quinta-feira, setembro 25, 2008



Gehen Österreich!!!!!!


Esporte e, principalmente, futebol, provocam reações estranhas nas pessoas. Eu adoro escolher seleções internacionais para torcer esporadicamente. Na Copa do Mundo eu torço descaradamente para as seleções latino-americanas, contra tudo e contra todos. Na Copa de 1998 um dos momentos de maior alegria para mim foi o empate do México com a Holanda.

No basquete sempre torço contra os Estados Unidos. No vôlei escolho Itália e Holanda para secar no masculino e, no feminino, Cuba é o adversário preferido seja quem for do outro lado da rede.

No futebol nem existe tanto essa coisa de torcer contra uma seleção específica, tirando a França, que considero a mais arrogante e prepotente de todas as seleções nacionais.

Torço obviamente para o Chile, porque minha esposa é chilena e meus filhos têm sangue chileno. Embora admita que a maior parte do talento natural dos chilenos tenha sido dedicada à viticultura e não ao futebol.

Sou daqueles que adora parar em frente à TV e ficar torcendo pros índios contra a cavalaria.

Pois agora dei de torcer pela Áustria. Não tenho laços de sangue com a terra de Francisco José e Sisi, a não ser uma distante ligação de minha avó materna. Mas adorei Viena e por essas razões que a razão não explica, sou mais um austríaco nas arquibancadas do mundo. O que teria despertado isso não sei. Mas a camisa de visitante da Áustria tem culpa no cartório. Aquela preta, da Puma, coisa linda. Comprei uma para mim na Mariahilf, a rua do comércio de Viena. Eu me lembrava das camisas da Áustria na Copa de 1978, todas lindas, e também do bom futebol de jogadores como Krankl e Polster.

E me peguei feliz com a vitória por 3 a 1 sobre a França (aquela da arrogância) no estádio Ernst Happel em que vi a Espanha ser campeã européia de 2008.

Tudo bem que perdemos fora de casa para a Lituânia, mas agora temos a chance de manter uma boa pontuação no grupo 7 das Eliminatórias Europeías da Copa do Mundo, jogando contra as Ilhas Faroe, mesmo fora de casa.

Sei que há um passado legal por trás do futebol austríaco, nos tempos do Wunderteam nos anos 30 e 40 e que a seleção foi terceira em 54 e quarta em 34. Mas isso não tem nada que ver com desempenho futebolístico. É inexplicável.

E isso posto, Gehen Österreich!!!!!!

7 comentários:

Anônimo disse...

A opção da Áustria por dar espaço a partidos extremistas de direita é preocupante.

Nori disse...

Meu Deus, de onde as pessoas tiram ilações como essas do tal anônimo sobre a Áustria. Preocupante é seu estado mental, amigo. Relaxa um pouco.

Anônimo disse...

Caro Noriega, interessante o seu foco, nestas palavras.

Citando, "Embora admita que a maior parte do talento natural dos chilenos tenha sido dedicada à viticultura e não ao futebol."

Concordo, mas somo que a sua mentalidade marítima é algo descomunal nestes lados da América Latina. Que percepção, eles têm da importância do seu território marítimo vinculado à pesca artesanal, industrial e os cultivos marinhos.

Por outro lado, vejo sim, crescimento no futebol chileno. A garra dos jogadores demonstra isso, e não só, o que dizer atualmente de um Valdívia e Villanueva ? Estão acima da média, de certo.

E que os clubes brasileiros, abram seus olhos para estas pérolas, ou outras, ao largo do Pacífico.

Abraço.

sR_OceanoAzul

luis augusto simon disse...

Cabeça, já que vc torce pelos índios contra a cavalaria,eu te aceito na torcia Cuba Sempre.
Vou te mandar a ficha de adesão

Robert Alvarez Fernández disse...

Eu, por origem, tenho a Espanha como minha primeira opção de torcida "extra"...meus sobrenomes não enganam, não ??

Mas tenho satisfação em torcer pelos pequenos também; no dia em que as Ilhas Fiji chegarem à uma Copa do Mundo junto com a Albânia encontrarei meu nirvana futebolístico e o vinho chileno com calamares (não o vinho) são por minha conta; no mais é só diversão.

Abraços a todos,

Robert

Péricles S. Durães disse...

Pela imagem, essa camisa preta parece ser bem bonita. Colocarei na minha lista de "camisas a avaliar" para futura ampliação de coleção (já tenho 15), já que estou no aguardo de como será o fim(?) dessa crise financeira. Uma pergunta: quanto custou?

E como o Robert, também tenho satisfação em torcer pelos pequenos; neste caso, quero que a Lituânia se classifique, assim como Albânia e Bósnia. Mas se algum outro menos cotado se classificar, ficarei feliz do mesmo jeito.

Nori disse...

Péricles, obrigado pela visita. Sobre a camisa da Áustria, me dei bem, comprei em promoção, no último dia da Euro 2008 e paguei 33euros, uma pechincha.
Abs