quinta-feira, dezembro 10, 2009

Ecos do Footecon


Gostei muito de participar do Footecon. Sempre é bom encontrar o Carlos Alberto Parreira e ver que sucesso e competência podem vir acompanhados de educação e respeito. Por isso Parreira é tão reconhecido e admirado em todo o mundo.

Acompanhei alguns debates, fui mediador das palestas de Vinícius Eutrópio e Dorival Júnior. Encontrei muitos amigos, colegas jornalistas que não via há tempos, treinadores competentes, ex-jogadores, enfim, um período de trabalho agradável e produtivo.

Algumas situações engraçadas aconteceram.

Reproduzo algumas.

- Ei, você sabe se o Andrade vem? - me pergunta um senhor, com carregados sotaque portenho.

- Sou procurador do Herrera, quero ver se coloco ele no Flamengo.

Pois é, eles também estavam por lá, os procuradores, agentes, empresários. Afinal, muitos presidentes e diretores de times de futebo, passaram pelo Footecon.

Pois vejamos outra cena. Essa um amigo ouviu, pegando carona numa conversa telefônica.

- Rapaz, eu te ofereço o Fininho e você me acerta com o Élder Granja!! - protesta um jovem de terno, gravata e litros de gel no cabelo.

Certamente falava com alguém do Vasco, que contratou Élder Granja, mas ele queria que contratasse Fininho, revelado pelo Corintians.

Um pouco antes os presidentes de clube haviam se reunido para um encontro de fim de ano. Antes de seguirem para o almoço, foram em romaria ao banheiro. Na volta, Juvenal Juvêncio, do São Paulo, se perdeu do resto da turma. Andres Sanchez, do Corinthians, saiu em seu socorro:

- Ô bambi, vem cá, é por ali o almoço.

Juro que ouvi isso. Se os presidentes se tratam assim e não tem briga, as pessoas deveriam refletir antes de exagerar na brincadeira e transformar o futebol em guerra.

Gostei muito do Arena SporTV de quarta-feira, com Parreira e Carlos Queiroz, treinador de Portugal, e também com o árbitro argentino Horacio Elizondo. Ótimo programa, com muita informação e humor. Foi legal participar.

Tite estava por ali, circulando, e recebeu um telefonema urgente que o fez deixar o Riocentro. Talvez fosse alguém do Vasco, já que ele está na pauta do clube.

Agora começa a fase das especulações, contatações, mudanças. E já, já, chegam as férias.

4 comentários:

Anônimo disse...

Já já chegam as férias!
Mas antes que elas cheguem, vamos trabalhar, Sr. Noriega!

Quero ver vc divulgar este caso aqui ó:

O jogador Juninho do Botafogo não poderia ter jogado contra o Palmeiras!!!
Leia a reportagem no link abaixo:
http://justicadesportiva.uol.com.br/15004-SAO-PAULO-SOFRE-NOVA-DERROTA.html

Conforme o 2o. parágrafo da reportagem acima, o jogador, para obter o efeito suspensivo, deve cumprir 2 jogos de suspensão!
Porém, o jogador Juninho, expulso contra o São Paulo, cumpriu a automática contra o Atlético-PR e voltou a jogar contra o Palmeiras, ou seja, cumpriu apenas 1 jogo de suspensão mas mesmo assim, obteve o efeito suspensivo.

Logo, o Botafogo deve perder os pontos, o Palmeiras ganhar os pontos, e teríamos Botafogo rebaixado e Palmeiras na Libertadores.

Peço que dêem atenção e vão até o fim com esta história!

Não podemos deixar que os cariocas façam o que quiserem no futebol.

Abraços.

Ivan

David disse...

Nori,

Vc imagina ou recomendaria ver o Juvenal ou o Beluzzo nos corredores da Footecon chamar o Andres dizendo "Ô Gambá, ou Ô Galinha Preta"?

Eu não acho nada bonitinho isso, nada apropriado, nada recomendável. Acho coisa de terceiro mundo, comportamento de pivete marginal invadindo lugares e niveis indevidos.

Mas engraçado, é q o Andres falando isso pra outro soa tao normal... sem ironia alguma. É simplesmente o tipinho dele.

Vc acabou de elogiar gente como o Parreira. Vc imagina ele como dirigente se dirigindo assim ao Andres? Ou o Zico, ou o Leonardo... os mais respeitaveis homens do futebol não cabem nesse tipo de cenário. Não sei como que pra vc que parece tao respeitoso na TV é tudo fofinho. Vai ver que vc é mais do tipinho do Andres fora das telas né...

Gilson Gustavo disse...

Vi algumas partes do Footecon no Sportv. É sempre bom ver os que os profissionais do futebol tem a dizer, fora das entrevistas coletivas, cada vez mais chatas.

Gostei muito do Elizondo e também do Carlos Queiroz e da saia justa que o colocaram quando perguntaram sobre a qualidade dos times brasileiros.

Para mim ficou claro que ele não concorda que os melhores times brasileiros não estão no nível técnico dos melhores europeus (algo que eu concordo), mas também é de ver como ele fica admirado com o poder de renovação de nosso futebol.

Nori disse...

David, quem está fazendo tipinho parece ser você. Todo mundo brinca sobre futebol, os que não sabem brincar são os que acabam criando situações como as de Curitiba, no Couto Pereira.
Pivete marginal? Não sei a quem você se refere. Não sou amigo de nenhum presidente de clube, apenas relatei o que vi. Muitos outros viram e deram risada também, como o próprio Juvenal.
Isso chama-se brincadeira.
Vc precisa rir um pouco, relaxar, cara. Deixa de fazer o tipinho revoltado de plantão e se divirta, fim de ano, Natal chegando.
Abs