segunda-feira, fevereiro 25, 2008




O QUE FAZER COM O
MALUCO DO TAYLOR?


As imagens são um soco no estômago. Tanto que é difícil encontrá-las no You Tube. O Arsenal conseguiu retirá-las do ar. Ali está resumida a grande batalha do futebol mundial: a luta dos que sabem e tentam jogar contra os que não sabem e tentam parar quem sabe na base da truculência, da porrada.
Que punição seria recomendável a um carniceiro como o Taylor do Birmingham? O que pretende um jogador que dá uma entrada daquelas num companheiro de trabalho, que não seja machucá-lo? Não existe nada de casual numa jogada daquelas. Óbvio que o Taylor (que merece mais do que ninguém o nome Butcher, de açougueiro, em inglês, ao contrário do Terry Butcher verdadeiro, que batia menos) não queria quebrar a perna do Eduardo. Mas quebrou. Assumiu o risco disso ao entrar daquele jeito. A velha questão de culpa e dolo. Se ali não houve dolo, intenção, houve culpa evidente, pela irresponsabilidade do ato.
Por aqui, cedo ou tarde, veremos uma tragédia semelhante se não forem tomadas providências. Há jogadores no Brasil, principalmente alguns zagueiros e volantes, que confundem raça e dedicação com violência e intimidação. Adoram mostrar as travas das chuteiras, deixar cotovelos, joelhos e tudo o que for possível para segurar o adversário na base da porrada. O pior disso tudo é que tem torcedor que aplaude.
Muitos atletas ficaram marcados como violentos por jogadas em que provocaram contusões graves, mas que foram casuais, acidentes. O Raí, que sempre foi um jogador leal, quebrou a perna do Dorival Júnior num Palmeiras x São Paulo. O mesmo Raí rompeu os ligamentos do joelho num lance com Wilson Gottardo, num São Paulo x Cruzeiro, no qual Gottardo sequer foi violento, foi uma trombada por trás, com Raí ficando com a chuteira presa no gramado.
Outros serão eternamente lembrados pela violência estúpida e gratuita, como o Márcio Nunes, que arrebentou com o Zico.
Felizmente, o jogador brasileiro aprende desde muito cedo a fugir das botinadas dos volantes e beques irascíveis. Já desenvolveu esse talento, percebe a maldade na ponta das chuteiras inimigas, e consegue escapar dela na maioria das vezes.
Mas enquanto não se tomam providências, há o risco de algum Taylor made in Brazil trucidar um dos nossos coitados Da Silva. Com o nível das arbitragens brasileiras, o perigo é real e imediato.

AS COISAS QUE SÓ ACONTECEM COM O BOTAFOGO

O Botafogo é pura emoção. Não deve existir no mundo clube mais instável emocionalmente. Espero que Bebeto de Freitas volte atrás em sua anunciada decisão de renunciar ao cargo de presidente do Botafogo. Mesmo sendo emoção em estado puro, Bebeto ainda é zilhões de vezes mais racional que a maioria dos cartolas alvinegros. E o Botafogo está bem, anda batendo na trave, mas uma hora a conquista vai chegar.

GRANDES? POR ENQUANTO....

O Paulistão está dando uma bela lição nos clubes grandes. No atual momento, só o Corinthians está no grupo dos 4 melhores. Com todos os méritos, já que é o time mais regular e confiável entre os grandalhões. Pode não jogar bonito, mas pelo menos tem um jeito de jogar com o qual técnico e jogadores parecem estar de acordo.
O São Paulo perdeu o tal do encaixe de que tanto fala o ótimo Muricy Ramalho. E perdeu onde não se pode perder, na defesa. Até o Rogério anda em fase ruim. Resta saber se o time se recupera e finalmente encaixa na Libertadores.
O Palmeiras decepciona pela falta de resultados e a ausência de vibração do time, que tem um ar meio blasè, parece achar que ganha quando quiser. E não tem sido assim.
O Santos anda respirando, mas precisa, em nível de direção, decidir se fica do lado do Leão ou de alguns torcedores. Parece óbvio que é melhor ficar do lado de Leão. Mas de cabeça de cartola nunca se sabe o que pode sair.

5 comentários:

Joao Luis disse...

Fala, Nori!
Sem comentários essa entrada do tal de Taylor. Pena justa seria o cara ficar parado, sem jogar, pelo menos todo o tempo em que o Eduardo se recupera. E sem receber salário tb, pq se nao mexerem no bolso, não dói. Ridículo, amador, criminoso.
Meu Timao venceu, mas não estou convencido ainda. Falta muito para ser um time "redondo". A defesa está bem, é verdade, mas bate cabeça vez ou outra. 3 pontos importantíssimos para a classificaçao.
O Verdao tem escorregado qdo nao pode. Os 3 pontos eram obrigatórios contra o último colocado. O empate foi péssimo, principalmente tendo jogado no Palestra. Agora, virao com tudo para cima do Timao... haja coração!
O mesmo pode-se dizer do SPFC. Tem escorregado, mas empatou contra um time que tem boas pretensões no campeonato. Se bem que esse "mas" custou-lhe o 4o. lugar na classificação.
O Peixe me supreendeu ontem. Vamos esperar para ver se há consistência nos próximos jogos.
Grande abraço,
Joao Luis Amaral

Orlando disse...

Nori,

Dois comentários:

Como santista, acho que nosso maior candidato a Taylor tupiniquim é o Marcinho Guerreiro. É tecnicamente fraco, emocionalmente instável e fisicamente violento.

Esse ar blasé dos palmeirenses lembra muito a mesma atitude dos jogadores do Santos no último campeonato brasileiro, principalmete depois da eliminação na Libertadores. Será efeito Luxemburgo?

Daniel Lopes disse...

o que será que vai ser decretado num julgamento desses?

Felipe disse...

Nori,

Para mim você é um dos poucos comentaristas esportivos inteligentes, justos e equilibrados (um dos poucos que não lambe os fundilhos de Romário, por exemplo). Exatamento por isto, estou estranhando que não tenha publicado nenhum comentário sobre a mais nova e gravíssima lesão de Ronaldo, um jogador que já gravou seu nome na história do futebol mundial e que merece todo o nosso respeito, não só pelo seu enorme talento como jogador, mas tb pelo grande ser humano que sempre foi. Sobre o Taylor, francamente sou a favor que o agressor fique afastado durante o mesmo período que o jogador agredido. Saudações.

Anônimo disse...

Vc percebeu q não comentou a vitória do Fla, apenas a derrota do Bota?Pois é meu caro, o Flamengo venceu justamento o Botafogo por 2x1 no último domingo e vc caiu no mesmo erro de diversos jornalistas de ocultar os eros do Bota e esquecer os méritos do Fla por pena do Bebeto, que é um lunático desequilibrado, assim como Montenegro, Cuca, Túlio e Lúcio Flávio.Desse jeito,amigo, a hora não vaichegar nunca.