terça-feira, junho 17, 2008

A SELEÇÃO BRASILEIRA

NÃO CONHECE O BRASIL



A mente está aqui na Eurocopa, mas o coração está no Brasil, com a família e, também, com a Seleção Brasileira, esse assunto que deve estar dominando as rodas de conversa pelo País a fora.
Lembro que quando eu era criança os jogos da Seleção, quase sempre no Maracanã, eram acontecimentos.Havia o ritual de ficar em frente à TV e no dia seguinte a molecada avaliava tudo no recreio da escola.
Com o tempo tudo foi mudando, não sei se para pior, mas que as diferenças são brutais, isso é fato. O negócio se impôs, mas isso é óbvio, sinal dos tempos. Mas parece que virou apenas isso, só um negócio. Essa Seleção do Dunga e a última do Parreira, elas parecem não conhecer o Brasil.
O próprio Dunga, com seu deslocado discurso meio nacionalista, meio guerreiro, sempre de mal com a vida, não parece ter noção do que seja o Brasil, nem do que o brasileiro pensa de futebol. Não o especialista, como ele, mas o brasileiro comum, que ama esse esporte como se fizesse parte da sua bandeira.
Brasileiro gosta de time que joga bem. Sem esse papo de futebol-arte, expressão que hoje é usada a torto e a direito para definir não se sabe bem o que. O que eu posso afirmar é que a maioria dos brasileiros que gostam de futebol sabe bater o olho num time e dizer se o time joga bem.
E esse time do Dunga não joga bem. Pode ter jogado bem duas vezes, três vezes, mas como equipe não se sustenta, não tem cara. Nada contra o Dunga, que acho que foi um bom jogador, melhor do que o senso comum o julgou. Tudo contra o que é hoje a Seleção. Um amontoado de jogadores dispersos, sem unidade, cujo discurso não rima com o do treinador. Que foi inventado na função, diga-se.
Claro que o Brasil pode ganhar da Argentina, e estarei torçendo por isso. Mas a vitória fara desse grupo uma Seleção Brasileira? Transformará em time uma lista de convocados? Fará com que o time que consagrou inúmeros laterais pelo tempo convença o brasileiro de que dá para seguir em frente com Maicon e Gilberto? Fará alguém acreditar que se justifica a escalação como titulares de jogadores em péssima fase?
Isso por que há vitórias que mascaram péssimos trabalhos. Assim como existem derrotas que derrubam trabalhos bem feitos. Tudo é uma questão de tempo, de momento. A Seleção Brasileira não é lugar para picuinhas ou revanchismos baratos. Não pode se prestar ao serviço de disputa de teses. Ela é o lugar do bom futebol. Costumava ser a casa do melhor futebol do mundo. Tomara que volte a ser.

PORTUGAL E ALEMANHA

Que jogo vem aí! A Alemanha do alto de suas cinco finais e três títulos de Euro e Portugal, estabelecida no grupo de grandes equipes européias, comandada por Felipão e sua alma vencedora de brasileiro. Fala-se por aqui no duelo entre Ballack e Cristiano Ronaldo, mas o jogo promete mais. A Alemanha tem os ótimos Podolski e Schweinsteiger. Assim como Deco e Pepe brilham no bom time português que tem índice de acerto de 75% dos passes e média de 8 finalizações por jogo. A Basiléia vai tremer.

5 comentários:

Carlos disse...

Noriega, sou de Fortaleza e admiro bastante seu trabalho.. Gostaria de pedir que comentasse sempre os jogos do meu Palmeiras q sempre seus comentarios sao os melhores, imparciais e sem babação, ao contrario de alguns colegas seus..
Abraço e continue com esse trabalho maravilhoso que vc vai longe.

Joao Luis Amaral disse...

(bobagens do ócio criativo...)
Bom, há de convir que o "Dunga" nunca foi "Mestre". No comando da seleção, parece ser "Dengoso" com os jogadores, mas está sempre "Zangado" com os jornalistas. O futebol que os atletas apresentam dá uma "Soneca" danada. Ou muda completamente, ou o torcedor brasileiro nunca estará "Feliz" com os resultados. Só um segundo: "Atchimmmm". Desculpe, espirrei.
Abs, Joao Luis Amaral.

Anônimo disse...

Nori, a verdade é que a derrota de 1982 para a Itália e o título da Copa do Mundo de 1994 (ambos obras do "imponderável de Oliveira") fizeram um mal danado ao futebol brasileiro... alguns "profissionais" passaram a considerar a medíocridade como sinônimo de eficiência e dá nisso que a gente tá vendo...
Pra ficar em um exemplo só, compare o rendimento do Zé Roberto na seleção do Parreira e no Santos do Luxemburgo...

davi disse...

meu caro nori, temos de volta a tal "era dunga"! meu deus, vc falou tudo, com mt propriedade, isso não é uma seleção, é um catado! e vencer nossos hermanos é prolongar nosso martírio. que o dunga caia o mais rápido possível para nosso próprio bem. e vencer nada mais é que dar munição para ele vir com aquela arrogância para cima da gente! para o bem do brasil, avante argentina! (com show de bola de preferência).

Joao Luis Amaral disse...

Fala, Nori!
Depois do jogo de ontem, acho que o melhor título desse post seria: A SELEÇÃO BRASILEIRA NÃO CONHECE O BRASIL, MUITO MENOS UMA BOLA DE FUTEBOL.
Como diz Milton Leite, QUE BELEZAAA!!!
Abs.,
Joao Luis Amaral