terça-feira, abril 15, 2008

JUIZ DE FUTEBOL TEM
QUE SER PROFISSIONAL


Todo mundo já ouviu a seguinte frase: futebol hoje é um negócio. E é mesmo. Gira muito dinheiro, envolve interesses políticos, comerciais - escusos às vezes - e paixões. Praticamente todos os envolvidos de fundamental importância para o desenrolar de um jogo de futebol são profissionais. Jogadores, treinadores, médicos, preparadores físicos, fisioterapeutas, dirigentes remunerados. Por que apenas os árbitros não são profissionais?
Já passou da hora de se criar uma legislação específica para a arbitragem de futebol no Brasil, pelo tamanho do negócio e pelo impacto de suas repercussões. Pelo que arrecadam, a CBF e as Federações têm todas as condições de implantar um regime profissional, com planos de carreira, benefícios e remuneração compatível. Isso não acabaria com os erros e as polêmicas, mas certamente diminuiria a incidência dos mesmos e mudaria a maneira de se ver a arbitragem de futebol, acrescentando uma aura de seriedade.
Ouvi de um árbitro brasileiro o seguinte, para resumir como funciona a coisa hoje. Os árbitros recebem um valor fixo de acordo com a importância do jogo e seu nível de atuação, um cachê pelo serviço. Na maioria dos casos, o cachê é pago pelo clube mandante do jogo, após o mesmo. Ainda hoje, no século 21, há árbitros brasileiros que não receberam seus cachês porque o clube mandante perdeu o jogo em que trabalharam e simplesamente não pagou.
Outra situação recorrente. Os árbitros recebem a passagem aérea e seus cachês e aí precisam cuidar, eles próprios, de questões como hotel e transporte. Alguns tentam economizar ao máximo com isso, procurando hotéis mais em conta e perdendo tempo precioso com isso. Em certos casos, quando não há viagem aérea incluída, se deslocam em seus próprios automóveis. Isso eu ouvi de um "profissional" da arbitragem de nível Fifa e os exemplos que ele citou são de jogos do Campeonato Brasileiro da Série A. Ou seja, tem árbitro de nível internacional que tomou calote em jogo do Brasileirão!!!!
O fato de não serem profissionalizados não significa que os árbitros ganhem mal. Os árbitros de nível Fifa recebem R$ 2.500,00 por jogo. Mas a questão não está nisso, no valor. Está no fato de o árbitro, em última análise, exercer esse trabalho tão importante como uma espécie de bico ou renda suplementar. Muitos árbitros são policiais, há bancários, bacharéis em direito, professores de educação física. Equilibram essas atividades com o exercício da arbitragem.
Seria impossível, absurdo, se regulamentar a profissão de árbitro de futebol no Brasil? Ou mesmo de árbitro esportivo? Para que houvesse um critério de formação, escolas, planos de carreira, e eles pudessem respirar 24 horas o jogo de que são, hoje, personagens principais? Que fizessem reciclagem, preparações física e psicológica diferenciadas e padronizadas, e tivessem a segurança de um registro profissional e os benefícios inerentes?
Sou árbitro de tênis pela Federação Paulista, mas nunca trabalhei como árbitro de tênis. Tenho amigos que são árbitros profissionais de tênis, alguns pela Federação Internacional (ITF), e existe um plano de carreira, remuneração escalas de trabalho. São identificados, em seus níveis, pela cor do distintivo que usam, prata, ouro etc. É uma carreira.
O futebol mudou, cresceu, evoluiu. Tem até torcedor profissional (embora esse mais atrapalhe do que ajude). Duvido que custe tão caro aos cofres da CBF e das Federações profissionalizar de fato a arbitragem. Resta saber se há vontade política de fazê-lo.

5 comentários:

Anônimo disse...

Nori,eu acredito que a profissionalização dos árbitros não evitaria erros(vide gol do Adebayor de mão)...As pessoas têm que entender que erros acontecem, aliás alguém tinha visto o puxão de camisa que o Adriano sofreu no gol(mesmo vendo na transmissão televisiva)???Não porque é difícil de se ver, não adianta. Erros podem acontecer,o que me preocupa são erros sucessivos, por exemplo o número de penaltis duvidosos dados ao Palmeiras??!Todos os jogos acontecem...Cutuveladas dadas por jogadores palmeirenses e que não são expulsos, o Alex Silva foi a vítima da vez...Por quê ninguem está criticando o Luxemburgo que ofende sistematicamente o coronel Marinho??Ele pode ofender, o Renato Gaucho quando falou que estava sendo roubado foi massacrado!!??Por quê a diferença de tratamento??
Sinceramente vejo muito palmeirense reclamando da arbitragem, mas acho que o único clube que não tem esse direito ao menos no paulista é o Palmeiras porque foi sem dúvidas o mais beneficiado ao longo de todo campeonato...Repito é o time brasileiro que mais teve penaltis marcados a seu favor e neste último jogo o Pierre e o Valdívia deveriam ter sido expulsos ainda no primeiro tempo...Fora o pontapé do Diego Souza no Dagoberto que nem cartao amarelo levou...Portanto todos podem se achar prejudicados, a tarefa dos árbitros é muito complicada e devemos ser mais compreensivos embora sempre fiscalizando a boa intenção deste pois o caso do Edilson mostra que pode haver má fé!!
Mais importante que isso tudo é que exista respeito entre as instituições Palmeiras e São Paulo lembrando que isto é apenas um jogo e não uma guerra, o Toninho Cecilio e o Marco Aurélio já tiveram uma discussão boba pra caramba na rádio, incitando torcedores...Lamentável!!
Abraços!!
Leonardo!!

Álvaro disse...

Noriega, muito sensato este seu post. É bem por aí mesmo. O futebol tem um capital de giro absurdo, conta com os mais diversos tipos de profissionais, desde jardineiros até consultores jurídicos, e logo um 'profissional' que pode, ou não, interferir no andamento e resultado de uma partida não é profissionalizado. Cômico, caso não fosse trágico. Essa aberração permite brechas não só para que o árbitro não receba quando o clube se sentir prejudicado, mas também para que o clube pague 'a mais' quando se sentir beneficiado. Vai duvidar? Isso é Brasil.
Abraço e excelente post.

Fernando disse...

Nori, esse é um ponto excelente para discussão, que quase ninguém levantou nos últimos tempos. Hoje na Band o Neto falou algo disso, e o Marinho (porque chamar de coronel quem está na reserva?) tergiversou e disse que a Federação não tem condições econômicas. Oras, bela cascata essa.

Filipe Araújo disse...

em um esporte que move cada vez mais dinheiro, aquele que comanda o espetáculo continuar sendo amador? realmente não faz o menor sentido.

copa não. não penso que faça tanta diferença. o cruzeiro segue firme na briga.

Abrazo!

http://gambetas.blogspot.com

ps.: Moreno, Ramón Díaz, Macnelly Torres e Kléber Pereira são as novas figuras da Copa no Gambetas.

Vinicius disse...

Belo post. Concordo com você. O futebol está cada vez mais marcado por erros de arbitragem. Quanto ao Adriano ter sido puxado antes do gol de mão eu só digo uma coisa. Reveja o lance em camera lentíssima e perceberá que milissegundos antes ele empurra o Léo lima. Eu não marcaria falta do Adriano nem do Léo lima pois o "puxão" na camisa dele não alterou em nada sua trajetória. O mesmo nem sentiu o "puxão". Escrevi entre áspas pois o "puxão" foi com os dedos e não com a mão. Tente puxar sua camisa com os dedos e veja se você conseguiria, de costas olhando pra bola e sendo levemente empurrado, puxar um cara de quase 100 kg. É óbvio que não.

Já os penaltis a favor do palmeiras mostram que o time consegue chegar com perigo na área. O vasco teve 16 penaltis a seu favor ese ano e ninguém achou estranho. O próprio autor do penalti na roubalheira da semana passada disse que acertou o lenny. Do mesmo jeito que pierre e valdivia mereciam ser expulsos, zé luis dagoberto e um jogador que eu nao sei o nome que acertou uma cotovelada na cara do diego souza (a camera da band pegou) e logo depois o diego Souza revidou. E o valdivia levou um cartao por um lance igual ao lance que o Andre dias (nao sei se eh esse o nome dele) fez no diego souza e nem marcou falta.

O Paulo César de Oliveira disse que viu que foi mao mas eu nao acredito. Eu acho muito mais provável o fato que foi presenciado por um jornalista que a bandeirinha estava aos prantos e o pco assumiu o erro pra nao prejudicála. O coronel marinho riu ao ver o gol de mao e a camera da band pegou isso também. Um cara que ri ao ver um clube sendo prejudicado comanda a arbitragem da FPF. Triste.