quarta-feira, janeiro 28, 2009

O CURIOSO CASO DE BENJAMIN BUTTON

Assisti a esse filme ontem. Tocante, intrigante, provocador. Tem alguma coisa de Forrest Gump, outra de o Show de Truman, alguma mais de Em Algum Lugar do Passado. O principal é que nos faz pensar no tempo. No que fazemos com ele, em como o aproveitamos e de que maneira interagimos com as pessoas que compartilham do mesmo tempo conosco.
Para mim, uma das grandes cenas do filme é o momento em que Benjamin Button, já regredindo em sua jornada pelo tempo, na qual seu relógio anda para trás, afirma para sua amada Daisy que ele tem a sensação de haver vivido uma vida da qual não se lembra. É uma criança de 80 e poucos anos que fala isso para uma senhora de 70 e poucos, o amor de sua vida, que se dedica a cuidar de uma criança cujo invólucro rejuvenesce enquanto o interior se deterioriza a cada segundo. Essa criança é o pai de sua filha.
Enfim, um filme que faz pensar, diverte e emociona. A fotografia é memorável e a trilha sonora, belíssima.

2 comentários:

Pablo Weyne disse...

Também gostei do filme e achei também que tinha alguma coisa de Forrest Gump, descobri que é o mesmo roterista, e possui algumas coisas iguais como: A maneira de aprender a andar, a guerra, etc.

Anônimo disse...

VI Troféu Cartão Vermelho - A mais importante votação da arbitragem brasileira vai fechar neste sábado, dia 31/01/2009. Foram 30 dias consecutivos de votação para os internautas definirem os melhores árbitros e assistentes do Brasil. Acesse e confira!