segunda-feira, setembro 22, 2008

O CORINTHIANS AINDA NÃO
SE LIVROU DOS FANTASMAS



O Corinthians já voltou à Série A do Campeonato Brasileiro. Pela porta da frente, com dignidade, dentro de campo, sem contestações. Parece a oportunidade ideal para que o clube, tão judiado que foi nos últimos anos por alguns de seus "dirigentes", passe a limpo sua história recente e esteja reposicionado de acordo com sua grandeza.
Mas pequenas ações, quase todas desastradas e desastrosas, teimam em ofuscar o bom trabalho feito por comissão técnica e jogadores onde realmente importa: dentro de campo.
Esse caso do empréstimo feito por um agente de jogadores ao clube é de uma infelicidade total. Por que essas ações expõem algumas fraquezas do clube e escancaram a falta de habilidade com que se lida com uma marca gigantesca, poderosa, assim como a de todos os grandes clubes do Brasil.
Até onde eu entendo de economia - e entendo pouco - nos últimos anos nunca foi tão fácil tomar empréstimo nesse País. Ou seja, comprar dinheiro no Brasil tem sido uma moleza. Prestações a pagar de vista, juros abusivos, mas que é fácil buscar recursos de maneira legal, isso é fato. Então por quê foi o Corinthians pegar 600 mil reais emprestados de um agente de jogadores exatamente para contratar jogadores? Alguém já ouviu falar de diretor de cinema pegar dinheiro emprestado com ator, por exemplo? Claro que já. Mas quase sempre o ator que empresta o dinheiro também é produtor e estrela do próprio filme. Talvez seja mais fácil de entender o conflito de interesses, um desembargador dinheiro emprestado de um advogado e, depois, julgar o processo do mesmo em última instância? Pode não acontecer nada e todos os envolvidos serem honestos. Mas não há espaço para o benefício da dúvida nesse caso. Por que será que o Corinthians não foi a um banco? Será que a situação financeira atual do clube permite captar dinheiro no mercado? Como funciona hoje o Corinthians, financeiramente? Todas essas perguntas vieram à tona.
O fato é que o agente de jogadores também é agente do técnico Mano Menezes. O que não significa dizer que Mano fez algo de errado, nem que só escale jogadores que são agenciados pelo seu agente, nada disso. Mas o Corinthians, com seu passado recente ainda a assombrá-lo, não poderia dar essa vacilada, nunca. Porque como diz o ditado, à mulher de César não baste ser honesta, tem que parecer honesta.
O Corinthians bateu no fundo do poço graças a negócios pra lá de escusos. Então, quando volta à elite do futebol dentro de campo, sem uma contestação sequer, fora dele não poderia acontecer nada que levantasse uma única suspeita, que gerasse dúvidas quanto à lisura ou à ética do procedimento. Porque quando era para se falar do bom momento do futebol corintianos, a semana passada foi de outros assuntos no Parque São Jorge. Parece que algumas pessoas que estão à frente dessa paixão de milhões não aprenderam a lição.

O FATOR LUXA, MAIS UMA VEZ
l
Luxemburgo continua sendo o principal técnico de futebol em atividade no País. Isso fica claro com o que está acontecendo no Palmeiras. Assim como no Paulistão, o treinador cantou a bola antes. Ele afirmou que a equipe reagiria, e o time foi campeão depois de um começo ruim. Avisou que Diego Souza jogaria melhor após a saída de Valdívia e o meia desabrochou. Quando todos perguntavam quem era Sandro Silva, ele já afirmava que o volante jogava muita bola. No instante em que bancou o retorno de Marcos, parecia loucura, mas aí está o goleiro, completando 400 jogos pelo Palmeiras e jogando muito.
Gostar de Luxemburgo ou não é uma coisa. Não reconhecer sua capacidade profissional, de altíssimo nível, é pura perseguição.

CADÊ O SORRISO, TRICOLOR?

Futebol competitivo é algo sério. Mas vocês já repararam como em todo bom time, que está jogando bem, o jogador sorri em campo? Pois o sorriso parece ter sumido do Morumbi. O São Paulo continua sendo um time competitivo, mas a impressão que passa é que faz séculos que seus jogadores não se divertem jogando futebol. Porque, tenham certeza, quase todo mundo que desempenha uma profissão em alto nível, gosta muito do que faz e tem prazer nisso. Pois esse Tricolor paulista de 2008 anda carrancudo dentro e fora de campo. Falta uma pitada de ousadia, de risco, para que a equipe consiga encostar nos líderes. E voltar a sorrir.

S.O.S VASCO

Admito que a situação do Vasco me preocupa. Nada a ver com clubismo, mas pelo momento político, pela lufada de bons ares de renovação porque passou o clube com a chegada de Roberto Dinamite ao poder. É algo emblemático em se tratando de um futebol de coronéis como o nosso. Mas Roberto está pecando - nunca pela omissão - pelo noviciado. Obviamente nervoso com o estado de coisas que encontrou em São Januário, procurou se cercar de amigos, mas não necessariamente dos mais preparados para as funções, caso de Tita. Agora com Renato Gaúcho e alguns veteranos, ele tenta salvar o Vasco da bancarrota futebolística. Assim ficaria menos complicado tirar o clube do buraco financeiro em que o meteram.

7 comentários:

Anônimo disse...

o vasco nao vai sair do lugar. o dinamite nao possue experiencia administrativa para tirar o vasco do atoleiro. nao tem projeto e, pelo jeito, nao tem equipe com preparo suficiente para alavancar o clube. veja o caso do palmeiras e do inter/rs e comprove.

a verdade e que ele nao sabe o que fazer. esta perdidinho...
marcelo c lopes

Pedro Obliziner disse...

Noriega, me desculpe discordar de você. O time do são paulo não está sorrindo porque está carrancudo, e sim por causa da pressão. O elenco sabe que se não se classificar para a libertadores o bicho vai pegar e estão com esse fantasma rondando. Sorrir não é a causa de estar jogando mal, é a conseqüência.
Um abraço

Anônimo disse...

Maurício Noriega, sou seu Fã ..... Vc é muito BOM / Na minha opinião, o melhor comentarista do Brasil > Sou são-paulino e sempre escuto os seus ótimos comentários no PPV ... Abraços e que vc logo esteja lá na Globo, ao lado dos Tops > vc é mto melhor que os tb Bons de lá / Abs.

Nori disse...

Pedro, nem precisa se desculpar, discordar é do jogo democrático e o blog está aí para isso. Seu ponto de vista é interessante, pode ser a explicação para essa falta de sorrisos entre os tricolores.
Abs

Nori disse...

Marcelo Lopes, espero, sinceramente, que o Roberto se encontre, porque a chegada dele ao poder no Vasco foi um grande acontecimento para o futebol. Tomara que não seja perdido.
Abs

Nori disse...

Prezado anônimo, agradeço de coração suas palavras, embora eu me considere apenas um profissional que tenta fazer seu trabalho honestamente e da maneira mais correta possível. Muito obrigado mesmo.
Abs

Joao Luis Amaral disse...

Fala, Nori!
Entendo seu ponto no caso do Corinthians mas, pelo que li ao longo do semestre no noticiário esportivo, parece que o clube não tem 'crédito' no mercado. Dificilmente um banco emprestaria dinheiro a uma empresa que não apresentasse uma garantia (real) e, infelizmente, o caso do Timao é para lá de complicado no quesito 'credibilidade'.
Talvez aí esteja a explicação para uma ação que, à primeira vista, parece insana ou, no mínimo, uma lambança. Como vc bem colocou, nao basta ser honesto, tem que PARECER honesto. Uma opção seria declarar esse empréstimo antes que a 'bomba' estourasse na imprensa... vai saber!
Quanto ao Vasco, torço para que não caiam, para que o Dinamite tenha êxito. Claro, nenhum clube tido como grande quer participar da Série B, mas em alguns casos (como meu Timao, por exemplo), há de convir que a Segundona é um baita puxão de orelhas em diretoria, jogadores, comissão e torcida. Força uma renovação que vem se arrastando por um bom tempo...
Grande abraço,
Joao Luis Amaral