira fora de casa, e o Cerro já ganhou do Colo Colo. Para o Santos, mais do que nunca, Neymar e Ganso precisarão jogar o que valem em contrato.

4 comentários:

Edgard Franco disse...

O que o Adilson fez no Santos é incrível. É preciso acabar com essa de jogador sair da posição. Daqui a pouco vamos ter lateral no gol. Não é tão difícil: basta escalar o time da forma óbvia, e deixar os meninos resolverem no campo. O único atenuante são os machucados. Muita gente boa no departamento médico, e isso está pesando.

Edwin Contreras disse...

Ótima análise Noriega, como sempre bem ponderada. Acredito que todos os brasileiros irão se classificar, Cruzeiro, Grêmio e Inter sem sobresaltos e Santos e Fluminense na garra e no coração na última rodada. Deste talvez só o Flu corra serios riscos de ficar de fora. Mesmo perdido em campo e muito por causa da desorganização tática criada pelo Adilson durante o curto tempo que dirigiu o time, o Santos deve ser arrumar até o dia 16 e fazer um bom jogo contra o Colo-Colo, com boas chances de obter a primeira vitória. Contra o Cerro, em alguns momentos já mostrou um lampejo de bom futebol, coisa que não vinha acontecendo nas últimas semanas com o Adilson.
Abraços

Clóvis disse...

NOVA REGRA NO FUTEBOL : Noriega, por favor, sabe me informar se é possível patentear / requerer direito autoral , para proteger a idéia de NOVA REGRA e, claro, faturar $ caso a FIFA tenha interesse em adotá-la ?

Bruno Arruda disse...

Adiciona meu lin por favor: www.blogdobrunoarruda.blogspot.com