segunda-feira, abril 14, 2008


A MÃO DE ADRIANO, O DEDO
DE MURICY, O OLHO DE LUXA E
O CLÁSSICO QUE NÃO ACABOU


Ufa! O título é grande, mas o clássico da semifinal paulista merece. Baita jogo, com tudo que uma semifinal precisa ter e ainda alguns extras, como a polêmica e os inevitáveis erros de arbitragem. Pode não ter sido um grande jogo tecnicamente, mas foi um grande espetáculo, de prender a atenção de quem esteve no estádio e de quem viu pela TV.
Vou deixar a arbitragem para o final. Sobre o jogo, em termos de estratégia, a proposta pelo técnico do São Paulo, Muricy Ramalho, foi mais bem executada pelo time do que a de Wanderley Luxemburgo para o Palmeiras. O São Paulo deixou bem claro ao que tinha entrado no Morumbi: marcar forte, atrás da linha da bola, e fechar o caminho dos laterais palmeirenses. Isso feito, apostaria em Adriano e Dagoberto nas jogadas individuais e na bola parada. Adriano cumpriu sua parte e foi, mais uma vez, decisivo. Valdívia ainda não conseguiu ser determinante em um jogo decisivo pelo Verdão. O Palmeiras apostou na posse de bola e nas jogadas pelas laterais, que pouco aconteceram no primeiro tempo. Insistiu no jogo pelo alto e, salvo uma cabeçada de Alex Mineiro na trave, trombou com a defesa tricolor, muito alta.
Adriano não é craque, mas é decisivo, jogador de nível internacional. Na força difícilmente perde. Isso assustou um pouco o zagueiro palmeirense Gustavo, que não tem grande técnica e perdeu o duelo físico. Valdívia também não pode ser chamado de craque porque ainda não decidiu, e com seu talento, espera-se que decida. Nitidamente, sentiu preocupação após levar o cartão amarelo e evitou o jogo de contato. Fora isso, foi bem marcado pelo eficiente Zé Luís.
Na segunda etapa do jogo, Luxemburgo fez o que tem de melhor, foi ousado, abriu o time e empurrou o adversário para perto de sua área, mesmo correndo riscos no contra-ataque. Muricy tinha optado por "trombar" seus alas com os laterais do Palmeiras, mas com o advesário jogando com dois pontas abertos, perdeu essa segurança. Para sorte do Palmeiras e azar do São Paulo, as chances mais claras caíram nos pés de Dagoberto e não de Adriano. No Palmeiras, faltou a Valdívia e Diego Souza a personalidade mostrada por Lenny e Martinez, que conduziram o time na segunda etapa. Acho que Muricy demorou para tirar Dagoberto e, por isso, acabou tomando sufoco.
Mas a diferença do jogo, pelo menos para mim, foi de espírito, de entrega. O São Paulo assumiu uma inferioridade técnica e se superou nas divididas, na marcação e na concentração. O time tricolor ainda foi eficiente nas armas que escolheu, a bola parada e o contra-ataque. O Palmeiras acreditou demais na superioridade técnica, que existe, mas não é gritante, e deixou a desejar em termos de concentração e entrega. Fora isso, os verdes erraram demais nos passes, e Gustavo apanhou da bola no lance do segundo gol, oferecido por ele ao São Paulo. Em contrapartida, André Dias e Hernanes foram gigantes no Tricolor. Assim como Rogério Ceni foi decisivo em duas grandes defesas, e Marcos praticamente não trabalhou.

APITO

Agora a parte chata de todo jogo, a arbitragem. Primeiro, repito o que disse ontem na transmissão do SporTV: considero Paulo César de Oliveira o melhor árbitro de São Paulo. Mas ontem ele foi mal. Errou em lances capitais e não teve critério. O lance do gol de Adriano é cristalino. Antes de a bola entrar na pequena área o atacante são-paulino, esperto, já está com o braço direito esticado, e isso, pelo menos para mim, evidencia a intenção de tocar a bola com a mão. Até entendo que o árbitro pode argumentar que não viu - e acho que ele não viu na hora, só depois, pela TV. Mas a interpretação me parece equivocada. Fora isso, era lance para a auxiliar Maria Elisa, que estava mal posicionada e numa tarde pouco feliz.
O lance do pênalti me parece claro, assim como no segundo gol de Adriano o lance é normal, ele leva na força, sem falta alguma.
A questão do critério é que pega. O árbitro começou aplicando cartões de uma maneira até certo ponto exagerada e, depois, claramente, segurou a mão, pois, se mantivesse o critério inicial, Zé Luís e Valdívia teriam sido expulsos.
Para o jogo de volta, no Palestra, acho que a matemática das chances se inverteu. Antes de a bola rolar, eu acreditava em 60% Palmeiras e 40% São Paulo. Agora vejo 60% para o Tricolor e 40% para o Palmeiras. O clássico começou bem e vai durar ainda a semana toda. Bom para o futebol.


O FATOR BOTAFOGO

Por razões óbvias, não vi Botafogo e Flamengo, apenas os melhores momentos, já que trabalhei no jogo do Morumbi. Mas um detalhe, em tudo que vi nesta temporada do Botafogo, me chama a atenção. Em 2007 o time criava demais para Dodô concluir. Em 2008, continua criando demais e agora quem conclui é Wellington Paulista. Sinal de que Cuca conseguiu manter uma filosofia de jogo e não perdeu eficiência, mesmo trocando de atacante definidor e, acho que não há discussão, Dodô joga mais que Wellington Paulista, tem mais recursos. Prova de que o Botafogo é um time bem armado e que tem um treinador que sabe o que faz. Andou batendo na trave, como bateram o Inter antes de 2006, o Fluminense antes de 2007. Uma hora a bola entra.

PITACOS

Rapidamente, opiniões curtas e diretas. Jornalismo não é fofoca, e o caso da garotinha Isabella, tristemente, mostra que tem mais fofoqueiro do que jornalista na TV brasileira. Segundo, terceiro mandato é golpe em qualquer ideologia e ponto final.

7 comentários:

Anônimo disse...

Olá Nori mais uma vez parabens pelo seu excelente comentário.
Quando voçe diz jornalismo não é fofoca tem roda razão porque o que estamos vendo hoje em dia são verdadeiros torcedores e não jornalistas.
Nori da umas aulinhas para o Mueller é fraquinho e torcedor.

Um grande abraço

Anônimo disse...

O time tricolor ainda foi eficiente nas armas que escolheu, a bola parada e o contra-ataque.......o procurador, a arbitragem, o "campo neutro" , e os jornalistas fifis.
O restante concordo com você.
Abraços
Mi

Emerson disse...

Boa noite, Nori.

Sobre o lance do primeiro gol do Adriano: está circulando pela internet uma gravação que mostra Léo Lima puxando Adriano no momento em que ele salta para cabecear.

A câmera que captou essa imagem estava em posição frontal, à esquerda dos dois jogadores.

http://www.youtube.com/watch?
v=TDogAoVu2mU&eurl=http://
www.sempretricolor.com.br/index.
php?option=com_content&task=
view&id=3196&Itemid=1

É um endereço único, mas quebrei-o em várias linhas para caber nessa caixa.

Quanto à cobertura do caso Isabella: as lições da Escola Base foram aprendidas, esquecidas, relembradas, mas não o bastante para mudar o tratamento dispensado a esse crime triste.

Terceiro mandato? Cruzes...

Anônimo disse...

Bem Nori, gostaria que você e todos os palmeirenses que estão achando que foram prejudicados dessem uma olhada no lance do primeiro gol saopaulino...
http://br.youtube.com/watch?v=TDogAoVu2mU
Depois desse video chego a conclusão que de fato parte da imprensa esta fazendo de tudo para ajudar o palmeiras...Por favor, mostrem a verdade dos lances...
Me responda a pergunta, por quê o SPORTV não mostrou o Replay do lance com a nitidez desta imagem colocada no youtube...Como saopaulino e assinante do canal não gostaria de ser manipulado...Quanto ao seu comentario sobre o jogo concordo e acho que o time mais competitivo é o que acaba ganhando como escrevi antes do jogo deste domingo!!
Abraços!!!
Leonardo!!

Nori disse...

Amigos Leonardo e Emerson, abraços. Sobre o lance do gol, a declaração do próprio Adriano é definitiva, ele admite que fez com a mão, o que a imagem deixa claro. E em entrevista hoje ao Estadão bandeira Maria Elisa Barbosa admite que, se tivesse visto como as imagens da TV, anularia o gol. Léo Lima ou Diego Souza, agora não me recordo, puxa a camisa do Adriano, que também puxa a do jogador palmeirense, o que acontece normalmente na área e não impede Adriano de chegar na bola. Nem anula o fato de ele já posicionar o braço direito com o punho fechado muito antes de a bola chegar. São pontos de vista e a transmissão do SporTV mostrou todos os ângulos possíveis das câmeras disponíveis na transmissão. Alguns ângulos aparecem depois porque são capturados por câmeras que não participaram da transmissão.
Abs

renato disse...

Olá Nori...Como vc descreveu tudo que aconteceu no jogo com precisão,não sobrou muito para eu comentar,agora, sobre a cobertura da morte da menina Isabelle, a imprensa novamente passou dos limites, seria bom lembrar à todos que "suspeito" não é "condenado",pode haver desconfianças de um ou outro mas nada ainda foi provado...!!!
Quanto ao terceiro mandato do nosso presidente,creio que ele já decepcionou tanto seus eleitores que nada mais me surpreende...
Abraço,
Renato Molitsas

Blog do Menon disse...

Nori, segundo mandato como foi feito no Brasil (o presidente pôde concorrer) também é golpe.

Ah, o São Paulo teve uma postura mais guerreira, mas eu não estou convencido que é um time inferior tecnicamente.

Alex Silva, Miranda, Jorge Wagner, Adriano e Hernanes são jogadores que cabem no Palmeiras.

Richarlyson, Borges e Rogério Ceni também poderiam estar ali no Parque.

E Elder Granja não é uma sumidade.

Kisses