segunda-feira, julho 28, 2008

O BRASILEIRÃO É O
MELHOR CAMPEONATO
NACIONAL DO MUNDO

O título acima reflete exatamente o que penso. Não estou colocando nesse puçá torneios como a Liga dos Campeões, a Libertadores, ou campeonatos entre seleções. A afirmação é restrita aos capeonatos nacionais de futebol. Não existe nada que se aproxime do Campeonato Brasileiro em termos de equilíbrio de disputa. Também acho que, tecnicamente, não fica nada a dever aos principais torneios nacionais do mundo. Mesmo com a exploração quase criminosa - e as vezes criminosa de fato - dos recursos naturais. O pé-de-obra, como gosta de dizer o meu amigo Mauro Beting.
Que outro campeonato nacional do planeta bola pode ter tantos times disputando, de fato, o título como o Brasileiro? Na Espanha temos Real Madrid e Barcelona monopolizando. De vez em quando pinta um La Coruña, um Valencia, um Atlético de Madrid. Fora isso, a dupla ganha ano sim, ano também. Na Itália são aqueles três de sempre: Milan, Inter e Juventus. A Roma é bissexta. A Ingleterra tem o Chelsea como novidade, mas fica rodando entre Manchester, Arsenal e Liverpool.
Por aqui, nos últimos 20 anos, tivemos 11 times campeões. O campeonato atual mostra uma diferença de apenas 4 pontos entre o líder e o quarto colocado e, melhor ainda, de nove pontos do líder para o décimo. Dois campeões brasileiros e que recentemente foram vice-campeões da Libertadores ocupam a zona de rebaixamento. O mesmo rebaixamento que já tragou instituições como Corinthians, Palmeiras, Botafogo, Grêmio, Atlético Mineiro, Coritiba.
O último colocado, o estreante Ipatinga, já arrancou um empate do atual bicampeão, São Paulo, fora de casa, e ganhou do Inter, que como o Tricolor paulista, foi campeão mundial outro dia.
Apontem-me, por favor, outro campeonato nacional que tenha tantas equipes postulantes, de fato, ao título. Por que, pelo menos para mim, no Brasileiro/2008, batendo os olhos na tabela no dia de hoje, são candidatíssimos: Grêmio, Flamengo, Cruzeiro, Vitória, São Pauo, Palmeiras, Coritiba e Inter. Podem sonhar pelo menos esses: Sport, Botafogo, Figueirense, Náutico, e os Atléticos. Dali pra baixo temos Goiás, Vasco, Portuguesa, Santos, Fluminense e Ipatinga, que têm coisas mais urgentes a resolver do que sonhar. Mesmo assim, são apenas seis pontos que separam o Santos de um sonhador Figueirense, por exemplo.
Tudo bem que tecnicamente há problemas, muitos problemas. Alguns jogadores estão abaixo da média que um torneio como o Brasileirão merece. Alguns estão literalmente abaixo da crítica. Mas ainda existem ótimos motivos para se acompanhar o Brasileirão. Há grandes jogadores em ação. Ótimos treinadores, torcidas apaixonadas. E pelo rolar da bola, este será o mais equilibrado torneio dos últimos tempos, sem prognósticos, arrancadas e favoritismo destacado.

HORA DA VERDADE PARA
VOLEIBOL MASCULINO

Crédito Bernardinho e cia. têm para emprestar ao mundo. Nos últimos seis anos foi a primeira vez que perderam dois jogos seguidos. Leiam bem, SEIS ANOS. Todo império vive seu momento de implantação, auge e declínio. O Brasil hoje é o império do voleibol. A capital imperial é o time do Bernardinho. Seria oportunista analisar apenas por causa das derrotas, mas o contexto é deafiador. O voleibol é um jogo complexo e entre os esportes coletivos o que mais exige taticamente. Por que não existe como anular individualmente um jogador. Ninguém ganha sozinho. Sem um bom passe, o Giba perde muito do seu fantástico potencial. Sem um bloqueio bem montado, as estatísticas de defesa do líbero Serginho caem muito. E sem um bom saque, não há bloqueio que resista. O treinador não pode falar algo como "gruda no Giba e não deixa ele jogar". É o time que tenta fazer isso.
Não há outro esporte coletivo em que a troca de informações e a pesquisa dos adversários seja tão frequente como no voleibol. Todos os times estão marcados. Os maiores levantadores do mundo ficaram marcados depois de um tempo. Ninguém tem repertório infinito de jogadas. Aconteceu com William e Maurício. Chega uma hora em que o adversário consegue antecipar todos os movimentos táticos. O Brasil só supera isso graças ao talento de seus jogadores.
Agora esse talento será desafiado em Pequim. A Liga Mundial mostrou que todos já sabem os truques brasileiros e conseguem anulá-los razoavelmente. Resta saber se ainda há truques na cartola do Império. Ainda assim, medalha é quase certa. Só não dá para cravar a de ouro.

7 comentários:

Joao Luis Amaral disse...

Fala, Nori!
Realmente está muito acirrada a disputa do Brasileiro neste ano. Qualquer deslize, uma bobeada, uma estratégia errada, até mesmo jogadores importantes mas que abusam das faltas e são suspensos continuamente, como o Kleber do Palmeiras, podem ser os detalhes decisivos na reta final. Mais do que nunca, ter o elenco completo, bem preparado e sintonizado se faz vital para este campeonato.
Estranho é Santos e Fluminense figurarem lá no fim da tabela, lugar em que, no papel, não deveriam nem passar perto. Mas ainda há muitas rodadas para se recuperarem.
Quanto ao Volei, concordo com o comentário do Alex Escobar hoje, no Bom Dia Brasil: a derrota era o tempero que faltava para esse time se superar e mostrar quem é que manda (ainda) no esporte, durante os Jogos Olímpicos. Mas sua análise é (para variar) perfeita.
Abraços,
Joao Luis Amaral.
mickeyamaral.blog.terra.com.br

Anônimo disse...

Meu Deus, você mal entende de futebol e agora vem falar de basquete?! Perguntado por Cleber Machado sobre quem seria o melhor jogador do mundo, eis que o "sábio" Maurício Noriega fala em Ginobili. Inacreditável. Nunca deve ter ouvido falar no maior de todos, o gênio Kobe Bryant ou nos grandes Lebron James, Kevin Garnet. Se não entende do assunto, não abra a boca para dizer asneiras.

Nori disse...

Anônimo, ou melhor seria dizer, Kanela, George Karl, Phil Jackson, perdão por invadir o espaço de um verdadeiro sábio do esporte como vc. Identifique-se da próxima, aí quem sabe eu me inscrevo para uma de suas aulas. Respondi à pergunta sobre o jogador que mais gosto de ver jogar, que se chama Ginóbili. E felizmente, sobre gênios, tive a sorte de ver em ação os de verdade, ao vivo, em Barcelona 92. Jordan, Johnson, Byrd. Esses não perdiam para a Argentina.
Abs

Corival disse...

Noriega,
eu acho que o campeonato brasileiro parece mais concorrido porque é o que nos afeta emocionalmente. Fora isso nós não temos 8 candidatos ao título, Coritiba, Vitória disputam o título hoje, mas não são candidatos ao título. O ano passado, o Botafogo disputou o título, mas candidato ao título mesmo não foi. Ninguém disputou o título com o são paulo de fato. Em nenhum dos campeonatos de pontos corridos houve mais do que dois candidatos ao título. Neste ano podemos ter mais times candidatos ao título, mas acredito que no máximo grêmio, são paulo, flamengo inter, e correndo por fora o palmeiras, serão candidatos ao título.

Anônimo disse...

Nori...... SIMPLESMENTE PERFEITO....

PARABÉNS...

Como gostaria que a maioria dos que se "dizem" jornalistas esportivos tivessem a clareza e a imparcialidade que vc demonstra por onde passa (tv, blog....)

Passei a ser seu fã..

Daniel - Ribeirão Preto-SP

alineaquino disse...

esse corival é um fanfarrão!!! o Palmeiras, time com o melhor treinador do país e um elenco que se não é o melhor, não deve nada aos outros citados, corre por fora?

hauhauahua

é bom sonhar, pois em 10 rodadas vamos ver quem vai estar dando as cartas do brasileio!! huahauhau

Anônimo disse...

Nori,
Pegando o gancho de seu comentário sobre a seleção de vôlei, o que você acha do atual momento vivido pelo gigante Roger Federer, um dos maiores tenistas de todos os tempos? Vem perdendo para antigos fregueses e não demonstra aquela capacidade de decidir que o levou ao topo do tênis. Será falta de confiança, problemas físicos, o que poderia ser?
Parabéns pelo Blog e pela atuação como comentarista, sempre ético e imparcial. Abraços, Fábio - SP