segunda-feira, junho 04, 2007

COMEÇOU A GANGORRA


A fase da gangorra do Brasileirão que promete ser o mais equilibrado da história já começou. O perde-e-ganha, imagino eu, será a marca registrada desse campeoato. O nivelamento nunca foi tão grande. Não que seja pelo alto nível técnico, mas é um nivelamento. Respira-se equilíbrio pelos quatro cantos do País do Futebol.
Estive na gelada e sempre bela Curitiba para comentar Paraná e São Paulo. Problemas no vôo de volta fizeram com que eu não pudesse conferir com calma e tempo os lances de todos os outros jogos pela Internet.
Gostei de ver a Vila Capanema reformada e a preservação do relógio histórico que presenciou Suécia 2 x 2 Paraguai e Espanha 3 x 1 EUA na Copa de 1950. O jogo não foi dos melhores tecnicamente, o gramado estava péssimo e prevaleceu a marcação. A torcida paranista reclama. Acho que tem razão no gol, que entendi como mal anulado do Luís Henrique. Mas o lance do pênalti não tem com não dar. O goleiro Marcos Leandro não tem intenção de fazer a falta, mas cai em cima do Aloísio que, esperto, fica apenas esperando que isso aconteça. O Gaciba só pode marcar o que vê, não o que mostra o replay. O Paraná é um time bem armado, rápido, com bons jogadores como Joélson e Josiel, mas tem uma defesa um pouco lenta. O São Paulo continua desencaixado, sem ritmo, mas com o Aloísio é outro time, ele segura bem os zagueiro e faz a parede com qualidade. A questão tricolor agora passa a ser a dupla de volantes. Se o Josué for à Copa América e com a contusão do Frédson (vim perto dele no avião e a coisa foi séria mesmo), esse setor ficará enfraquecido.
O jogo que simboliza a gangorra foi Palmeiras e Cruzeiro. Vi os melhores momentos. O Palmeiras atacou mais, pressionou, mas foi extremamente vulnerável na marcação no meio-campo e a bomba estourou na defesa. O Cruzeiro apostou na arma que lhe restava e foi muito competente. São dois times que estarão definitivamente na gangorra, terão bons e maus momentos, mas ainda precisam de muitos ajustes.
Assim como o Corinthians, que conseguiu um resultado que deixa perguntas no ar contra o Santos. O que seria o jogo com o Santos completo? Ninguém responderá, é óbvio, mas sem sua força máxima o Santos dominou o Corinthians no segundo tempo. Agora, a questão alvinegra é o que fazer quando William for embora para a Seleção? Quem levará abola até Everton e Finazzi? E o Santos depende do que acontecerá na Libertadores. Tenho conversado com muitos treinadores e jogadores de outras equipes e há uma unanimidade: todos acham que uma eliminaçã na Libertadores provocará uma crise no Santos. Será?
No mais, o Botafogo segue jogando bem e vencendo, mostrando que nem sempre uma derrota ou eliminação tem, necessariamente, que redundar numa crise.

IMPEDIMENTOS E ARBITRAGEM

O amigo Alexsa manda mensagem perguntando sobre a questão dos impedimentos, referindo-se ao gol anulado do Paraná. Ele acha que é correto marcar impedimento sempre que haja alguém impedido, mesmo que esse alguém não seja o autor do gol porque, segundo ele, isso atrapalha o goleiro. Discordo, respeitosamente. Há casos e casos. Ontem tivemos dois exemplos. O segundo gol do Cruzeiro é um deles. Roni estava em posição adiantada e foi na bola, o que poderia suscitar a interpretação de impedimento. No gol de Luís Henrique, do Paraná, a bola passa longe do gol de Rogério no cruzamento e ele nem sai do arco.
Mas é a regra-chave do futebol, porque deixa aberta a interpretação, e cada um tem a sua. Como diz meu amigo e parceiro Milton Leite, não existe verdade absoluta no futebol.

4 comentários:

Leonardo disse...

Nori, concordo com os seus comentários.De fato, o Campeonato Brasileiro deverá ser muito equilibrado, mas os jogos estão muito fracos tecnicamente. Qual jogo deste brasileiro te empolgou??
Talvez eu esteja dando azar pois os jogos que vejo estão muito ruins. Um exemplo é o jogo do São Paulo contra o Paraná, nossa foi muito ruim.Apesar das reclamações dos paranistas(justificáveis) acho que o resultado mais justo seria um empate embora o TRICOLOR tenha jogado melhor na maior parte do tempo não foi suficiente para convencer...Fica uma pergunta Nori:
Quem está de fato jogando um futebol de qualidade neste Brasileirão???

Iara Alencar disse...

ola
pelo menos algo pra se comemorar nesse tal pontos corridos, esta formula que despreza o bom futebol, a emoção, o talento.

nao temos craques, ja percebeu??depois deste ponto c orridos, acabaram-se os novos craques.

Anônimo disse...

Tive o desprazer de assistir o jogo horroroso entre S.Paulo e Paraná,onde o tempo de bola parada certamente superou o de bola em jogo.Outro detalhe irritante(em todos os jogos)é a pratica do CAICAI.O jogador ao invés de se preocupar em localizar o gol ele se preocupa em localizar a risca da área para se jogar.Se os árbitros deixassem o jogo correr, já que o futebol é esporte de contato,e punissem os simuladores de falta talvez essa prática , que faz piorar a qualidade do jogo diminuisse.Do jeito que está, onde se marca tudo, os times só precisam treinar cobrança de bola parada, e não mais tabelinhas e outras jogadas interessantes.É uma pena.

Rafael Campos disse...

Fala ae Nori...essa questão do impedimento ultimamente é muito discutida e eu ouvi o Finazzi no programa ''bem amigos'' e ele é da opinião de qualquer jogador que estiver impedido ser marcado o impedimento. O argumento que ele usou é q assim a ''interpretação'' ficara de lado na questão do bandeirinha interpretar se tal jogador está ou não participando da jogada, e o bandeirinha então seria ''objetivo'' em marcar o impedimento dos jogadores do time adversário que estarão na frente dos outros. Sendo assim todos os jogadores aprenderão a ficar atras do último homem.

Eu acho interessante essa idéia da abolição de espera pra quem vai a bola etc... como o Flacão diz, a linha de impedimento agora não serve mais, já que outro jogador vindo de uma posição regular pode chegar e os outros que estavam impedidos não interferirem.

Falowwww Noriega