quinta-feira, fevereiro 28, 2008

BATE-PAPO


O grande barato de um blog é poder trocar uma idéia com quem passa por aqui, deixa sua opinião, uma pergunta, uma crítica, dá uma cornetada. Procurarei me disciplinar para responder, sempre que possível. Vamos às respostas da vez.

* Ao Anônimo flamenguista. Se você leu com atenção, o que eu acho que fez, percebeu que eu não comentei o jogo Flamengo e Botafogo porque não vi, já que estava trabalhando em outro jogo no mesmo horário. A questão do Bebeto é maior do que o resultado do jogo. Trata-se de um símbolo do esporte brasileiro, um técnico de vôlei campeão do mundo e um dirigente de alto nível que, se sair mesmo, fará falta ao futebol brasileiro. Ou seja, não falei do jogo, falei de um fato extra-jogo. Portanto, não concordo com o tom da sua mensagem. Sobre os dirigentes do Botafogo, só discordo do que você disse sobre o Bebeto. O Montenegro já mostrou que não tem equilíbrio para ser um bom dirigente de futebol.

* Ao Guillermo gremista - Primeiro, Guillermo, obrigado pela visita. Segundo, tenha cuidado ao ler e, por favor, não procure o que não existe. Quem disse aquilo sobre o Palmeiras foi o Taffarel, em 1996, quando era goleiro do Atlético Mineiro, não fui eu. E o texto é bem claro quanto aos times brasileiros e deixa evidente que, por associação, qualquer grande time brasileiro, o melhor do País em sua época, seria o melhor do mundo. Como o Grêmio de 83. Sobre o Felipão, nem preciso falar, já que sou um dos maiores admiradores do trabalho dele.

* Ao Alexandre Giesbrecht - É triste mesmo, Alexandre. Os torcedores estão virando fanáticos de satélite, de videogame. Não consigo conceber um brasileiro torcendo pelo Ajax, pelo Real Madrid. Temos tantas opções por aqui.

* Ao João Luís - Prezado João, seu post faz pensar, o que é ótimo. Mas há alguns pontos que provocam o debate. Os argentinos acham seus times os melhores do mundo por uma questão de paixão, de devoção, mas preferem mesmo é ganhar a Libertadores, de preferência derrotando um brasileiro. Sobre as arbitragens, veja o escândalo recente na Itália, o que mostra que também há problemas na Europa. A questão é que se analisa o futebol europeu vendo apenas os grandes clubes. Ninguém fala de Alavés e Getafe, de Modena e Trieste, dos estádios vazios em jogos menores. Desorganização é o maior problema, mas temos casos de trabalhos interessantes como o do Inter, o do São Paulo, o Atlético Paranaense. Mas continuo fiel ao Brasileirão, que pra mim é o melhor campeonato do mundo.

* Ao Israel. Amigo, isso é realmente muito triste. Mas quem sabe não veremos um dia camisas do Flamengo, do Corinthians, do Grêmio passeando por Madri, Roma, Londres?

* Ao Orlando. Bem lembrada a comparação. Realmente, Santos em 2007 e o Palmeiras agora mostraram esse ar meio blasè, dando a idéia de que podem vencer a qualquer hora. Não tem sido assim.

* Ao Felipe. Eu me lembro de ter escrito algo sobre o Ronaldo. Mas repito: torço muito por ele, para que volte a arrebentar, porque é um Fenômeno mesmo. Só acho que a passagem dele pela Holanda, o fato de ter ficado muito forte muito rápido, tudo isso está cobrando um preço alto agora.

* Ao Serginho Laurindo, Robert Alvarez, Val. Muito obrigado pelas mensages e pelo carinho com o seu Luiz Noriega, que é uma grande fera da nossa comunicação.

Abraços a todos.

3 comentários:

Joao Luis Amaral disse...

Fala, Nori!
Obrigado pelo comentário!!
O mais legal da internet, ao meu ver, é que parece que todos (blogueiro e leitores) estão numa mesma mesa de bar, trocando idéias, batendo um papo - como o título desse post.
Quanto ao comentário, acho que, como vc indicou, os excelentes trabalhos de SPFC, Inter, Furacão (incluiria Cruzeiro) são nossas grandes armas para virar esse placar, trazer a atenção de volta aos nossos estádios. Cresce a paixão dos torcedores quando o time mostra bons resultados, não é?
Assim como a festa que a torcida do Flamengo tem feito, o que certamente fará o número de simpatizantes do rubro-negro aumentar.
E tantos outros times com potencial para ultrapassar as fronteiras do Brasil.
Falta o mais difícil: que os clubes sejam vistos pelos dirigentes como EMPRESAS, que precisam receber investimentos mas, acima disso, precisam mostrar sempre resultados melhores. Trabalho sério de base, desenvolvimento contínuo de atletas, talvez parcerias com times menores.
Caminho existe. Vontade dos times? "Outros 500"...
Grande abraço,
Joao Luis Amaral

Adriana Nogueira disse...

Oi Noriega, após assistir o Sportv no domingo após o jogo, acabei me inspirando para escrever no meu blog - um comentário sobre arbitragem , e quria muto q vc lesse, o end do meu blog é adriananogueira.blogspot.com. É isso aí... obrigada

Naiyan Lima disse...

Olá, Nori!

To aqui pra dar um pitaco na questão levantada sobre os campeonatos europeus e os torcedores brasileiros.