quinta-feira, julho 31, 2008

CRÍTICA MUSICAL SUBESTIMA

BANDAS COMO O MARILLION


Assim como alguns jogadores de futebol, algumas boas bandas do pop/rock são subestimadas pela crítica. Tratados com desprezo, como subproduto. Hoje cito a banda inglesa Marillion. Infelizmente, ficou rotulada pelos críticos como um grupo do segundo escalão do rock progressivo. O time de músicos é de primeiríssima linha, e a carreira já se afastou há algum tempo do que se convencionou chamar de rock progressivo.
No começo havia influências descaradas do Genesis e do Pink Floyd. Hoje o Marillion é uma banda bem estabelecida, com uma base de fãs que viabiliza literalmente sua existência. O grupo criou um sistema pela Internet em que faz uma espécie de pré-venda através de seu site oficial. Se o interesse dos fãs se traduz em viabilidade comercial, pinta um lançamento. E assim tem sido há alguns bons anos.
Não comprei o álbum mais recente da banda, mas o penúltimo, Marbles, é excelente. Disco duplo, bem tocado, composições densas, temas interessantes. Atualmente, a formação tem Steve Hogarth nos vocais, Pete Trevawas no baixo, Mark Kelly nos teclados, Ian Mosley na bateria e o excelente Steve Rothery na guitarra. Todos são muito bons, mas Rothery é craque. O Marillion foi descoberto nos anos 80, graças ao sucesso de Kayleigh, uma linda balada, e ao carisma do ex-vocalista, Fish. Mas atualmente, no século 21, a banda mostra maturidade e competência para justificar a longevidade. Pena que pouca gente preste a devida atenção e prefira acreditar em alguns rótulos maldosos.
Deixou um exemplo do que considero um bom exemplar da produção pop do Marillion, a canção No One Can.

3 comentários:

Joao Luis Amaral disse...

Fala, Nori.
Confesso que eu era fã do Marillion, mas achei que logo após a saída do Fish, a banda, apesar de ter tentado seguir a mesma linha, perdeu-se um pouco.
"No one can" é, sem dúvida, uma das grandes baladas e, se quiser cantar o refrão, sozinho no carro, tem que soltar a voz, não é verdade? Gosto também de "Cover my eyes" e "Lavender". "Kayleigh" ficou um pouco pop demais...
Não acompanhei nos últimos tempos mas, assim como passei a conhecer um pouco mais de Cold Play a partir de uma dica sua, lá vou eu comprar Marbles e abastecer o iPod.
Grande abraço,
Joao Luis Amaral

Anônimo disse...

Caro Nori, o Marbles é fantástico. Me diga o que é aquela Ocean Cloud?? Ao ouvi-la, nos transportamos para outro mundo.

O Marillion junto com o Uriah Heep, ao meu ver são as bandas mais injustiçadas do rock´n roll.

Denis Fonseca

Rafael disse...

Grande Uriah, sensacional.

Já fui num show do M. Muito muito bom.