quinta-feira, março 22, 2012


Genocídio na pesquisa

Tenho profundo respeito pelas pesquisas de opinião e preferência, por dados científicos e estatísticos. Embora admita que nos últimos períodos eleitorais alguns desses levantamentos tenham provocado certa desconfiança.

Toda pesquisa é encomendada por alguém e usa um método científico de tabulação. Não pretendo melindrar ninguém com essa postagem, tampouco duvidar de algum método ou veículo.

Mas alguns detalhes não deixam de ser curiosos.

Acho que todos concordam com um fato, o aumento da população brasileira ano a ano, de forma frequente. Há mais brasileiros em 2012 do que havia em 2010, estou seguro disso.

Some-se a esse fato um outro, que nada tem de científico, mas goza de certo prestígio: o sujeito troca de religião, partido, mulher, mas não troca de time de futebol.

Ou tem alguma coisa estranha ou algumas dessas pesquisas promovem autênticos genocídios de torcedores.

Vamos aos números. Em pesquisa Lance! - Ibope de 2010 o Flamengo tinha 33,2 milhões de torcedores. Na pesquisa divulgada pela Pluri Consultoria em 2012 são 29,2 milhões de flamenguistas. Três milhões de rubro-negros foram exterminados por alguma SS, uma Stasi das pesquisas? Ou teriam migrado para outra equipe nesse período?

Talvez o Corinthians. Mas o Timão aparecia com 25,8 milhões de torcedores em 2010, mudando para 25,1 milhões dois anos depois. O que houve com 700 mil loucos? Deixaram o bando nesse período?

Cabe a mesma argumentação para os 600 mil são-paulinos a menos apontados pela pesquisa. Teria havido um genocídio dessas três torcidas através de dados? Que dizer do desaparecimento de um milhão de gremistas no período se compararmos as duas pesquisas? Seria coincidência o fato de os levantamentos mostrarem um milhão de colorados a mais de 2010 para 2012. Nunca ouvi falar de gremista virando colorado e vice-versa. Uma movimentação de um milhão de torcedores no Rio Grande do Sul poderia ser chamada de êxodo. Fala sério!

Talvez tenha havido uma virada de casaca de 700 mil desses torcedores de Flamengo, Corinthians e São Paulo em favor do Palmeiras, que engordou esse número em simpatizantes. Ou mesmo oVasco, que ganhou quase um milhão de cruzmaltinos nesse período? Mas, peraí, e aquele papo de que torcida cresce quando o time é campeão? Onde foi parar na pesquisa?

Enfim, dá uma boa discussão em torno de uma taça de vinho, uma boa pizza, um churrasco com cerveja gelada.

Que me perdoem a brincadeira os autores dos estudos, mas apenas acho estranho que essa variação de números seja tão gritante, embora, em defesa das pesquisas, seja dito que percentualmente está tudo na margem de erro e num patamar parecido.s


9 comentários:

ShallowBoy disse...

Nori,

O que acontece é que estas pesquisas são têm erros de mensuração (igual pesquisas eleitorais) e métodos diferentes de contabilização (Pelo que li, a ultima pesquisa considerava time unico, ou seja, o cara só podia escolher um time).

Por isso a diferença.

Abs, Filipe

Renato disse...

Essa margem de erro das pesquisas é que parece aumentar cada vez mais...

Beto Passeri disse...

Já tinha notado a imprecisão dessas pesquisas, mas nunca realmente parei para fazer essa constatação através de números. Talvez esteja mesmo na margem de erro, mas se fosse pra errar, que fosse pra mais, afinal dois anos se passaram e, como você disse, tem mais gente no Brasil. Vai entender...

Pra que gosta de futebol e boa música, fica a recomendação
http://futebologiabrasil.blogspot.com.br/2012/03/esta-faltando-rock-and-roll.html

Anônimo disse...

Nori, eles manipulam a pesquisa para chegar no resultado que querem: neste caso a pesquisa considera apenas torcedores a partir de 14 anos. Outro "critério" são as cidades "escolhidas" para a pesquisa. Nos dois casos o Santos foi prejudicado, pois nos últimos anos teve sua torcida provavelmente aumentada entre crianças e adolescentes. Efeito Neymar e 4 titulos nos últimos 2 anos. Essas são as formas mas visiveis de manipulação, com certeza tem muitas outras.
LEVI BARBOSA (@levibs10)

Anônimo disse...

Noriega, esta queda da populacao de corintianos, flamenguistas e saopaulinos, se explica pela faixa etaria que essa pesquisa foi feita.
O Brasil, ainda eh uma populacao de jovens, portanto nao existe conspiracao alguma contra os 3 mencionados ou os que diminuiram de torcida.

isabel Urrutia disse...

Oi Maurício, achei muito legal teu raciocínio!!!! Indo nessa linha a quantidade de torcedores, total e por time, da pesquisa feita em 2010 pelo Ibope deveria ser maior que a da Pluri Consultoria porque a do Ibope ouviu pessoas a partir dos 10 anos de idade e a da Pluri, a partir de 14, ou seja...Onde está a representatividade dessa criançada? Acho que só dá para avaliar a variação de torcida, dentro dos critérios do mesmo Instituto. Por isso não se pode tomar como absoluto o número por si só...É só uma diretriz e eles deveriam explicar melhor! bjs

FRANCISCO disse...

Oi, Nori!

Se você comparar as debandadas gremistas e corinthianas verá que, proporcionalmente, o Grêmio perdeu dez vezes mais torcedores que o Corinthians. E aí não há tatu que aguente, ou estudo estatístico que explique.
Mas, eu tenho uma explicação:
Conheci, certa vez, uma moça que estrevistava moradores de favela, para a UNESCO. Anotava em um imenso formulário a renda da família, o número de moradores do imóvel, os bens que possuiam (fogão, geladeira, etc), se o barraco era próprio ou alugado...
Como era paga por formulário entregue, para não perder tempo, preenchia tudo em casa, na base do chute, sem entrevistar ninguém.

Anônimo disse...

Noriega, compartilho da sua opinião em relação às pesquisas.
Sempre foram muito estranhas.
Há alguns anos, um fato chamou muito atenção. Foi quando ocorreu o surgimento da Timemania.
No primeiro ano da loteria, quando ainda havia uma expectativa sobre o seu sucesso e não tínhamos campanhas dos clubes para que os torcedores apostassem neles, os resultados foram as verdadeiras pesquisas.
A CEF disponibilizava os números e eles mostravam que as pesquisas tradicionais não expressavam a realidade.
A Timemania impôs por um breve período um ostracismo às pesquisas. Hoje ela está em descrédito, mas naquele início a loteria apontava a verdadeira fotografia da torcida brasileira e a posição dos clubes espalhados por todo o Brasil era diferente da ordem que as pesquisas sempre mostravam e que continuam mostrando.
Outro detalhe intrigante é que toda vez que um grande clube precisa de um patrocinador principal, aparece uma pesquisa para colocá-lo em posição de destaque. Parece uma tentativa de empurrar o nome do clube, mas que não deve ter muitos efeitos, pois as empresas têm suas fontes verdadeiras de informação para direcionar suas decisões.

Marcelo

Leonardo Luz disse...

Mauricio, com certeza não há "vira casaca" ou "genocídio" de parte das torcidas. Esta diferença está dentro da margem de erro, que é tão menor quanto maior for a "amostra" da população; segundo blog OCE do Emerson Gonçalves foram entrevistadas 10.545 pessoas em 144 municípios brasileiros.
Para que não houvesse erro, só entrevistando a população inteira, o que certamente é inviável.
Portanto, existe metodologia para que a "amostra" (quantidade e abrangência) seja uma representação fidedigna da população e, acredite, esta metodologia certamente é aplicada adequadamente, caso contrário, as empresas que contratam estas pesquisas não teriam as informações que desejam.
De qualquer forma, 10.000 pessoas estão representando 200.000.000!!! Isto é que "gera" a margem de erro.
Há muita teoria e matemática por trás da Estatística, entretanto, espero que esta explicação básica ajude a dirimir sua desconfiança.
Abraços